Conselho Branco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Conselho Branco, na mitologia criada por J. R. R. Tolkien, foi um conselho criado na Terceira Era pelo líder dos Eldar e dos Istari para combater o poder crescente de Dol Guldur. O Conselho foi dirigido por Saruman, até Gandalf descobrir sua traição no início da Guerra do Anel e seu real intento em procurar pelo Um. Vale lembrar que o Conselho Branco citado na Mitopéia de Tolkien é na verdade o segundo conselho. O primeiro Conselho Branco, ocorreu na segunda era, antes da chegada dos Istari. Pessoas como Gandalf, Elrond, Galadriel e Celebrindor são membros desse Conselho.

Leia na íntegra:

"Cada vez mais alerta estava Mithrandir, e foi ele quem mais questionou a escuridão na Floresta das Trevas, pois, embora muitos considerassem que ela era criada pelos Espectros do Anel, ele temia que de fato ela fosse a primeira sombra do retorno de Sauron. Foi então até Dal Guldur, e o Feiticeiro fugiu dele; e por muito tempo houve uma paz vigilante. Mas, por fim, a Sombra voltou, e com o poder aumentado. E nessa época foi realizado o primeiro Conselho dos Sábios, que é chamado de Conselho Branco, e dele participaram Elrond, Galadriel e Cirdan, além de outros senhores dos eldar, e com eles estavam Mithrandir e Curunír. E Curunír (que era Saruman, o Branco) foi escolhido para presidir o conselho, pois era ele quem mais estudara as antigas táticas de Sauron. Na realidade, Galadriel desejara que Mithrandir liderasse o conselho, e Saruman se ressentiu disso, pois seu orgulho e desejo de supremacia cresceram imensamente. Mithrandir, porém, recusou o cargo, já que não queria ter nenhum vínculo, nem lealdade, a não ser para com aqueles que o haviam enviado. Também não se dispunha a morar em nenhum lugar, nem a se submeter a convocações. Já Saruman começava agora a estudar a tradição dos Anéis de Poder, como haviam sido feitos e qual era sua história."

Ícone de esboço Este artigo sobre a obra de J. R. R. Tolkien é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.