Conselho Europeu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Conselho da Europa.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Conselho da União Europeia.
Conselho Europeu
União Europeia
{{{alt}}}
Tipo Instituição europeia
Função Órgão executivo
Fundação 1961
2009 (oficial)
Composição
Presidente Charles Michel
Administração
Línguas Inglês

Francês

Alemão

Localização
Cidade Bruxelas
País  Bélgica
Coordenadas 50° 50' 32.7084" N 4° 22' 47.388" E
Geolocalização no mapa: União Europeia
Conselho Europeu está localizado em: União Europeia
Conselho Europeu
Sítio oficial
consilium.europa.eu
Instituições da União Europeia União Europeia

O Conselho Europeu (cujas reuniões são também conhecidas por Cimeiras Europeias) é uma instituição da União Europeia de carácter eminentemente político prevista nos artigos 235° e 236° do TFUE. É composto pelos Chefes de Estado ou de Governo dos países membros da União, pelo Presidente da Comissão Europeia e pelo Presidente do Conselho Europeu, que preside às reuniões. O Presidente do Parlamento Europeu também pode participar nas reuniões do Conselho Europeu, caso seja convidado[1].

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros Conselhos realizaram-se em 10 e 11 de Fevereiro, e em 18 de Julho de 1961, em Paris e Bona, respectivamente[2]. Com a participação dos líderes da Comunidade Europeia de então, estas reuniões informais deveram-se à iniciativa do então presidente francês, Charles de Gaulle, hostil ao controlo exercido por instituições supranacionais (nomeadamente a Comissão Europeia) sobre o processo de integração. Depois de alguma irregularidade, a primeira cimeira realmente influente teve lugar em 1 e 2 de Dezembro de 1969, na Haia, onde se alcançou um acordo sobre a adesão do Reino Unido à Comunidade e se deu início à política externa e de cooperação (a Cooperação Política Europeia), conduzindo o processo de integração para além dos limites dos aspectos económicos.

As cimeiras só foram formalizadas em 1974, na Cimeira de Dezembro, em Paris, na sequência de uma proposta do então presidente francês, Valéry Giscard d'Estaing. Constatou-se então a necessidade de debater as orientações políticas ao mais alto nível, na sequência nomeadamente da "crise da cadeira vazia" e dos problemas económicos. O Conselho Europeu inaugural, como passou a ser conhecido, realizou-se em Dublin, na Irlanda, em 10 e 11 de Março de 1975, durante a primeira presidência do Conselho da União Europeia. Em 1987, foi incluído nos tratados pela primeira vez (o Acto Único Europeu) e o seu papel foi definido pela primeira vez no Tratado de Maastricht. Numa primeira fase apenas eram exigidas duas reuniões por ano, daí resultando, em média, três Conselhos Europeus por ano de 1975 a 1995. A partir de 1996 passaram a ser exigidas, no mínimo, 4 reuniões por ano. A sede do Conselho foi oficializada em 2002, em Bruxelas na Bélgica. Há três tipos de Conselho Europeus: informais, ordinários e extraordinários. Dos primeiros não se publicam "Conclusões do Conselho" oficiais, mas apenas declarações sobre temas abordados. Os extraordinários apresentam "Conclusões do Conselho" no final, mas diferem dos ordinários por serem convocados com menos de um ano de antecedência.

Algumas reuniões do Conselho Europeu - ou o seu equivalente anterior - são consideradas por alguns como pontos viragem na história da União Europeia. Por exemplo:

  • 1969, Haia: Política externa e alargamento.
  • 1974, Paris: Criação do Conselho Europeu.
  • 1985, Milão: Início da Conferência Intergovernamental conducente ao Acto Único Europeu.
  • 1989, Madrid: Primeiro Consellho Europeu onde se discutiu a União Monetária.
  • 1991, Maastricht: Acordo sobre o Tratado de Maastricht.
  • 1997, Amesterdão: Acordo sobre o Tratado de Amesterdão.
  • 1998, Bruxelas: Selecção dos Estados-Membros aptos a adoptar o euro.
  • 1999; Colónia: Declaração sobre as forças militares.
  • 1999, Tampere: reforma institucional.
  • 2000, Lisboa: Estratégia de Lisboa.
  • 2002, Copenhaga: Acordo para o alargamento de Maio de 2004.
  • 2007, Lisboa: Acordo sobre o Tratado de Lisboa.
Ver também: Lista de Conselhos Europeus

Poderes e funções[editar | editar código-fonte]

O Conselho Europeu é uma instituição oficial da UE, mencionada no Tratado de Lisboa como um organismo que "dará à União os impulsos necessários ao seu desenvolvimento". Fundamentalmente, define a agenda política da UE e, portanto, tem sido considerado o motor da integração europeia. Para além da necessidade de fornecer "impulso", o Conselho tem desenvolvido novas funções: a resolução de questões pendentes de discussões num nível mais baixo, a liderança na política externa - agindo externamente como um "Chefe de Estado coletivo", a ratificação formal de documentos importantes e a participação na negociação de alterações aos tratados.

Uma vez que é composta por dirigentes nacionais, a instituição reúne o poder executivo dos Estados-Membros, pelo que tem uma grande influência em domínios de elevada sensibilidade, por exemplo na política externa. Também exerce poderes de nomeação, tais como a do seu próprio presidente, a do alto representante da União para a Política Externa e a Política de Segurança e a do Presidente do Banco Central Europeu. Propõe ainda ao Parlamento Europeu um candidato a Presidente da Comissão Europeia. Dotado de poderes sobre o executivo supranacional da UE, para além das suas outras atribuições, o Conselho Europeu tem sido descrito por alguns como a "suprema autoridade política" da União.

Composição[editar | editar código-fonte]

Os estados membros do Conselho Europeu em 2009.

É oficialmente composto pelos membros do Conselho (Chefes de Estado ou de Governo da União Europeia), bem como o Presidente da Comissão (sem direito a voto). As reuniões incluiam regularmente a participação dos Ministros dos Negócios Estrangeiros e o presidente da Comissão também era acompanhado por um outro membro da Comissão. Estas práticas foram abandonadas com a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, devido ao aumento do número de membros decorrente dos sucessivos alargamentos.

As reuniões são secretariadas pelo Secretariado-Geral do Conselho, através do seu Secretário-Geral, responsável pela organização das reuniões e pela elaboração das atas de cada reunião.

Contudo, as negociações habituais envolvem um grande número de outras pessoas que trabalham nos bastidores. A maioria das pessoas no entanto não são permitidas na sala de conferências, com excepção de dois delegados por estado para dar mensagens. Ao premir um botão, os membros também podem ligar para o conselho de um representante permanente, através do "Grupo Antici" numa sala adjacente. O grupo é composto por diplomatas e assistentes que transmitem informações e pedidos. Os intérpretes também são necessários para as reuniões, uma vez que os membros estão autorizados a exprimir-se nos seus próprios idiomas.

Presidente[editar | editar código-fonte]

Antes da Revisão do Tratado de Lisboa, o papel do presidente (presidente em exercício) do Conselho Europeu era exercido pelo Chefe de Governo ou Chefe de Estado do Estado-Membro que exercia a Presidência do Conselho no respectivo semestre. Esta Presidência era rotativa de seis em seis meses, com todas as três presidências sucessivas cooperando num programa comum tri-semestral, significando também que havia um novo presidente do Conselho Europeu, de seis em seis meses.

O Presidente do Conselho Europeu é agora eleito pelo próprio Conselho Europeu, por maioria qualificada, para um mandato de dois anos e meio, renovável uma vez. O presidente deve apresentar-se perante o Parlamento Europeu depois de cada reunião, a fim de o informar dos resultados da mesma. O cargo foi criado pelo Tratado de Lisboa e o seu papel efectivo foi objecto de debate.

As ordens de trabalho das reuniões são definidas pela Presidência.

O Conselho reúne-se pelo menos quatro vezes por ano, geralmente no edifício Europa, em Bruxelas.

O primeiro Presidente do Conselho Europeu foi o belga Herman Van Rompuy, que iniciou o seu mandato em 1 de Dezembro de 2009, data de entrada em vigor do Tratado de Lisboa. Foi reeleito para um segundo mandato, que decorreu de Junho de 2012 a Novembro de 2014. Em 1 de Dezembro de 2014 foi substituído pelo polaco Donald Tusk, igualmente reeleito para um segundo mandato que se iniciou em 1 de Junho de 2017. O atual presidente do Conselho é Charles Michel, desde 1 de dezembro de 2019.

Membros[editar | editar código-fonte]

País Representante Partido europeu Partido nacional Entrada
União Europeia Presidente Charles Michel ELDR Movimento Reformador 1 de dezembro de 2019
União Europeia Presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen PPE União Democrata-Cristã 1 de dezembro de 2019
 Áustria Chanceler Sebastian Kurz - - 7 de janeiro de 2020
 Alemanha Chanceler Angela Merkel PPE União Democrata-Cristã 22 de novembro de 2005
 Bélgica Primeira-ministra Sophie Wilmès ELDR Movimento Reformador 27 de outubro de 2019
 Bulgária Primeiro-ministro Boyko Borisov PPE GERB 4 de maio de 2017
 Chipre Presidente Nicos Anastasiades PPE Aliança Democrática 28 de fevereiro de 2013
 Croácia Primeiro-ministro Andrej Plenković PPE União Democrática Croata 19 de outubro de 2016
 Dinamarca Primeira-ministra Mette Frederiksen PSE SD 27 de junho de 2019
 Eslováquia Primeiro-ministro Igor Matovič PSE Direção—Social-Democracia 21 de março de 2020
 Eslovênia Primeiro-ministro Janez Jansa ELDR Partido do Centro Moderno 18 de setembro de 2014
Flag of Spain.svg Espanha Presidente do Governo Pedro Sánchez PSE Partido Socialista Operário Espanhol 2 de junho de 2018
 Estónia Primeiro-ministro Jüri Ratas ELDR Partido do Centro Estónio 23 de novembro de 2016
 Finlândia Primeiro-ministro Sanna Marin PSE Partido Social-Democrata da Finlândia 10 de dezembro de 2019
 França Presidente Emmanuel Macron IND Em Marcha! 14 de maio de 2017
 Grécia Primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis ND 8 de julho de 2019
 Hungria Primeiro-ministro Viktor Orbán PPE Fidesz - União Cívica Húngara 29 de maio de 2010
 Irlanda Taoiseach Micheál Martin ALDE Fianna Fáil 27 de junho de 2020
 Itália Primeiro-ministro Giuseppe Conte Independente 01 de junho de 2018
 Letônia Primeiro-ministro Krišjānis Kariņš Unidade 23 de janeiro de 2019
 Lituânia Presidente Gitanas Nausėda IND Independente 12 de julho de 2019
 Luxemburgo Primeiro-ministro Xavier Bettel ELDR Partido Democrata 4 de dezembro de 2013
 Malta Primeiro-ministro Robert Abela PSE Partido Trabalhista 11 de março de 2013
 Países Baixos Ministro-presidente Mark Rutte ELDR VVD 14 de outubro de 2010
 Polónia Primeiro-ministro Mateusz Morawiecki AECR Lei e Justiça 11 de dezembro de 2017
Portugal Portugal Primeiro-ministro António Costa PSE Partido Socialista 26 de novembro de 2015
 Chéquia Primeiro-ministro Andrej Babiš ELDR Aliança dos Cidadãos Descontentes 6 de dezembro de 2017
Roménia Presidente Klaus Iohannis PPE Partido Nacional Liberal 21 de dezembro de 2014
 Suécia Primeiro-ministro Stefan Löfven PSE Partido Social-Democrata 3 de outubro de 2014

Presidência[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Presidência do Conselho Europeu

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. N° 2 do artigo 235° do TFUE.
  2. Louis, Jean-Victor (1982). Organisations européennes. Bruxelles: Université Libre de Bruxelles. 95 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias