Como se Tornar o Pior Aluno da Escola (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como se Tornar o Pior Aluno da Escola
 Brasil
2017 •  cor •  
Direção Fabrício Bittar
Roteiro
Baseado em Como se Tornar o Pior Aluno da Escola por Danilo Gentili
Elenco
Gênero
Companhia(s) produtora(s)
Distribuição Downtown Filmes
Lançamento 12 de outubro de 2017
Idioma Português
Página no IMDb (em inglês)

Como se Tornar o Pior Aluno da Escola é um filme de comédia brasileiro, baseado no livro homônimo escrito pelo comediante stand-up Danilo Gentili, que estreou nos cinemas em 12 de outubro de 2017. Dirigido por Fabrício Bittar, roteirizado por Danilo Gentili e André Catarinacho, e protagonizado por Bruno Munhoz, Daniel Pimentel, Carlos Villagrán e Danilo Gentili.[1][2]

Na véspera de sua estréia, o filme passou a ser investigado pelo Ministério Público de São Paulo por omissão de classificação indicativa, durante divulgação, em desacordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).[3][4][5]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O longa traz os jovens estudantes Bernardo (Bruno Munhoz) e Pedro (Daniel Pimentel), que se veem divididos entre as obrigações escolares, a necessidade de tirar boas notas e ter bom comportamento, e a falta de propósito em cumprir todas as normas de uma escola que adota medidas cada vez mais politicamente corretas graças ao diretor Ademar (Carlos Villagrán). Após momentos de frustração, Pedro encontra no banheiro do colégio um diário contaminado com dicas para instaurar o caos na escola sem ser notado.[6]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

No dia 5 de maio de 2012, foi anunciado que a produtora Clube Filmes comprou os direitos de adaptação ao cinema do livro Como se Tornar o Pior Aluno da Escola, do apresentador e comediante Danilo Gentili. O livro é baseado na experiência escolar de Gentili que teve durante sua vida escolar, 78 assinaturas no livro negro, 12 suspensões e uma expulsão. Fabrício Bittar vai dirigir, e o roteiro terá colaboração do próprio Gentili.[7] No dia 10 de outubro, o filme ganhou um teaser que homenageia o dia dos professores.[8][9]

No dia 8 de dezembro de 2015, Durante o painel da Warner Bros. na CCXP 2015, o humorista e apresentador Danilo Gentili foi o convidado do estúdio para anunciar que o seu livro, Como se tornar o pior aluno da escola, será adaptado para os cinemas. “Hoje em dia está tudo muito certinho. Os jovens parecem velhos. Queremos relembrar dos filmes da década de 1980 que passavam na Sessão da Tarde. Nos inspiramos em Curtindo a vida adoidado e longas do tipo”. O projeto será uma coprodução da Warner com a Paris Filmes, com Gentili colaborando no roteiro e direção de Fabrício Bittar. Ele revelou ainda que o livro também será adaptado para os quadrinhos, numa publicação da Panini Comics. Ainda não há mais detalhes disponíveis.[10]

No dia 1 de fevereiro de 2016, foi anunciado que o filme terá Carlos Villagrán, mais conhecido como o Quico de Chaves, como antagonista. Na época o filme tinha previsão começar a ser rodado em junho do mesmo ano e de estreia para janeiro de 2017.[11] No dia 5, em entrevista ao site Música e Cinema, Danilo falou sobre sobre a escolha de Villagrán para o papel:

O comediante falou também sobre como surgiu a ideia do filme:

[12]

Em 25 de julho, Danilo Gentili anunciou que o filme terá um jovem descoberto nas redes sociais como um dos protagonistas, Bruno Munhoz, de 12 anos, foi descoberto depois que Gentili publicou em suas redes sociais um convite para os testes de elenco. Mais de mil inscrições foram feitas e, desse número, 50 nomes foram chamados, entre atores profissionais e seguidores. Munhoz mostrou grande desenvoltura no teste e acabou escolhido como um dos protagonistas. Na época o filme tinha previsão para começar as filmagens em agosto.[13]

No dia 5 de agosto foi divulgado que o mexicano Carlos Villagrán estava tendo aulas de português desde o início de fevereiro para poder interpretar seu personagem.[14] No 22, após Joana Fomm fazer um post no final de julho em uma rede social falando que sentia falta e precisava trabalhar, pois estava precisando de dinheiro para se sustentar. O apresentador publicou uma foto no instagram ao lago da atriz mostrando os bastidores do longa confirmando que ela estará no filme.[15][16] No dia 23, Danilo falou mais sobre o filme:

Também falou sobre Villagrán:

e também sobre Fomm:

e por fim, sobre o protagonista Bruno Munhoz:

No dia 31, foi divulgado que a filmagens haviam oficialmente iniciadas em São Paulo, junto com a sinopse que dá mais detalhes sobre o filme, além de Bruno Munhoz, Daniel Pimentel foi anunciado com um dos protagonistas, Joana Fomm, Raul Gazolla, Moacyr Franco, Rogério Skylab e Danilo Gentili também estão no elenco.. Fabricio Bittar dirige o filme, Danilo Gentili e André Catarinacho são os responsáveis pelo roteiro. As filmagens tinha previsão para se estender até o fim de setembro, e o lançamento para o primeiro trimestre de 2017.[17]

No dia 5 de outubro, Danilo Gentili cortou profundamente o dedo e ficou com o olho roxo depois de filmar cenas de luta do filme, os golpes foram aplicados pelo ator Daniel Pimentel, que gravava as cenas com o humorista na suíte presidencial de um hotel em São Paulo. Os atores Raul Gazola, Rogério Skylab e Joana Fomm também estavam no set. O incidente rendeu dois pontos e uma marca no rosto de Gentili, que teve de usar maquiagem para seguir com as filmagens.[18] No dia 17, o filme ganhou seu primeiro teaser oficial que brinca com o fato que o filme não deve agradar a critica e festivais conservadores, por conta do tom de humor negro que o film deve trazer, mas que deve agradar o seu público alvo que são os jovens estudantes.[19]

No dia 16 de novembro, o ator e cantor Moacyr Franco falou sobre sua participação no filme:

[20] No dia 22, foi divulgado o primeiro cartaz-teaser do filme, que traz a capa de um caderno usado e rabiscado, junto a data de estreia do filme, 6 de abril de 2017. Também foi anunciado que o filme seria uma das atrações da Paris Filmes para a CCXP, que também contaria com a participação de Carlos Villagrán no evento.[21]

No dia 3 de dezembro, Durante o painel da Paris Filmes na CCXP - Comic Con Experience 2016, foi confirmado que Fábio Porchat está no elenco de Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola. A novidade foi revelada com cenas de bastidores da produção e, apesar do personagem não ter sido divulgado, as roupas indicam que Porchat pode fazer um inspetor da escola. Ele também usa um bigode. Além disso, foi mostrada uma cena onde o protagonista encontra um caderno velho, com dicas de como se tornar o pior aluno da escola. Gentili também apareceu no palco e disse que

[22] No mesmo dia, em entrevista ao UOL no evento, Gentili reclamou do politicamente correto das novas gerações.

, o humorista também criticou a falta de naturalidade dos atores mirins nacionais, e disse que uma das maiores preocupações no início da produção de "Como se Tornar o Pior Aluno da Escola" era encontrar os dois garotos para os papéis principais:

[23] No dia 6, o filme ganhou um novo cartaz que traz Carlos Villagrán, Danilo Gentili, Bruno Munhoz e Daniel Pimentel.[24]

No dia 30 de janeiro de 2017, foi confirmado que Carlos Villagrán retornara ao Brasil para participar da na primeira edição da CCXP Tour Nordeste, que acontece de 13 a 16 de abril no Centro de Convenções de Pernambuco. O ator estará presente nos quatro dias do evento para divulgar o filme.[25]

A montagem se iniciou em Fevereiro de 2017 e ficou a cargo do montador Bruno Nunes, que já trabalhou como montador em video-clipes, curta-metragens e foi editor durante quase 10 anos do Programa Pânico.

Em maio de 2017 o filme esteve em fase de finalização.

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu diversas críticas negativas após sua estreia, particularmente por causa das mensagens ofensivas e de algumas de suas piadas, umas consideradas politicamente incorretas, outras consideradas baixas[26], pouco criativas[27] e de mal gosto (incluindo sátiras com excrementos, pedofilia[28], pessoas obesas e homossexuais[29])[30]. Por outro lado, a atuação do elenco jovem foi elogiada.

Sites populares como Cineweb, Omelete e Cinema com Rapadura, avaliaram o filme com apenas 1 ou 2 estrelas. A melhor avaliação veio de AdoroCinema, com 3 estrelas. Segue um trecho da crítica vinda do Observatório do Cinema: O miolo da narrativa é todo redundante, repetindo sempre as mesmas narrativas, sempre as mesmas ideias, repetindo, repetindo e repetindo as mesmas situações, trocando-se apenas a roupagem (muda a traquinagem, muda a piada apelativa…[31]

Sendo um filme voltado para o público adolescente, muitas críticas negativas se referiram as mensagem de alusão ao "jeitinho brasileiro"[32] e de "que não é preciso estudar[33]", acrescido de ridicularização do papel da escola[34] na formação dos jovens; além da ridicularização dos jovens mais dedicados ao estudo. Também houveram críticas relevantes com relação ao nível das piadas, qualificadas como "sujas, bobas[35] e pouco elaboradas[36]"[37] , e da própria atuação de Danilo Gentili.

Camila Souza, do site Omelete, elogiou as cenas envolvendo Carlos Villagrán, e Moacyr Franco, bem como a atuação do elenco adolescente principal, mas considerou "questionável" a mensagem do filme de que "não é preciso estudar, que a escola não define como será a sua vida adulta" e "que você não precisa fazer o que te deixa deixar triste ou infeliz, de que a vida adulta é uma completa diversão, em que você faz apenas o que quer." Ela concluiu sua resenha afirmando que o longa "é apenas uma comédia rasa com piadas sexuais e escatológicas que erra quando quer ser mais do que isso. Quem procura esse tipo de humor vai se divertir, do contrário, o filme não tem muito para oferecer."[38]

Karolen Passos, do CinePOP, também elogiou Carlos, Moacyr e o elenco mirim, além de ter mencionado positivamente a utilização de gírias e situações corriqueiras da fase de vida enfrentada pelos protagonistas. Por outro lado, disse que a trama é "completamente politicamente incorreta, o filme ignora por total o combate ao bullying, inclusive, tira sarro disto, além, claro, das diversas cenas em que tal ato é cometido. É recheado de piadas ofensivas e diferente de muitos comediantes que satirizam situações deste gênero com o intuito de realizar uma crítica, Como se Tornar o Pior Aluno da Escola exalta comportamentos contraventores e passa uma mensagem de que está 'tudo bem' ser esse tipo de pessoa." Ela concluiu sua análise dizendo: "É um bom filme para assistir e ser relembrado do motivo de existirem pessoas tão engajadas em combater ações como essas, afinal, ainda existem pessoas e produtores de conteúdo que veem graça em atitudes como as mostrados no filme."[39] A crítica de Karolen gerou uma reação por parte de Danilo (ver subseção "Controvérsias" abaixo).

Marina Galeano, da Folha de S.Paulo, disse que o filme é "muito mais bobo e apelativo e muito menos engraçado" que as produções que o inspiraram (Porky's, Curtindo a Vida Adoidado e The Karate Kid) e que ele "serve unicamente para mostrar [Carlos] Villagrán numa versão diferente da de seu antológico personagem. E talvez para inflar as discussões recentes em torno dos limites da arte. De resto, todo esse besteirol é apenas uma questão de gosto." Ela também apontou que "vale qualquer coisa para transgredir e tentar arrancar risadas da plateia. Qualquer coisa mesmo: diálogos chulos; enxurrada de palavrões; o gemidão do Whatsapp; cenas escatológicas de vômito, mijo na cara e cocô voando pelos ares; piadas sobre minorias, religião e até pedofilia; satirização ao bullying; corrupção de adolescentes e por aí vai".[40]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Danilo usou suas redes socais para incitar ataques a autores de críticas negativas ao filme. Um exemplo foi o site CinePOP, que acusou o diretor de iniciar uma onda de ataques à página.[41]

Num outro caso, o produtor criticou o jornalista Diego Bargas, então da Folha de S.Paulo, por ter conduzido uma entrevista com ele de uma forma que ele considerou tendenciosa. No Facebook, Gentili publicou a íntegra da entrevista, seguida de comentários com prints de posts de Bargas elogiando os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad.[42] Como resultado, o repórter foi atacado em suas redes sociais e acabou demitido pelo jornal,[43] que justificou a decisão afirmando que Diego teria "desrespeitado orientação reiterada sobre comportamento nas redes sociais". Segundo nota do diário, "os jornalistas são orientados a evitar manifestar posições político-partidárias e a não emitir nas redes juízos que comprometam a independência de suas reportagens" e a empresa "ofereceu assistência jurídica ao repórter para se defender de ameaças e ilegalidades nas redes sociais".[44]

O comportamento de Danilo e seus seguidores, bem como a decisão do jornal de demitir o repórter, foram criticadas por entidades de classe. Em nota conjunta, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo e a Federação Nacional dos Jornalistas "repudiam veementemente" os ataques ao jornalista e sua demissão, que consideraram atos contrários à liberdade de imprensa e de expressão.[45]

Investigação do Ministério Público[editar | editar código-fonte]

Desde 11 de outubro, véspera da estreia do filme, uma ação movida Ministério Público de São Paulo culminou na investigação por omissão da classificação indicativa do filme em parte das peças de divulgação, informação que é assegurada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).[46] [47]

Foi realizada pesquisa sobre o material de divulgação da classificação indicativa do mencionado longa-metragem, em especial do trailer e do banner, de acordo com o inquérito aberto pelo promotor Eduardo Dias Ferreira. O documento acrescenta: em ambos, restou constatado que no local apropriado para inserção da classificação etária recomendada havia a frase "o pior aluno da escola nunca" verifica a classificação indicativa do filme'.[48]

O filme foi avaliado, pelo Ministério da Justiça, como impróprio para menores de 14 anos enquanto o trailer recebeu classificação etária de 12 anos.[49]

Referências

  1. AdoroCinema, Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola, consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  2. «Tudo o que você vai ver no cinema em 2017». Omelete 
  3. «Ministério Público investiga filme de Danilo Gentili - ISTOÉ Independente». ISTOÉ Independente. 25 de outubro de 2017 
  4. «Filme de Danilo Gentili é investigado pelo Ministério Público de SP». Catraca Livre. 24 de outubro de 2017 
  5. «MP de São Paulo investiga publicidades de filme de Danilo Gentili | VEJA.com». VEJA.com 
  6. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Filme de Danilo Gentili ganha primeiro teaser». Omelete 
  7. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Livro de Danilo Gentili vai virar filme». Omelete 
  8. «Tudo sobre filmes, séries, games, quadrinhos, música e mais | Omelete». omelete.uol.com.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  9. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola ganha teaser». Omelete 
  10. «Livro de Danilo Gentili será adaptado para os quadrinhos e cinema - UNIVERSO HQ». www.universohq.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  11. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Filme de Danilo Gentili terá Carlos Villagrán, o Quico, como vilão». Omelete 
  12. «Filme: Danilo Gentili fala sobre produção, Carlos Villagrán e trilha sonora - | Música e Cinema». musicaecinema.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2017 
  13. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Estudante descoberto nas redes sociais vai estrelar filme de Danilo Gentilli». Omelete 
  14. «Quico de 'Chaves' aprende português para filme de Danilo Gentili | VEJA.com». VEJA.com. 5 de agosto de 2016 
  15. «Joana Fomm deve atuar em filme com roteiro de Danilo Gentili». Ego 
  16. «Após pedir emprego na internet, Joana Fomm grava novo filme com Danilo Gentili». CARAS. 22 de agosto de 2016 
  17. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Filme de Danilo Gentili começa filmagens em São Paulo». Omelete 
  18. «Danilo Gentili se machuca em cena de luta na filmagem de seu primeiro longa» 
  19. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Filme de Danilo Gentili ganha primeiro teaser». Omelete 
  20. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | "Fiquei muito engraçado", diz Moacyr Franco sobre participação». Omelete 
  21. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola ganha cartaz teaser e data de estreia». Omelete 
  22. «CCXP 2016 | Primeiras cenas do filme de Danilo Gentili mostram participação de Fábio Porchat». Omelete 
  23. «"Os jovens estão mais chatos que os velhos", diz Gentili sobre filme» 
  24. AdoroCinema. «'Quico' do Chaves e Danilo Gentili são os destaques do cartaz de Como se Tornar o Pior Aluno da Escola (Exclusivo)». AdoroCinema 
  25. Azevedo, Daniel (30 de janeiro de 2017). «Carlos Villagrán, o "Kiko", estará na CCXP Tour Nordeste 2017». Nerd Site 
  26. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | VEJA SÃO PAULO». VEJA SÃO PAULO 
  27. «CRÍTICA: Escatologia e palavrão em comédia com Danilo Gentili não fazem rir». Folha de S.Paulo 
  28. Interativa, Espiral. «Cineweb - Como se tornar o pior aluno da escola». cineweb.com.br. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  29. Interativa, Espiral. «Cineweb - Como se tornar o pior aluno da escola». cineweb.com.br. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  30. Claudino, Juca. «Crítica | Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Observatório do Cinema». Observatório do Cinema. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  31. Claudino, Juca. «Crítica | Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Observatório do Cinema». Observatório do Cinema. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  32. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Crítica». Omelete 
  33. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Crítica». Omelete 
  34. Claudino, Juca. «Crítica | Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Observatório do Cinema». Observatório do Cinema. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  35. «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola | Crítica». Omelete 
  36. Interativa, Espiral. «Cineweb - Como se tornar o pior aluno da escola». cineweb.com.br. Consultado em 28 de outubro de 2017 
  37. «CRÍTICA: Escatologia e palavrão em comédia com Danilo Gentili não fazem rir». Folha de S.Paulo 
  38. Sousa, Camila (11 de outubro de 2017). «Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola / Crítica». Omelete. Omelete Group. Consultado em 16 de outubro de 2017 
  39. Passos, Karolen (15 de outubro de 2017). «Crítica / Como se Tornar o Pior Aluno da Escola – Comédia politicamente incorreta». CinePOP. Consultado em 16 de outubro de 2017 
  40. Galeano, Mariana (13 de outubro de 2017). «Adaptação do livro de Danilo Gentili apela a cenas escatológicas». Folha de S.Paulo. Grupo Folha. Consultado em 16 de outubro de 2017 
  41. «ESTAMOS SOFRENDO ATAQUES DE ÓDIO POR CAUSA DO DANILO GENTILI». Página oficial do CinePOP no Facebook. 15 de outubro de 2017. Consultado em 16 de outubro de 2017 
  42. «Na polêmica entre Danilo Gentili, Diego Bargas e a "Folha", todos os lados erraram - Jornal Opção». Jornal Opção. 16 de outubro de 2017 
  43. «Jornalista é demitido após entrevista com Danilo Gentili». Jornal do Commercio. Diários Associados. 15 de outubro de 2017. Consultado em 16 de outubro de 2017 
  44. «Humorista e seguidores atacam repórter da Folha em redes sociais». Folha de S.Paulo. Grupo Folha. 16 de outubro de 2017. Consultado em 16 de outubro de 2017 
  45. «Sindicato dos Jornalistas e Fenaj repudiam intimidação e demissão de jornalista, e defendem liberdade de imprensa». Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo. 15 de outubro de 2017. Consultado em 16 de outubro de 2017 
  46. «Filme de Danilo Gentili é investigado por Ministério Público de SP» 
  47. «Filme de Danilo Gentili é investigado por Ministério Público de SP» 
  48. «Filme de Danilo Gentili é investigado por Ministério Público de SP» 
  49. «Filme de Danilo Gentili é investigado pelo Ministério Público de SP». Catraca Livre. 24 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias
Wikidata Base de dados no Wikidata