Conservadorismo verde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
o Girassol é um reconhecido internacionalmente como símbolo das políticas Verdes.[1]

O Conservadorismo Verde, ou Conservadorismo Ambiental é uma vertente conservadora que incorporara preocupações ambientais em sua ideologia.[2] As variantes do conservadorismo verde são mais comuns onde movimentos conservadores pré-existente são mais fortes, especialmente nas nações anglófonas.

Variáveis[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, nenhum partido se diz abertamente conservador.[3] No entanto, o Partido Ecológico Nacional reúne pautas ambientais com representantes das posições político-filosóficas conservadoras.[4]

Canadá[editar | editar código-fonte]

No Canadá, o termo foi popularizado em 2006 pelo fundador do Partido Reformista do Canadá Preston Manning.[5] Manning argumentou que o Conservadorismo canadense com suas fortes raízes rurais terá que conciliar, mais cedo ou mais tarde, a necessidade de crescimento econômico com a proteção do meio ambiente.

Reino Unido[editar | editar código-fonte]

O Partido Conservador no Reino Unido sob a gestão de David Cameron prometeu uma agenda verde que incluía propostas destinadas a impostos sobre estacionamentos automobilísticos, contenções sobre o crescimento desenfreado de aeroportos, impostos sobre a gasolina e restrições à publicidade de automóveis. As medidas foram sugeridas pelo The Quality of Life Policy Group, que foi criado por Cameron para ajudar a combater a mudança climática.[6]
Cameron tem repetidamente falado sobre abraçar questões "verdes", e fez desse discurso um dos pontos estratégicos de sua campanha eleitoral.[7] O primeiro-ministro criou uma comissão independente para garantir que as metas de redução de emissões sejam atendidas.[8] No entanto, a estratégia de Cameron de liderar o "governo mais preocupado com questões ambientais da história da Inglaterra" foi contestada pelo Partido Verde da Inglaterra e do País de Gales, que alega que Cameron "tem mostrado pouco interesse genuíno na agenda da sustentabilidade."[9]
Zac Goldsmith, ex-candidato conservador para a prefeitura de Londres de 2016 se descreve como um ambientalista. Ele recebeu o Prêmio Global em 2004.[10]

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Um dos primeiros usos do termo conservadorismo verde foi feito pelo ex-Presidente republicano da câmara Newt Gingrich, em um debate sobre as questões ambientais com John Kerry.[11]
Nos Estados Unidos, o Partido Republicano é geralmente considerado o partido mais conservador. A conservação ambiental desempenhou um papel importante na gestão do ex-Presidente Teddy Roosevelt. O conservadorismo Verde despontou com a criação de grupos ambientais, como o ConservAmerica, que visa a fortalecer o partido republicano sobre as questões ambientais e apoiar esforços para conservar recursos naturais e proteger a saúde do meio ambiente.[12]
Os Independent Greens of Virginia (ou Indy Greens) definem-se como "conservadores do senso comum". O partido na última década foi liderado por diversos ambientalistas em campanhas federais e estaduais. Os Indy Greens solicitam o equilíbrio do orçamento federal pelo pagamento da dívida federal.[13]
O Partido Republicano há muitos anos defende a proteção do meio ambiente. O Presidente republicano Theodore Roosevelt foi um conservador de destaque cujas políticas levaram à criação do Serviço Nacional de Parques. O presidente republicano Richard Nixon foi responsável pela criação da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, em 1970.[14]
Mais recentemente, o governador republicano da Califórnia Arnold Schwarzenegger foi criticado ao processar o Governo Federal e a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos pelo direito de emitir mais gazes poluentes do que os pré-definidos pela normal Federal.[15]
Durante a Presidência de George W. Bush, o governo aumentou o investimento federal no desenvolvimento de energia renovável e de energia nuclear, além de incentivar a confecção de combustíveis como o etanol como uma forma de ajudar os EUA atingir a independência energética.[16] John McCain, candidato à presidência em 2008, apoiou o Comércio internacional de emissões. Alguns republicanos, no entanto, defendem o aumento da exploração de petróleo em áreas protegidas, uma posição que tem atraído fortes críticas de ativistas ambientais.
Na eleição de 2012 as causas ambientais do Partido Republicano enfraqueceram com o candidato Mitt Romney declarando sua oposição ao Comércio internacional de emissões e expressando ceticismo sobre as atividades humanas entre as Causas do aquecimento global.[17]

Japão[editar | editar código-fonte]

No Japão, a Assembleia Ambiental (Midori no Kaigi), surgiu durante a gestão do partido conservador reformista Sakigake. A assembleia combina a ideologia conservadora com uma plataforma ecológica.

Alemanha[editar | editar código-fonte]

Na Alemanha, o Partido Democrático Ecológico foi formado por desertores de direita da Aliança 90/Os Verdes. O partido tem foco em questões ambientais e na promoção do direito à vida (oposição ao aborto, à eutanásia e à pena de morte).

Referências

  1. Roussopoulos, Dimitrios (1993). Political ecology: beyond environmentalism. Montreal: Black Rose Books. p. 114. ISBN 1-895431-80-8. Not surprisingly the colours green and yellow are used widely in the symbols of ecologists, the former evoking vegetation and the latter the sun. The sunflower, a popular symbol, embodies both colours, and turns towards the sun, the source of renewable energy. The bicycle is another important icon as bicycle transportation is regarded as one of the means to re-humanise society. 
  2. Beyond the New Right John Gray, Routledge, 1995 ISBN 978-0-415-10706-8, ISBN 978-0-415-10706-8]
  3. Mellão Neto, João (10 de fevereiro de 2012). «No Brasil não existe direita?». Estadão. Consultado em 23 de junho de 2016 
  4. «Denise Abreu critica 'armadilhas do PT' e prega governo conservador». Uol notícias. 11 de junho de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2016 

  5. Saskatoon Star-Phoenix
  6. Pierce, Andrew (14 de setembro de 2007) 'David Cameron pledges radical green shake-up' Daily Telegraph.
  7. http://www.telegraph.co.uk/news/main.jhtml;jsessionid=PHYKHXUF15AT1QFIQMFSFF4AVCBQ0IV0?xml=/news/2005/12/10/ntory10.xml Daily Telegraph online, Cameron pledges tough measures on climate change. 12 de outubro de 2005.
  8. http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/politics/6084958.stm BBC Online Cameron urges climate change law 25 de outubro de 2006.
  9. Lucas, Caroline (17 de maio de 2011) Carbon budget: Could this be the greenest government ever? The Guardian
  10. Husbands, Helen (31 de outubro de 2007). «Zac Goldsmith is a 'Great Briton'». Newsquest Regional Press 
  11. We Can Have Green Conservatism - And We Should - HUMAN EVENTS.
  12. Filler, Daniel. «Theodore Roosevelt: Conservation as the Guardian of Democracy». Consultado em 27 de agosto de 2016 
  13. http://www.VoteJoinRun.US
  14. Nixon, Richard (9 de julho de 1970). «Reorganization Plan No. 3 of 1970». Consultado em 27 de agosto de 2016. Arquivado do original em 14 de julho de 2007 
  15. http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/11/california-mantem-lei-para-conter-emissao-de-gases-poluentes.html
  16. «Fact Sheet: Harnessing the Power of Technology for a Secure Energy Future». 22 de fevereiro de 2007. Consultado em 27 de agosto de 2016 
  17. Coral Davenport (28 de outubro de 2011). «Mitt Romney's shifting views on climate change». CBS News 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Conservadorismo verde

Ligações externas[editar | editar código-fonte]