Consoante rótica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Na fonética, consoantes róticas, ou "como sons de R", são consoantes líquidas que são tradicionalmente representados ortograficamente por símbolos derivadas do grego, sendo a letra , incluindo ⟨R⟩, ⟨⟨r⟩ no latim e ⟨⟨Р⟩, ⟨⟨p⟩ no alfabeto Cirílico. Eles são transcritas para o Alfabeto Fonético Internacional por casos de variações de superior ou inferior do Romano ⟨⟨R⟩, ⟨⟨r⟩: r, ɾ, ɹ, ɻ, ʀ, ʁ, ɽ, e ɺ.

Esta classe de sons é difícil caracterizar foneticamente, a partir de um ponto de vista fonético, não há uma única articulatória correlacionar comum para consoantes róticas.[1] Consoantes róticas tem sido encontradas para a realização de funções fonológicas semelhantes ou de determinados recursos fonológicos semelhantes em diferentes idiomas.[2] Embora alguns tenham sido encontrados compartilhando certas peculiaridades acústicas, tais como a diminuição do terceiro formato,[carece de fontes?] o estudo ainda revelou que isso não acontece para outros diferentes idiomas.[carece de fontes?] Por exemplo, a qualidade acústica baixo de terceiro formatos refere-se quase que exclusivamente as variedades americana do inglês.[carece de fontes?] Sendo "R" é um conceito fonêmico fugaz e ambíguo e os mesmos sons que funcionam como róticos em alguns sistemas podem participar com fricatives, semivogais ou até mesmo paradas glotais em outros—por exemplo, "tt" em inglês americano, a palavra "better" (do inglês: melhor) muitas vezes é pronunciado como um alveolar tap, uma consoante róticas em muitas outras línguas.

Alguns idiomas possuem variedades róticas e não róticas, que diferem na incidência de consoantes róticas.

A variedade da roticidade[editar | editar código-fonte]

Inglês[editar | editar código-fonte]

Na língua inglesa contém variedade róticas e não-róticas. Falantes róticos pronunciam um /r/ histórico em todas as instâncias, enquanto falantes não-róticos apenas pronunciam /r/ antes ou entre vogais.

Português[editar | editar código-fonte]

Em alguns dialetos do português brasileiro, o fonema /r/ é não pronunciado ou aspirado. Isto ocorre com mais frequência com verbos no infinitivo, no qual é sempre indicada pela letra ao /r/ ao final da palavra. Em alguns estados, todavia, acontece mais frequentemente por qualquer /r/ quando precedido de uma consoante.

Tailandês[editar | editar código-fonte]

L e R são usados intercambiavelmente no tailandês. Isto é, os falantes de tailandês geralmente trocam um R (ร) por um L (ล) e quando eles ouvem um fonema L (ล) ele podem escrever a letra correspondente ao fonema de R (ร).[3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Lindau, Mona (1978). «Vowel features». Language. 54 (3): 541–63. JSTOR 412786. doi:10.2307/412786 
  2. Wiese, Richard (2001). «The phonology of /r/». In: T Alan Hall. Distinctive Feature Theory. Berlin: Mouton de Gruyter. ISBN 3-11-017033-7 
  3. «THAI AND ENGLISH CONSONANTAL SOUNDS: A PROBLEM OR A POTENTIAL FOR EFL LEARNING?». ABAC Journal. 27 


Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.