Companhia de Operações Especiais (PMBA)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Companhia de Operações Especiais
COE300.PNG
Brasão
País  Brasil
Estado Bahia Bahia
Corporação Polícia Militar do Estado da Bahia
Subordinação Batalhão de Choque
Missão Operações especiais
Sigla COE
Criação 1983
Aniversários 27 de janeiro
Comando
Comandante Cel Wellington Rocha Cruz
("Cobra")
Sede
Sede Lauro de Freitas
Endereço Rua Coronel Manoel Messias, s/nº (antiga Fazenda Caji)
Internet Página oficial

Em 27 de janeiro de 1983, orgânico do Batalhão de Polícia de Choque da Polícia Militar do Estado da Bahia, foi criado a COE, Companhia de Operações Especiais. Constitui o último recurso do Estado para preservar vida e aplicar a lei. Opera em ocorrências de alto risco de perda de vidas humanas, especialmente aquelas envolvendo: reféns, artefatos explosivos, marginais de alta periculosidade, localização, identificação e tomada de pontos críticos em situações de seqüestro e outras ocorrências complexas que exijam preparo especial de pessoal, armamento e equipamentos.

A Companhia da Polícia Militar da Bahia é conhecida no meio policial por seus atiradores e por treinar com os soldados do 19º Batalhão de Caçadores do Exército Brasileiro, e por serem pioneiros no investimento para atiradores-de-elite policiais, adquirindo seus raros e famosos fuzis HK PSG-1 que durante muito tempo foram os únicos em operação no país, hoje a Brigada de Operações Especiais do Exército e o Comando de Operações Táticas da Polícia Federal já possuem este fuzil, além de algumas outras unidades táticas de outras orgãnizações espalhadas pelo país.

Em toda a Policia Militar da Bahia a Companhia é a unidade que possui proporcionalmente o maior contigente na Força Nacional de Segurança Pública, seguida pelas unidades de Caatinga, que são maiores em número de policiais na FNSP.

Forma de Ingresso[editar | editar código-fonte]

Mediante aprovação do Curso de Operações Policiais Especiais (COPES), de 16 semanas, ou no Curso de Ações Táticas Especiais (CATE), de 45 dias, onde o candidato deve ter mínimo de 3 anos de polícia e conduta ilibada.

Intercâmbio[editar | editar código-fonte]

A Companhia de Operações Especiais, mantêm constante intercâmbio com outras unidades policiais do Brasil e estrangeiras e figura mesmo que discretamente no cenário nacional. A COE já cooperou e treinou com:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a Bahia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.