Conjunto Ceará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Conjunto Ceará
  Bairro do Brasil  
Mapa de Fortaleza com destaque para o bairro.
Mapa de Fortaleza com destaque para o bairro.
Localização
Distrito Secretaria Executiva Regional (SER) V
Município Fortaleza
Cidades gêmeas
Outras informações
Limites Norte e Leste: Genibaú
Sul: Granja Portugal e Granja Lisboa
Oeste: Parque Albano, Jurema e Araturi (todos no município de Caucaia)
Subprefeitura Secretaria Executiva Regional (SER) V
Fonte: Não disponível

O Conjunto Ceará é o 30º bairro mais populoso da cidade de Fortaleza.[1] Sendo este, projeto da Companhia de Habitação do Ceará no fim da década de 1970,[2] o bairro foi idealizado utilizando o conceito urbanístico de unidade de vizinhança, de Clarence Perry,[3] e inaugurado em 1977.

A estrutura do Conjunto Ceará, com o passar dos anos, se tornou expressiva, possibilitando com que este fosse classificado como o 53º bairro no Índice de Desenvolvimento Humano da capital cearense.[4] Ademais, de acordo com o Projeto de Desenvolvimento Comunitário do Conjunto Ceará (Prodecom), o bairro possuí, atualmente, entorno de 700 estabelecimentos, como comércios, lanchonetes e prestação de serviços.[5] Porém, o bairro também é formado por diversas escola públicas estaduais e municipais, Delegacia de Polícia Civil, Quartel da Polícia Militar, Quartel dos Bombeiros, Hospital Distrital, Posto de Saúde, pelo Terminal do Conjunto Ceará, Vila Olímpica, Projeto ABC dentre outros equipamentos. O Bairro possui a terceira melhor condição de infraestrutura domiciliar de Fortaleza. [6]

História[editar | editar código-fonte]

O Conjunto Ceará foi criado durante o Golpe de Estado brasileiro.[7] Nesta época, o Brasil passava por um crescimento vertiginoso da desigualdade social[8] e da crise habitacional[9] levando os militares a criarem o Banco Nacional de Habitação, com a intenção de "estimular a construção de habitações de interesse social e o financiamento da aquisição da casa própria, especialmente pelas classes da população de menor renda" (Lei nº 4.380/1964)[10].

Foi nessas circunstâncias políticas, que os municípios e estados começaram a criar órgãos especializados. No Ceará, houve a criação da Companhia de Habitação do Ceará (COHAB-CE),[7] que projetou no fim da década de 70 o espaço habitacional Conjunto Ceará e entregou em 1977, através do Coronel Adauto Bezzerra, 996 casas padronizadas. Segundo Evaldo Lima, a área destinada ao Conjunto Ceará era de propriedade de um rico latifundiário, o senhor Bezerrinha, também proprietário das terras da Bezerra de Menezes. A região onde hoje estão localizadas a primeira e a segunda etapa era chamada de Estiva, enquanto nas proximidades do canal onde hoje está localizada a quarta etapa era a conhecida como Veneza.[3]

O bairro possuía 6 tipos de imóveis, do tipo A,B,C,D e E. As casas se diferenciavam em tamanho e em números de cômodos e foram divididas entre a população através da analise de renda.[11] O Conjunto Ceará foi projetado com doze unidades de vizinhanças (UV), cada unidade equivalia a cem residências, e possuíam um colégio público como referencia. Hoje há também uma outra divisão no bairro, sendo eles: Conjunto Ceará I e II, que divide o conjunto ao meio.

Ainda segundo Evaldo Lima, "a vida dos primeiros habitantes da região não foi fácil. O Conjunto não tinha calçamento, moravam distantes das áreas centrais, sofriam o abandono do poder público com carências de escolas, postos de saúde, áreas de lazer e com um deficiente sistema de transportes coletivos em um conjunto que nem tinha calçamento".[2]

Dias Atuais[editar | editar código-fonte]

Em 1988, o conjunto ceará voltou a ter uma importância histórica para Fortaleza, foi graças aos votos da população desse bairro que Ciro Gomes foi eleito prefeito de Fortaleza. E este já eleito realizou importantes melhorias no Conjunto. O Bairro por muitos anos ficou conhecido como “território político” do Ciro Gomes.

Apesar de estar situado na periferia da cidade de Fortaleza, o Conjunto Ceará possui 13 escolas (municipais e estaduais), 1 hospital distrital, um Polo de lazer, bancos, delegacias, um terminal de ônibus, um quartel do corpo de bombeiros, um posto do Detran, um quartel da polícia militar, bancos, escolas, delegacia e diversas opções de lazer.[11]

O Polo de Lazer Luiz Gonzaga, em especial, localizado na avenida central do bairro, é palco das grandes festas do bairro, festivais de festas juninas, eventos do movimento Hip-hop e festas da padroeira Nossa Senhora da Conceição, padroeira do bairro.

Um dos maiores problemas do bairro continua sendo a distância dos grandes centros culturais, a falta de manutenção das vias, e o crescente inchaço populacional.[2]

Embora já possa se encontrar no bairro casas muito bem equipadas, a maioria da população é composta de pessoas simples e humildes que ainda possuem o hábito interiorano de colocar cadeiras na calçada ao fim de tarde para um bate papo entre vizinhos.

Referências

  1. «População por bairros - 2010». Anuário de Fortaleza. 2010. Consultado em 22 de março de 2020 
  2. a b c «Conjunto Ceará revê o passado à base de luta». Diário do Nordeste. 23 de julho de 2018. Consultado em 22 de março de 2020 
  3. a b «Conjunto Ceará, uma cidade na periferia». Jornalismo NIC. 29 de julho de 2019. Consultado em 22 de março de 2020 
  4. «Desenvolvimento Humano, por bairros, em Fortaleza». Prefeitura de Fortaleza. Consultado em 22 de março de 2020 
  5. «Um novo retrato do Conjunto Ceará». 29 de dezembro 2008. Consultado em 22 de março de 2020 
  6. Dados do Ipece - www.casacivil.ce.gov.br [1]
  7. a b SOUSA, E.T.O. Política habitacional brasileira e construção do lugar: o caso do Conjunto Ceará - Fortaleza - Ce. Revista GeoUECE - Programa de Pós-Graduação em Geografia da UECE Fortaleza/CE, Número Especial, p. 89-106, dezembro de 2014.
  8. «O Brasil dos tempos do regime militar». Vermelho.org.br. 10 de outubro de 2018. Consultado em 22 de março de 2020 
  9. Maeda, Renata (Setembro de 2013). «Análise da política pública habitacional no Brasil». Jus.com.br. Consultado em 22 de março de 2020 
  10. «LEI Nº 4.380, DE 21 DE AGOSTO DE 1964». Planalto.gov.br 
  11. a b «Conjunto Ceará: uma cidade dentro da Cidade». Fortaleza em Fotos. 11 de agosto de 2011. Consultado em 22 de março  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)