Conde Drácula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Drácula (desambiguação).
Conde Drácula
Personagem ficcional de Drácula (1897)
Bela Lugosi as Dracula, anonymous photograph from 1931, Universal Studios.jpg
Béla Lugosi como Conde Drácula no filme de 1931
Criado(a) por Bram Stoker
Descrição ficcional
Nome original Vlad Dracula
Outro(s) nome(s) Nosferatu, D.[1]
Sexo masculino
Origem Sículos, Transilvânia, Romênia
Espécie vampiro, morto-vivo, lobo,[2][3] transmorfo
Ocupação conde
Características dentes pontiagudos, palidez, aversão a luz solar e a objetos religiosos
Amigo(s) noivas do Drácula
Inimigo(s) Abraham Van Helsing
Aparições
Primeira aparição Drácula

Conde Drácula (ou simplesmente Drácula) é um personagem fictício que dá título ao romance de horror gótico escrito por Bram Stoker em 1897. O personagem é o mais famoso vampiro da ficção, e segundo o Guiness Book, o monstro e vilão fictício com maior número de aparições na mídia, diretas ou indiretas.[4] O personagem também é creditado no romance como um dos precursores da origem das lendas sobre lobisomens.[5]

Inspiração[editar | editar código-fonte]

O Conde Drácula pode ter sido inspirado no voivoda (príncipe) Vlad Țepeș (Vlad III), que nasceu em 1431 e governou grande parte do território que corresponde à atual Romênia. Nessa época, a Romênia estava dividida entre o mundo cristão e o mundo muçulmano (Império Otomano). Vlad III ficou conhecido pela barbaridade com que tratava seus inimigos. Embora não fosse um vampiro, sua crueldade alimentava o imaginário de modo que logo passou para o conhecimento popular como um vampiro.[carece de fontes?]

O pai de Vlad III, Vlad II, era membro de uma sociedade cristã romana (de Roma) chamada Ordem do Dragão, criada por nobres da região para defender o território da invasão dos turcos otomanos. Por isso Vlad II era chamado de Dracul (dragão), e, por consequência, seu filho passou a ser chamado Draculea (filho do dragão) — a terminação "ea" significa filho. A palavra “dracul”, entretanto, possuía um segundo significado (“diabo”) que foi aplicado aos membros da família Draculea por seus inimigos e possivelmente também por camponeses supersticiosos.[carece de fontes?]

Também dizem as lendas que um dia Vlad viu um aldeão com a camisa toda suja e lhe perguntou se sua esposa era saudável. O aldeão respondeu que sim e sua mulher teve ambas as mãos decepadas; e Vlad arrumou outra esposa para o aldeão e lhe mostrou o que acontecera com a antiga, para que servisse de exemplo. Vlad tinha prazer em comer em frente a suas vítimas com os corpos empalados, ouvindo seus gritos de agonia.

Muitos desses feitos levam a crer que Vlad III é a principal inspiração para o personagem. A crença de que conde Drácula é um morto-vivo veio de um fato que em uma de suas muitas batalhas ele levou um forte golpe na cabeça, que o deixou em coma. Depois de ver o seu líder cair seus homens bateram em retirada levando consigo seu corpo e antes da fuga ser realizada, Vlad III acordou do coma como se nada tivesse acontecido e logo depois de recobrar os sentidos retornou à batalha levando seu exército à vitória e a uma de suas mais sangrentas batalhas, criando assim a crença que ele havia retornado dos mortos como um morto vivo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A biografia do Drácula muda conforme a adaptação de sua obra, todavia sempre há em comum que ele: "Na Idade Média, foi um conde da Transilvânia, que após a sua morte se tornou um vampiro e assolou a Inglaterra séculos depois.

Aparições em mídias e cultura popular[editar | editar código-fonte]

Capa de Dracula's Guest, uma coleção de contos de autoria de Bram Stoker

Literatura e filmes[editar | editar código-fonte]

Jogos[editar | editar código-fonte]

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Séries de TV/séries animadas[editar | editar código-fonte]

  • No seriado comédia The Munsters (Os Monstros), o personagem conhecido como "Vovô" identifica-se ao menos uma vez como tendo sido o verdadeiro Conde Drácula.
  • Dracula: The Series, uma série norte-americana de 1990 que teve apenas 21 episódios e chegou a ser exibida no Brasil pela TV Globo. Mostrava a trajetória dum garoto descendente de Van Helsing e seus amiguinhos, que caçavam Drácula.
  • Em Buffy the Vampire Slayer, Drácula aparece no primeiro episódio da quinta temporada e em algumas edições da oitava temporada (em HQ).
  • A personagem Draculaura, de Monster High, é filha de Drácula.
  • A série Drácula, a mais recente série americana sobre o personagem, foi criada em 2013.
  • Na série Chica Vampiro, Ana McLaren era filha do Conde Drácula.

Anime/mangá[editar | editar código-fonte]

  • Don Drácula de Osamu Tezuka, uma paródia.
  • Dracula: Sovereign of the Damned, que, apesar de anime, foi baseado nos quadrinhos da Marvel, The Tomb of Dracula.
  • Drácula, uma série de quadrinhos brasileira escrita por Ataíde Brás e desenhada em estilo mangá por Neide Harue.[6]
  • Hellsing, anime no qual Drácula (que na história se chama Alucard, um anagrama para Drácula) é o protagonista.

Telenovelas brasileiras[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Stoker, Bram. Dracula (PDF). Ch 23, Dr Seward's Diary: [s.n.] p. 436. 'Look out for D. He has just now, 12:45, come from Carfax hurriedly and hastened towards the South. 
  2. Stoker, Bram. Dracula (PDF). [S.l.: s.n.] pp. 9, 42 
  3. Stoker, Bram. Dracula's Guest (PDF). [S.l.: s.n.] p. 11. A wolf--and yet not a wolf!" another put in shudderingly. "No use trying for him without the sacred bullet. 
  4. Guto Souza (3 de janeiro de 2020). «Drácula: Dissecando a criatura mais popular da cultura pop». Feededigno. Consultado em 21 de outubro de 2021 
  5. Stoker, Bram. Dracula (PDF). Ch 3, Johnathon Harker's Journal: [s.n.] p. 42. 'We Szekelys have a right to be proud, for in our veins flows the blood of many brave races who fought as the lion fights, for lordship. Here, in the whirlpool of European races, the Ugric tribe bore down from Iceland the fighting spirit which Thor and Wodin gave them, which their Berserkers displayed to such fell intent on the seaboards of Europe, aye, and of Asia and Africa too, till the peoples thought that the werewolves themselves had come. 
  6. Rodrigo Emanoel Fernandes (27 de maio de 2008). «Relembre (ou conheça) Drácula - A Sombra da Noite». Universo HQ. Consultado em 4 de março de 2010. Arquivado do original em 31 de dezembro de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]