Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com CPqD.

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Cnpq-logo.jpg
Logotipo.
Organização
Natureza jurídica órgão federal
Missão Fomentar a Ciência, Tecnologia e Inovação e atuar na formulação de suas políticas, contribuindo para o avanço das fronteiras do conhecimento, o desenvolvimento sustentável e a soberania nacional.
Dependência Governo do Brasil
Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
Localização
Jurisdição territorial  Brasil
Sede Brasília
Histórico
Criação 15 de janeiro de 1951 (67 anos)
Sítio na internet
cnpq.br

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (até 1974 Conselho Nacional de Pesquisas, cuja sigla, CNPq, se manteve) é um órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações para incentivo à pesquisa no Brasil.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Fundado em 15 de janeiro de 1951, pela Lei nº 1.310, o CNPq é considerado uma das instituições mais sólidas na área de investigação científica e tecnológica entre os países em desenvolvimento, seu objetivo principal.[2][3]

O período conturbado do pós-guerra (1949–1954), também marcado por turbulências na política nacional, ampliou o interesse do CNPq em sua iniciativa de capacitar o Brasil para o domínio da energia atômica, tema de importância estratégica naquele momento.[4] Porém, seu papel intensificou-se com o passar do tempo para o financiamento de pesquisas científicas e tecnológicas nas diversas áreas do conhecimento, com bolsas e auxílios.

Com sede em Brasília, o CNPq era o órgão que centralizava a coordenação da política nacional de ciência e tecnologia até a criação do respectivo ministério, em 1985.

O CNPq tem muitos órgãos federais e agências de fomento estrangeiras como parceiros.[5][6]

Atualmente, o CNPQ é presidido pelo engenheiro eletricista Mário Neto Borges,[7] tendo sido precedido pelo bioquímico Hernan Chaimovich Guralnik que, de acordo com nota publicada pelo MCTI, deixou o cargo por motivos de saúde. Mário Neto ocupou, anteriormente, os cargos de presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) e da CONFAP.[8][9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Apresentação». Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Consultado em 14 de novembro de 2018. 
  2. «Lei Nº 1.310». Palácio do Planalto. 15 de janeiro de 1951. Consultado em 14 de novembro de 2018. 
  3. «A criação». Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Consultado em 17 de janeiro de 2015. 
  4. «Questão Nuclear». Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Consultado em 17 de janeiro de 2015. 
  5. «Universidades». Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Consultado em 17 de janeiro de 2015. 
  6. «Empresas». Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Consultado em 17 de janeiro de 2015. 
  7. «Pesquisador Mário Neto Borges é o novo presidente do CNPq». G1 
  8. «Mário Neto Borges é o novo presidente da Fapemig». UFMG 
  9. «Galeria de Presidentes». CONFAP — Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa. Consultado em 15 de novembro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre o Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.