Complexo de Cutabe Minar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pix.gif Cutebe Minar e seus Monumentos, Déli *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Qutab Minar mausoleum.jpg
Complexo de Cutabe
País  Índia
Tipo Cultural
Critérios iv
Referência 233
Região** Ásia e Oceania
Histórico de inscrição
Inscrição 1993  (17ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Cutabe Minar (em hindi: क़ुतुब, em urdu: قطب پرِسر), também escrito Cutube (Qutub) ou Cutebe (Qutb), é um conjunto de monumentos e edifícios localizado em Merauli, Nova Déli, na Índia. A construção do Cutabe Minar foi concebida como uma "Torre da Vitória" em comemoração da vitória de Muizadim Maomé sobre o rei rajapute Prithviraj Chauhan em 1192 AD. Anteriormente, o complexo alojava um conjunto de vinte e sete templos hindus e jainistas que foram demolidos para utilizar material na construção da Mesquita Quwwat-ul-Islam, ao lado do Cutabe Minar, no complexo de Cutabe,[1] que foi construído nas ruínas do Forte Lalcote, construído pelo governante rajapute Tomar Ananguepal, em 739 AD.[2]

O complexo foi ampliado por muitos governantes posteriores, como Firuz Xá Tuguelaque e Aladim Quilji, além dos britânicos.[3] Algumas construções do complexo são o Cutabe Minar, a Mesquita Quwwat ul-Islam, a Porta Alai, o Alai Minar, o pilar de ferro e os túmulos de Iltutemis, Aladim Quilji e Imame Zamim; cercado por ruínas de templos jainistas.[4] Ao todo, o governante islâmico fanático Cobadim Aibaque destruiu os vinte e sete templos hindus e jainistas que existiam no local e reutilizou o material dos edifícios, que foram usados na construção da Mesquita Quwwat-ul-Islam e do Cutabe Minar, conforme diz uma inscrição persa que existe na porta leste interno do complexo.[5]

Hoje, a área adjacente por onde está distribuída uma série de monumentos antigos, incluindo o túmulo de Balbã, é mantida pelo Levantamento Arqueológico da Índia (ASI) como Parque Arqueológico de Mehrauli e o INTACH (Indian National Trust for Art and Cultural Heritage) restaurou cerca de 40 dos monumentos do complexo.[6] O local também sedia todos os anos o "Festival de Cutabe", realizado em novembro e dezembro, onde artistas, músicos e dançarinos fazem apresentações ao longo de três dias. O complexo de Cutabe, com 3,9 milhões de visitantes, foi o monumento mais visitado da Índia em 2006, à frente do Taj Mahal, que atraiu cerca de 2,5 milhões de visitantes.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Javeed, Tabassum (1008). World Heritage Monuments and Related Edifices in India. [S.l.]: Algora Publishing. p. 107. ISBN 0875864821. Consultado em 26 de maio de 2013 
  2. Chandra, Satish (2003). History of architecture and ancient building materials in India. [S.l.]: Tech Books International. p. 107. ISBN 8188305030 .
  3. Page, J. A. (1926) "An Historical Memoir on the Qutb, Delhi" Memoirs of the Archaeological Society of India 22: OCLC 5433409; republished (1970) Lakshmi Book Store, Nova Déli, OCLC 202340
  4. Qutub MinarQutub Minar Govt. of India website.
  5. Qutub Minar. Website do Governo da Índia. Acessado em 26 de maio de 2013
  6. «Discover new treasures around Qutab». The Hindu. 28 de março de 2006. Consultado em 14 de agosto de 2009 .
  7. «Another wonder revealed: Qutub Minar draws most tourists, Taj a distant second». Indian Express. 25 de julho de 2007. Consultado em 13 de agosto de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Complexo de Cutabe Minar