Conflito entre Quirguistão e Tajiquistão em 2021

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Conflito entre Quirguistão e Tajiquistão em 2021
Conflitos pós-soviéticos
Exklaven von Usbekistan, Tadschikistan und Kirgisistan.png
Mapa mostrando as fronteiras entre o Quirguistão (vermelho) e o Tajiquistão (laranja).
Data 28 abril 2021 (2021-04-28) – 1 maio 2021 (2021-05-01)[1]
Local Fronteira Quirguistão-Tajiquistão
Desfecho cessar-fogo[1]
Beligerantes
 Tajiquistão  Quirguistão
Comandantes
Unidades
Baixas
19 mortos
Vários feridos
36 mortos
154 feridos
Mais de 40.649 civis quirguizes deslocados
(a partir de 6 de maio)[2][3]

O conflito Quirguistão-Tajiquistão de 2021 foi um conflito de fronteira que começou entre o Quirguistão e o Tajiquistão em 28 de abril. Os eventos relacionados ao início do conflito foram contestados, mas supostamente começaram devido a uma antiga disputa pela água entre os dois países da Ásia Central.[4][5] Pelo menos 48 pessoas foram mortas nos eventos e mais de 33.000 civis foram deslocados.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

O conflito entre o Quirguistão e o Tajiquistão, que são membros da Organização de Cooperação de Xangai e da Organização do Tratado de Segurança Coletiva, eclodiu depois que o ministro da Defesa russo, Sergey Shoygu, chegou à capital do Tajiquistão, Duxambé. Os residentes locais tajiques pretendiam assumir o controle do sistema de distribuição de água no rio Ak-suu, ademais o conflito começou com a insatisfação da população local quirguiz em relação à instalação de câmeras de vigilância pelas forças tajiques. Especialistas políticos estrangeiros afirmam que o presidente do Quirguistão instigou o conflito ao oferecer a troca de terras quirguizes ao longo da fronteira do Tadjiquistão com o enclave de Voruque. Este anúncio oficial foi feito pelo recém-eleito presidente do Quirguistão, sem consultar as autoridades tajiques, que os pressionaram a se preparar em caso de emergência. Além disso, os militares quirguizes iniciaram seu treinamento oficial em Batken, perto da fronteira entre o Tajiquistão e o Quirguistão.[6]

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Abril[editar | editar código-fonte]

Região de Batken, no Quirguistão

Em 28 de abril, as forças do Tajiquistão e do Quirguistão começaram os confrontos na fronteira entre ambos os países, perto de Kök-Tash, Leilek, resultando em quatro mortes e dezenas de feridos.[7] No dia seguinte, os confrontos recomeçaram, com relatos de incidentes na aldeia quirguiz de Kok-Terek e algumas outras aldeias no distrito de Leilek,[8] e com pelo menos 41 pessoas mortas de ambos os lados e cerca de 10.000 pessoas evacuadas.[9][10] No mesmo dia, os ministros das Relações Exteriores do Tajiquistão e do Quirguistão concordaram com um cessar-fogo na fronteira.[11] Em 30 de abril, o Tajiquistão reconheceu o cessar-fogo em um comunicado publicado por seu serviço de informação estatal.[12] No entanto, o cessar-fogo foi quebrado duas vezes pelos tajiques durante o conflito, incluindo a noite de 29 de abril.[13]

Maio[editar | editar código-fonte]

Em 1 de maio, o presidente do Quirguistão, Sadyr Japarov, assinou um decreto que declara um luto nacional de dois dias,[14] acusando o Tajiquistão de reforçar as tropas e equipamento militar na fronteira. O Quirguistão também acusou as forças tajiques de abrir fogo contra veículos quirguizes na área, enquanto um porta-voz tajique falando de Duxambé declarou que o país estava aderindo ao cessar-fogo e a retirada das tropas.[15] Musurmanbek Tursumatov, representante do administrador regional da região de Batken, disse que as forças tajiques bloquearam a estrada Osh-Batken-Isfana para Voruque, apesar do cessar-fogo entrar em vigor.[16] No mesmo dia, os dois países também concordaram com um novo cessar-fogo após novos confrontos menores, que incluem a retirada de tropas da fronteira. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, exortou os dois países a honrar o novo acordo.[17][18]

Em 2 de maio, cerca de 33.388 civis no Quirguistão foram evacuados da região de Batken, perto da fronteira.[2] O Ministério do Interior do Quirguistão e do Tajiquistão informaram que a situação na fronteira é estável e calma. No entanto, um foguete ar-terra não detonado foi descoberto mais tarde em uma casa perto da fronteira em Batken.[19]

Em 3 de maio, os dois países concluíram a retirada das tropas da fronteira.[20] O Presidente do Tajiquistão Emomali Rahmon também ordenou que todos os edifícios residenciais destruídos em Chorku sejam restaurados.[21] Em 6 de maio, o Ministério de Situações de Emergência informou que 136 casas e 84 instalações na região de Batken foram destruídas.[22]

Vítimas[editar | editar código-fonte]

Durante o conflito de quatro dias, pelo menos 46 pessoas foram mortas: 34 morreram no Quirguistão e 12 no Tajiquistão. Pelo menos 163 pessoas ficaram feridas no Quirguistão. Mais de 33.000 pessoas foram evacuadas da área onde o conflito estava ocorrendo.[2][9][10]

O Ministério da Saúde e Desenvolvimento Social do Quirguistão declarou que, em geral, militares e civis foram mortos nos confrontos. Também afirmou que a maioria dos mortos e feridos eram civis. Algumas das mortes de civis ocorreram quando os aldeões quirguizes fugiram de suas casas em pânico sob o fogo dos morteiros tajiques. Entre os mortos estavam uma menina e sua mãe, que, de acordo com os relatórios quirguizes, foram baleadas. Em 3 de maio, o número de mortos no Quirguistão chegou a 36 depois que um menino de quatro anos foi morto. O Tajiquistão também admitiu que há mortes do seu lado nos confrontos.[23][24] Em 4 de maio, o número de tajiques mortos na fronteira aumentou para 19, incluindo oito guardas de fronteira e um oficial da OMON (unidade especial de polícia).[25] Em 5 de maio, o número de mortos durante os confrontos chegou a 55.[26]

Crimes[editar | editar código-fonte]

Em 30 de abril, a Human Rights Watch relatou que tajiques armados em trajes civis incendiaram todas as 17 casas no vilarejo de Kok-Terek no Quirguistão, e outras moradias foram incendiadas ou destruídas em vários vilarejos no distrito de Leilek. As autoridades quirguizes também afirmaram que uma escola foi incendiada.[8] Em 2 de maio, o Ministério do Interior do Quirguistão lançou 11 investigações criminais sobre os eventos na fronteira.[27] Em 3 de maio, o gabinete do procurador-geral do Tajiquistão lançou uma investigação criminal contra militares e cidadãos quirguizes por “desencadear uma guerra agressiva”.[28] A Procuradoria-Geral do Quirguistão abriu um processo sobre o crime contra a paz em 30 de abril e acusou as Forças Armadas do Tajiquistão de invadir o país e confiscar seu território soberano.

Referências

  1. a b «Kyrgyzstan, Tajikistan agree ceasefire after border clashes». Reuters. 1 de Maio de 2021 
  2. a b c «33,388 Kyrgyzstanis evacuated from conflict zone in Batken». Trend.Az. 2 de Maio de 2021 
  3. Situation at border: Over 40,000 people evacuated from conflict zone
  4. «Kyrgyzstan, Tajikistan forces exchange gunfire in worst border flareup in years | Eurasianet». eurasianet.org (em inglês) 
  5. Staff, Reuters (29 de Abril de 2021). «Kyrgyz, Tajik security forces clash at border in water dispute». Reuters 
  6. «Kyrgyz president attends Security 2021 and Formation South 2021 military exercises». Kabar News Agency’s. 3 de abril de 2021 
  7. «Four die as Tajikistan and Kyrgyzstan armies clash on disputed border». The Guardian. Associated Press. 29 de Abril de 2021 
  8. a b Pedneault, Jonathan; Sultanalieva, Syinat (30 de Abril de 2021). «Civilians Harmed in Kyrgyzstan, Tajikistan Border Clashes». Human Rights Watch 
  9. a b «Kyrgyzstan-Tajikistan: Images of destruction after border clashes». BBC 
  10. a b News, The Bharat Express (30 de Abril de 2021). «Over 40 dead in Tajikistan-Kyrgyzstan border clash» 
  11. «Kyrgyzstan, Tajikistan agree to ceasefire». TASS. 29 de Abril de 2021. Foreign Ministers of Kyrgyzstan and Tajikistan agreed to a ceasefire at the border starting on 20:00 local time (17:00 Moscow time) April 29, Kyrgyz Foreign Ministry announced Thursday. 
  12. «Deadly fighting on Kyrgyzstan-Tajikistan border kills at least 31». 30 de Abril de 2021 – via www.bbc.co.uk 
  13. «Cease-Fire Between Kyrgyzstan, Tajikistan Holding After Deadly Border Clashes». RadioFreeEurope/RadioLiberty 
  14. «Kyrgyzstan declares two-day nationwide mourning for border clash victims». TASS 
  15. «Kyrgyzstan accuses Tajikistan of amassing troops near border». Reuters. Cópia arquivada em 1 de Maio de 2021. Kyrgyzstan accused neighbour Tajikistan on Saturday of building up troops and military equipment near their border, following clashes on Thursday in which 41 people were killed and more than a hundred wounded. 
  16. «Tajikistan blocks Osh-Batken-Isfana road, demands to reopen road to Vorukh enclave». AKIpress News Agency. 1 de Maio de 2021. Cópia arquivada em 1 de Maio de 2021. The Tajik side blocked Osh-Batken-Isfana road in Tort-Kocho area and demanded to reopen the road to Vorukh enclave, Batken region administration's representative Musurmanbek Tursumatov told Turmush. [...] The road was blocked since around 10.00 a.m. of May 1 despite the agreement reached on reopening of the road on April 30. 
  17. «Kyrgyzstan, Tajikistan agree new ceasefire after border clashes». www.aljazeera.com 
  18. «Heads of Kyrgyz, Tajik national security committees agree to stop fire, withdraw troops». Trend.Az. 1 de Maio de 2021 
  19. «Cease-Fire Said Holding After Worst Violence In Decades On Kyrgyz-Tajik Border». RadioFreeEurope/RadioLiberty 
  20. «Kyrgyzstan, Tajikistan completing withdrawal of troops from border». news.am 
  21. «Tajik leader orders to restore destroyed residential buildings in Chorkuh at the expense of the state | Tajikistan News ASIA-Plus». asiaplustj.info 
  22. 136 houses and 84 objects destroyed. Damage to Batken being calculated
  23. «Kyrgyzstan's death toll in Kyrgyz-Tajik border conflict rises to 36». akipress.com 
  24. «In first admission, Tajikistan concedes deaths in recent clashes». www.aljazeera.com 
  25. «The number of Tajiks killed in recent clashes along the Tajik-Kyrgyz border updated». Asia-Plus. 4 de maio de 2021 
  26. «Death toll rises to 55 from Kyrgyz-Tajik border clashes». www.aa.com.tr 
  27. «Kyrgyz Interior Ministry launches 11 criminal probes into Kyrgyz-Tajik border events». akipress.com 
  28. «Tajikistan launches criminal case against Kyrgyzstan for unleashing a war». news.am