Complexo de Electra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Complexo de Electra define-se como sendo uma atitude emocional que, segundo algumas correntes psicanalíticas, todas as meninas têm para com a sua mãe; trata-se de uma atitude que implica uma identificação tão completa com a mãe que a filha deseja, inconscientemente, eliminá-la e possuir o pai.[1]

Sigmund Freud referia-se a ele como Complexo de Édipo feminino, tendo Carl Gustav Jung dado o nome "Complexo de Electra", baseando-se no mito grego de Electra, filha de Agamemnon, a qual quis que o irmão se vingasse da morte do pai de ambos matando, por fim, sua mãe Clitemnestra. Freud rejeitava o uso de tal termo por este enfatizar a analogia da atitude entre os dois sexos.

O complexo de Electra é, muitas vezes, incluído no complexo de Édipo, já que os princípios que se aplicam a ambos são muito semelhantes.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Complexo de Electra». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 31 de maio de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre psicanálise é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Portal A Wikipédia possui o
Portal de Psicologia