Congresso Nacional (edifício)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde março de 2014). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Congresso Nacional
Congresso Nacional
Estilo dominante Arquitetura moderna brasileira
Arquiteto Oscar Niemeyer
Engenheiro Joaquim Cardoso
Inauguração 1960 (56 anos)
Local Brasília, DF,
Brasil Brasil
Endereço Praça dos Três Poderes, Brasília, DF

Palácio do Congresso Nacional é o nome não oficial do Palácio Nereu Ramos. Construído para abrigar o Congresso Nacional do Brasil, inaugurado em 1960, foi projetado por Oscar Niemeyer, com cálculo estrutural de Joaquim Cardoso.[1] É um dos três edifícios monumentais que definem a Praça dos Três Poderes, sendo os demais o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal, também de sua autoria. É considerado como o maior símbolo da capital do Brasil, além de referido frequentemente como o ícone do próprio país, no exterior.

Sobre um bloco-plataforma horizontal encontram-se dispostos uma semiesfera à esquerda (assento do Senado), um hemisfério à direita (assento da Câmara dos deputados) e, entre ambas, duas torres gêmeas de escritórios (o chamado "Anexo 1"), que se elevam a cem metros de altura. O congresso ocupa também outros edifícios vizinhos, alguns deles interconectados por um túnel.

O edifício é implantado em continuidade ao eixo monumental, a principal avenida da capital brasileira, conforme concebido por Lúcio Costa. À sua frente encontra-se um grande gramado, usado pela população como palco de passeatas, protestos e outras manifestações públicas. Na parte posterior do edifício encontra-se a Praça dos Três Poderes.

O projeto segundo o criador[editar | editar código-fonte]

O Congresso e sua iluminação noturna.
Após uma chuva, observa-se o Congresso sob um arco-íris.

Significado[editar | editar código-fonte]

A cúpula côncava, o Senado Federal.
A cúpula convexa, a Câmara dos Deputados.

Poeticamente, as cúpulas que compõem a marca registrada do edifício não estão posicionadas de tal forma por acaso. O Senado, que encontra-se abaixo da cúpula côncava (virada para baixo, esquerda), pretende transmitir e prevalecer a reflexão, a ponderação, o equilíbrio e o peso da experiência (já que o mandato dos senadores é de 8 anos) àqueles que o seu interior ocupar; também pode representar a mais alta "cúpula" do país, sendo aquela que irá validar as regras e leis da nação. Já a cúpula convexa (virada para cima, direita), localizada acima da Câmara dos Deputados, é maior e mais aberta; seu vértice vasto está aberto a todas as ideias e ideologias, tendências, anseios e opiniões que compõem o povo brasileiro, representados no interior do edifício pelos deputados.

Tombamento[editar | editar código-fonte]

Em 2007, ano em que Niemeyer completou 100 anos, o Iphan tombou o edifício do Congresso Nacional e outras 34 edificações de sua autoria.[3]

Notas

  1. «A poesia concreta de Joaquim Cardozo». VEJA. Consultado em 19 de janeiro de 2014.  line feed character character in |titulo= at position 19 (Ajuda)
  2. [1]
  3. [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Congresso Nacional (edifício)