Comunicação social

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Ciências sociais.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para reciclagem desde julho de 2010.

A comunicação social é uma ciência social aplicada, cujo objeto tradicional de estudo são os meios de comunicação de massa[1] (também chamados mass media ou simplesmente "média" ou "mídia"), principalmente o jornalismo ou imprensa e a comunicação organizacional (publicidade, propaganda, relações públicas, comunicação de marketing)[2] de empresas e de organizações governamentais ou não-governamentais. A comunicação objeto da comunicação social diferencia-se, portanto, da comunicação que é objeto de ciências como a psicologia, a linguística ou a antropologia, sem que se possa negar a existência de interseções entre esses domínios.

Os meios de comunicação de massa mais frequentes são o jornal, a televisão, o rádio, o cinema e a internet. Didaticamente, poderia-se simplificar as atribuições dos diversos profissionais da seguinte forma: os jornalistas atuam com as notícias, os publicitários ou propagandistas atuam com os anúncios e os relações públicas com a relação entre a sua organização e a sociedade. Não obstante, a interdisciplinariedade e a convergência têm se ampliado progressivamente nessa área.

A pesquisa científica em comunicação social mantém diálogos frequentes com a antropologia, com a sociologia,[3] com a linguística, com a psicologia, com a ciência da informação, com a administração de empresas, com as artes visuais, com a música e com as artes cênicas. A partir do advento da internet, ampliou-se também o diálogo acadêmico entre a comunicação social, a ciência da informação e a ciência da computação.

Os fenômenos tecnológicos relacionados à transmissão e à recepção das mensagens pelos meios de comunicação de massa são um domínio de conhecimento distinto da comunicação social. Esses fenômenos são objeto de estudo das engenharias, em especial dos profissionais de telecomunicações.

Habilitações / especialidades[editar | editar código-fonte]

Os profissionais formados em comunicação social podem ser habilitados nas seguintes especialidades:

No Brasil, a comunicação social não foi regulamentada como uma única profissão, havendo diversas regulamentações em separado, como jornalistas, relações públicas ou radialistas e com algumas especializações ou habilitações ainda não regulamentadas.

Campo profissional[editar | editar código-fonte]

  • Agências de publicidade
  • Produtoras de áudio ou vídeo
  • Assessoria de imprensa
  • Veículos de comunicação: rádio, televisão, jornal, cinema e internet
  • Estúdios de design gráfico
  • Gráficas e editoras
  • Pesquisa de mercado

Referências

  1. Do Rosário Medina, Daniel. Mediatização da comunicação política. Media, política e comunicação - a negociação do poder. Univ Santiago de Compostela, 2006. pp. 143.
  2. Torquato do Rego, Francisco Gaudêncio. Jornalismo empresarial: teoria e pratica. Summus Editorial, 1984. pp. 12. ISBN 8532301878.
  3. Conselho Federal de Educação. Currículos mínimos dos cursos superiores. Editora da URGS, 1971. pp. 41.