Complexo Industrial de Rjukan-Notodden, na região de Telemark

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Complexo Industrial de Rjukan-Notodden, na região de Telemark *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Furnace House A Notodden.jpg
País  Noruega
Tipo Cultural
Critérios ii, iv
Referência 1486
Região** Europa
Coordenadas 59° 52′ 43″ N, 8° 35′ 37″ L
Histórico de inscrição
Inscrição 2015  (39ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

O Complexo Industrial de Rjukan-Notodden é um local classificado como Patrimônio Mundial da UNESCO, localizado em Telemark, Noruega criado a fim de proteger a paisagem industrial em volta do Lago Heddalsvatnet. A paisagem é centrada na planta industrial construído pela Norsk Hydro para a produção de fertilizantes no nitrogênio atmosférico. O complexo também inclui usinas hidrelétricas, sistemas de transporte com ferrovias, linhas de transmissão e fábricas, além de acomodações dos trabalhadores e instituições sociais nas cidades de Notodden e Rjukan.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Na década de 1900 a Noruega experimentou um rápido desenvolvimento industrial graças a disponibilidade de energia hidrelétrica barata. Kristian Birkeland desenvolveu um método de extração de nitrogênio do ar, o que, após uma tentativa inicial em Notodden em 1907, parecia superior às outras tecnologias para produção de fertilizantes. Norsk Hydro foi fundada em 1905, na região de Telemark, uma área agrícola subdesenvolvida e despovoada. Para produzir fertilizantes, seria essencial a construção de fábricas, usinas de energia, infraestrutura para os trabalhadores, bem como construções a fim de facilitar o transporte da produção. Os fertilizantes, o salitre artificial, acabava de ultrapassar o salitre chileno, como o fertilizante mais utilizado.[2]

No início da construção, em 1907, a energia era provida pela Hidrelétrica Svelgfoss, ainda em atividade e que, na época, era a maior da Europa e segunda maior do mundo.[2] Mais duas usinas foram construídas; Vemork, uma delas, chegou a ser a maior do mundo. A construção original da usina foi destruída, durante a Segunda Guerra Mundial, mas a usina ainda está em atividade.[2][3] A usina de Såheim, começou a transformar energia em 1915 e ainda funciona.[2]

Em 1925, cerca de 80% de todas as moradias em Rjukan (1230 no total) eram controladas pela Norsk Hydro.

UNESCO[editar | editar código-fonte]

A UNESCO inscreveu o Complexo Industrial de Rjukan-Notodden como Patrimônio Mundial por "manifestar uma combinação excepcional de áreas industriais associadas à uma paisagem natural. É um exemplo da nova indústria global no começo do Século XX"[4]

Referências

  1. «Rjukan–Notodden Industrial Heritage Site». UNESCO. 5 de julho de 2015. Consultado em 5 de julho de 2015 
  2. a b c d «Rjukan/Notodden and Odda/Tyssedal Industrial Heritage Sites, Hydro Electrical Powered Heavy Industries with associated Urban Settlements (Company Towns) and Transportation System». UNESCO. Consultado em 5 de julho de 2015 
  3. «Hydro's origins have become a World Heritage Site». Norsk Hydro. 5 de julho de 2015. Consultado em 6 de julho de 2015 
  4. Complexo Industrial de Rjukan-Notodden. UNESCO World Heritage Centre - World Heritage List (whc.unesco.org). Em inglês ; em francês ; em espanhol. Páginas visitadas em 24/08/2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]