Empresa Nacional de Navegação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Postal da Empresa Nacional de Navegação a Vapor para a África Portuguesa, 1899
N/T Angola no porto de Lourenço Marques em 1929

A Empresa Nacional de Navegação (ENN) (ou Empresa Nacional de Navegação a Vapor para a África Portuguesa, ou Companhia Nacional de Navegação) foi uma empresa de navegação portuguesa. [1]

História[editar | editar código-fonte]

1881 - 1918[editar | editar código-fonte]

Foi constituída em 1881, mediante contrato com o Governo Português, para efetuar a ligação marítima de Lisboa a Moçâmedes, as ligações entre as ilhas de Cabo Verde e entre estas e a Guiné, por um período de 10 anos.[2] Tinha como acionistas as empresas Bensaude & Cia., Lima, Mayer & Cia. e Ernst George.

A rota dos navios a vapor da ENN tinha escalas nos portos de Porto Alexandre (atual Tombua), Moçâmedes (atual Namibe), Benguela e Novo Redondo (atual Sumbe), São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Lisboa. O regresso fazia-se pela mesma rota.

1918 - 1985 (Companhia Nacional de Navegação)[editar | editar código-fonte]

Em 1918 a empresa foi transformada e passou a ser denominada Companhia Nacional de Navegação (CNN).[3]

Em 1922, perde o monopólio das rotas para as colónias, após a criação da empresa concorrente Companhia Colonial de Navegação, com sede em Angola.

Ao longo da sua existência, a CNN incorporou parte da Sociedade Geral de Indústria Comércio e Transportes (SGCIT) (1919-1972), empresa cuja atividade estava ligada à Companhia União Fabril (CUF) pelo transporte de matérias-primas necessárias e de produtos saídos das unidades fabris dessa empresa.[4]

1985 - 2001 (extinção e liquidação)[editar | editar código-fonte]

Após várias tentativas de reestruturação, a CNN, em simultâneo com a Companhia Portuguesa de Transportes Marítimos (CPTM), foi extinta pelo Decreto-Lei n.º 138/85, de 3 de maio,[5][6] tendo a sua liquidação, após sucessivas prorrogações, sido fixada para 30 de abril de 2001 pelo Decreto-Lei n.º 119/2001, de 17 de abril.[7]

Embarcações[editar | editar código-fonte]

N/T Angola (1881-1909)
N/T África (1905-1932)
N/T Moçambique (1949)
N/T Príncipe Perfeito em 1967

A CNN deteve a maior frota do país, com nove unidades: o "N/T Príncipe Perfeito" (1961), que se constituía no seu navio-almirante, os gémeos "N/T Angola" (1948) e "N/T Moçambique" (1949), o "N/T Niassa" (1955), os irmãos "N/T Índia" (1951) e "N/T Timor" (1951), o "N/T Quanza" (1929),os gémeos "N/T Lúrio" (1950) e o "N/T Zambézia" (1949).

Nestes navios se fez a maior parte do transporte dos contingentes militares, material, funcionários do Estado e portugueses que iam para os antigos territórios portugueses em África Ocidental.[8] Alguns deles faziam ainda as carreiras de África Oriental e do Extremo Oriente.


Lista[editar | editar código-fonte]

Rotas e serviços[editar | editar código-fonte]

Anúncio da CNN, de 1912, com indicação de algumas rotas e navios
Anúncio da CNN, de 1926, com indicação de algumas rotas e navios

1912[editar | editar código-fonte]

1929[editar | editar código-fonte]

  • "Serviço regular entre a Metrópole e a África Ocidental e Oriental Portuguesa"
  • "Saídas de Lisboa em 1 de cada mês para os portos da África Ocidental e Oriental"
  • "Saídas de Lisboa em 15 de cada uma para todos os portos da África Ocidental"

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://restosdecoleccao.blogspot.com/2011/12/companhia-nacional-de-navegacao-cnn.html
  2. Companhia Nacional de Navegação in Associação dos Amigos da Torre do Tombo. Consultado em 22 out 2011.
  3. Companhia Nacional de Navegação in Associação dos Amigos da Torre do Tombo. Consultado em 22 out 2011.
  4. Companhia Nacional de Navegação in Associação dos Amigos da Torre do Tombo. Consultado em 22 out 2011.
  5. Decreto-Lei n.º 138/85, de 3 de Maio — Extingue a CNN - Companhia Nacional de Navegação, E. P., a qual manterá a sua personalidade jurídica, para efeitos de liquidação, até à aprovação final das contas a apresentar pela comissão liquidatária.
  6. Companhia Nacional de Navegação in Associação dos Amigos da Torre do Tombo. Consultado em 22 out 2011.
  7. Decreto-Lei n.º 119/2001, de 17 de Abril — Estabelece o prazo para a comissão liquidatária da CNN - Companhia Nacional de Navegação, E. P., apresentar a conta final de liquidação às tutelas sectorial e financeira e regula alguns aspectos essenciais necessários à finalização do processo de liquidação.
  8. Companhia Nacional de Navegação in Associação dos Amigos da Torre do Tombo. Consultado em 22 out 2011.
  9. http://mala-posta1.blogspot.com/2012/07/angola-s-tome-ambulancias-maritimas.html
  10. http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/search/label/N%2FV%20Louren%C3%A7o%20Marques
  11. a b http://housesofmaputo.blogspot.com/2017/01/shipsofmaputo1917-navios-alemaes.html
  12. http://www.theshipslist.com/ships/lines/woermann.shtml
  13. http://herdeirodeaecio.blogspot.com/2016/11/a-saga-do-paquete-quanza.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]