Comunidade LGBT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A comunidade LGBT é definida pela reunião de grupos socialmente marginalizados e alvo de preconceitos, excluídos da representatividade social, sendo eles: lésbicas, gays, bissexuais, drag queens, assexuais, pansexuais e transexuais. Seu movimento prega a liberdade do direito constitucional de serem assistidos pelo governo e socialmente tratados como cidadãos de bem. Reunem-se em organizações LGBT, onde implementam sua cultura própria, através de gírias e vestimentas, objetivando implementar suas subculturas no espaço urbano, unidos por uma cultura comum em movimentos de direitos civis.[1] Estas comunidades geralmente celebram o orgulho, a diversidade, a individualidade e a sexualidade.

Ativistas LGBT e sociólogos[quem?] vêm as construções LGBT na comunidade como um antídoto para os papeis sociais de gênero, heterossexismo, bifobia, homofobia, transfobia, lesbofobia, sexo-negatividade e as pressões conformistas existentes na sociedade em geral.

O termo Orgulho LGBT é a expressão usada para expressar a identidade da comunidade LGBT e a sua força colectiva; as paradas do Orgulho LGBT fornecem um exemplo da primeira utilização e demonstração do significado geral do termo. A comunidade LGBT é diversa em todas as suas características, mas unida por alguns objetivos em comum.[2]

Os grupos que podem ser considerados parte da comunidade LGBT incluem os bairros gay, as organizações de direitos LGBT[3], grupos de funcionários LGBT em empresas, grupos de estudantes LGBT nas escolas e universidades, e LGBT em grupos religiosos.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Simbologia LGBT

As comunidades LGBT adoptaram diversos símbolos com os quais se identificam e são identificados, demonstrando união, orgulho e partilha de valores. Os símbolos LGBT comunicam, ainda, ideias, conceitos e identidade. Os símbolos mais reconhecidos são o triângulo rosa e a bandeira do orgulho gay.[4]

De acordo com Gilbert Baker, criador da bandeira conhecida como bandeira do orgulho LGBT, tem representado em cada uma de suas cores os aspectos listados:

  • rosa - sexualidade
  • vermelho - vida
  • laranja - cura
  • amarelo - sol
  • verde - natureza
  • azul - arte
  • violeta - espírito

Referências

  1. Karpinski, Juliana (19 de junho de 2008). Mendonça, Thaíse, ed. «Comunidade LGBT tem acesso a 37 direitos a menos, diz especialista». Jornal Comunicação. Arquivado do original em 11 de maio de 2009  |wayb= e |arquivodata= redundantes (ajuda); |wayb= e |arquivourl= redundantes (ajuda)
  2. «Crítica: Documentário traz à tona diversidade da comunidade LGBT». Folha de S.Paulo. 16 de agosto de 2018. Consultado em 30 de março de 2019 
  3. «What do we do?». Human Rights Campaingn. Consultado em 12 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2008 
  4. «Symbols of the Gay, Lesbian, Bisexual, and Transgender Movements». The lambda. Consultado em 12 de janeiro de 2019. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2012  |wayb= e |arquivodata= redundantes (ajuda); |wayb= e |arquivourl= redundantes (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre LGBT é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.