Compositor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dietrich Buxtehude, retratado no acto de composição musical.

Compositor (feminino: compositora) é um profissional que escreve música. Normalmente o termo se refere a alguém que utiliza um sistema de notação musical que permita a sua execução por outros músicos. Em culturas ou gêneros musicais que não utilizem um sistema de notação, o termo compositor pode-se referir ao criador original da música. Nesse caso, a transmissão para outros intérpretes é feita por memorização e repetição. Em geral, o compositor é o autor da música e, como tal, é o detentor dos direitos autorais. Atualmente as composições musicais são defendidas pela legislação de direitos autorais. Existem editoras especializadas em música e o compositor ou detentor dos direitos da composição recebem royalties sempre que uma nova gravação comercial ou execução pública é realizada.[1]

Compositor na música erudita[editar | editar código-fonte]

Na Música Erudita, o compositor é um músico altamente treinado na teoria musical e normalmente é responsável, além da criação da partitura original, também pelos arranjos para a instrumentação ou para as vozes desejadas. No início do desenvolvimento da música erudita na Europa, a função do compositor não era muito valorizada. O intérprete tinha liberdade para alterar a composição como desejasse, acrescentando improvisações, ou mesmo misturando partes de composições diferentes. À medida que a música se tornou mais complexa, o compositor passou a ser associado à sua obra e ter mais controle sobre a execução de suas composições. A música escrita passou a ser encarada como um conjunto de instruções estritas das quais o intérprete não se deve desviar. O valor da interpretação da música erudita hoje em dia diz muito mais respeito à expressão que à improvisação. Para permitir que os intérpretes demonstrem virtuosismo, a maioria dos compositores, a partir do período clássico, passou a deixar momentos específicos na partitura onde o intérprete pode improvisar como desejar (cadenza), desde que o restante da composição seja respeitado.[2]

Música popular[editar | editar código-fonte]

Na música popular, o compositor escreve a música para canções (e, às vezes, também as letras). A composição não é tão rígida como na música erudita, e admite-se (e, até, espera-se) a improvisação. Em muitos casos, a música é adaptada para a instrumentação do grupo musical que a executará pelo arranjador, um músico especializado nessa tarefa. Em certos gêneros, como o Jazz, nem essa etapa é necessária, e os músicos criam o arranjo durante a execução, improvisando livremente sobre os temas elaborados pelo compositor.[3]

Termos relacionados[editar | editar código-fonte]

Em português, o termo "compositor" refere-se a qualquer gênero musical, erudito ou popular, mas em algumas outras línguas (como o inglês e o alemão) existe um termo específico para o compositor de canções populares (songwriter, em inglês, ou liedermacher, em alemão). Existem termos correspondentes em português como "cancionista" ou "cancionetista"; mas, ainda assim, este é comumente chamado de "compositor popular", "compositor de canções", "compositor de letra e música" ou "autor", simplesmente. Aquele que também interpreta suas próprias canções é chamado de "cantor e compositor" ou "cantautor". O escritor de letras de música também é chamado "letrista".[4]

Data[editar | editar código-fonte]

A 15 de Janeiro celebra-se o Dia Mundial do Compositor.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal da Música Erudita

Referências

  1. GROVE, Dicionário de música. Jorge Zahar Ed.. Rio de Janeiro, 1994
  2. MASSIN, Jean e Brigitte. História da música ocidental. LTC Editora. Rio de Janeiro, 1997
  3. BENNETT, Roy. Elementos básicos da música. Jorge Zahar Ed. Rio de Janeiro, 1998
  4. Dourado, Henrique Autran. Dicionário de Termos e Expressões da Música. Sestante. São Paulo, 1992