Complexo Poliesportivo Pinheirão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pinheirão
Nome Complexo Poliesportivo Pinheirão
Características
Local Avenida Victor Ferreira do Amaral, 1930 (Tarumã) - CuritibaPR,  Brasil
Gramado (105 x 76 m)
Capacidade 35.000 pessoas[1]
Construção
Data 1972
Inauguração
Data 15 de Junho de 1985
Partida inaugural Seleção Paranaense 1x3 Seleção Catarinense
Primeiro gol Catatau (Sel. Catarinense)
Recordes
Público recorde 44.475 pagantes
Data recorde 11 de Junho de 1998
Partida com mais público Atlético Paranaense 2-1 Coritiba Foot Ball Club
Final do Campeonato Paranaense de 1998
Outras informações
Fechado 30 de Maio de 2007
Proprietário Entre sua construção e 2012, da Federação Paranaense de Futebol. Após este ano, o terreno foi adquirido pelo empresário João Destro
Arquiteto Arilton Cornelsen

O Complexo Poliesportivo Pinheirão é um estádio multiuso, no município de Curitiba, capital do estado brasileiro do Paraná, que foi propriedade da Federação Paranaense de Futebol[1], até ser arrematado em leilão judicial no ano de 2012. Encontra-se desativado e possivelmente será demolido.[2]

A primeira inauguração ocorreu em 15 de junho de 1985, no jogo disputado entre as seleções dos Estados do Paraná e de Santa Catarina, com o resultado final de 3x1 para a equipe visitante.

História do estádio[editar | editar código-fonte]

O projeto do estádio foi concebido por Airton Cornelsen, com a primeira proposta em 1956 para a construção onde hoje está a Praça Rui Barbosa, no centro de Curitiba. Inicialmente, a capacidade seria para 180 mil torcedores, transformando-o no segundo maior do Brasil, atrás apenas do Maracanã.

A obra só começou a virar realidade em 1968, quando o então prefeito Omar Sabag doou a área de 64.422 metros quadrados em frente ao Jóquei Clube, no Tarumã. A drenagem do solo e construção das primeiras arquibancadas iniciaram em 1972, na administração do então presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), José Milani, mas paralisadas no primeiro anel, devido à falta de recursos, por um período de 13 anos. Nesta nova proposta a capacidade do estádio cairia para 127 mil espectadores[3].

Reinauguração[editar | editar código-fonte]

Coube ao presidente Onaireves Nilo Rolim de Moura, nos seus primeiros três meses à frente da FPF, em 1985, reabrir o estádio, com o jogo Paraná 1 x 3 Santa Catarina. Um ano depois, ganhou um moderno sistema de iluminação.

Nos anos de 1996 e 1997, o Pinheirão recebeu uma moderna pista de atletismo e as gerais da arquibancada foram transformadas em pista de ciclismo.

Complexo Poliesportivo[editar | editar código-fonte]

Apenas em 1989 o Pinheirão começou a tomar sua forma definitiva, com a criação de um conselho de construção. Com a ajuda de empresários, nesta mesma época, o estádio ganha o setor das sociais (segundo anel) e sua capacidade passa a ser 54 mil espectadores, público oficialmente nunca atingido.

Era Atleticana[editar | editar código-fonte]

Entre os anos de 1985 e 1992 o Pinheirão foi a casa do Clube Atlético Paranaense que alugava o estádio da Federação Paranaense de Futebol. Em 1993 o clube resolve retornar ao seu estádio, o Estádio Joaquim Américo Guimarães, conhecido como Arena da Baixada.

Era Paranista[editar | editar código-fonte]

Entre o final da década de 1990 e início do século XXI, o estádio foi a casa do Paraná Clube, que voltou a utilizar a Vila Capanema. Durante este período, a Federação Paranaense de Futebol efetuou grande reforma na estrutura, avançando as arquibancadas cerca de 20 metros em direção ao campo, além da elevação em cerca de 2 metros, em relação as arquibancadas antigas. Como o Paraná Clube mandava seus jogos neste estádio, após a reforma as arquibancadas ganharam as cores paranistas.

Recorde de Público[editar | editar código-fonte]

O recorde de público do Pinheirão se deu na final do Campeonato Paranaense de Futebol de 1998, que ocorreu em 11 de junho de 1998, com a disputa entre Atlético e Coritiba. O resultado foi a vitória do Atlético por 2x1, com público de 44.475 pagantes[4].

Projetos[editar | editar código-fonte]

Havia a possibilidade do estádio ser utilizado na Copa do Mundo de 2014, mas a Arena da Baixada acabou sendo o escolhido. Vários projetos foram apresentados pelo então presidente da Federação Paranaense de Futebol para a modernização e reforma do complexo esportivo, mas a falta de interesse público e de investidores, aliados as inúmeras dívidas da FPF, inviabilizaram a ideia.

No dia 30 de maio de 2007, oficiais da 18ª Vara Cível de Curitiba, atendendo a pedido de credores da Federação, lacraram os portões do estádio, Só com a previdência social o valor girava em torno de R$ 22 milhões e com a prefeitura de Curitiba, pelo não recolhimento do IPTU, a cifra superava a casa dos R$ 8 milhões. O Governo Federal tentou receber esta dívida, através de um leilão realizado em setembro de 2007, mas a FPF conseguiu a anulação e o Grupo Tacla, que havia arrematado o terreno de 124.553 metros quadrados por R$ 11,2 milhões, não recorreu.

Fim da era[editar | editar código-fonte]

Em 28 de junho 2012 o estádio foi novamente leiloado, sendo arrematado pelo empresário João Destro, do ramo atacadista,[5] pelo valor de R$ 57,5 milhões, mas desta vez a Federação Paranaense de Futebol não conseguiu anular o ato.

A última partida ocorreu no dia 11 de março de 2007, quando o Cianorte venceu o J. Malucelli por 2 a 1, pelo Campeonato Paranaense.

Jogos importantes[editar | editar código-fonte]

Os jogos de maior importância do Pinheirão foram amistosos e um jogo oficial da Seleção Brasileira de Futebol, finais de campeonato e alguns jogos internacionais[6].

Ano Status da partida Equipe #1 Placar Equipe #2
1986 Amistoso Brasil Brasil 1 – 1 Flag of Chile.svg Chile
1991 Amistoso Brasil Brasil 1 – 1 Flag of Argentina.svg Argentina
1996 Amistoso Brasil Brasil 2 – 0 Flag of Cameroon.svg Camarões
2003 (19/11) Eliminatórias da Copa Brasil Brasil 3 – 3 Flag of Uruguay.svg Uruguai

Referências