Constantino IX Monômaco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Constantino IX
Imperador bizantino
Empress Zoe mosaic Hagia Sophia.jpg
Mosaico com Constantino IX, Jesus e a imperatriz Zoé Porfirogênita
Reinado 11 de junho de 104211 de janeiro de 1055
Consorte 1) desconhecida
2) Helena Escleraina, filha de Basílio Esclero e sobrinha do imperador Romano III Argiro
3) Zoé Porfirogênita
Antecessor(a) Zoé Porfirogênita
Sucessor(a) Teodora
Dinastia Macedônica
Nome completo
Constantino IX Monómaco (Κωνσταντίνος Θ΄ Μονομάχος)
Nascimento c. 1000
Morte 11 de janeiro de 1055 (55 anos)
Enterro Constantinopla
Pai Teodósio Monómaco

Constantino IX Monómaco (c. 100011 de janeiro de 1055) reinou como imperador bizantino de 11 de junho de 1042 a 11 de janeiro de 1055. Foi eleito por Zoé Porfirogênita como marido e co-imperador em 1042, ainda que se encontrasse no exílio por conspirar contra o seu anterior marido Miguel IV, o Paflagônio. Governaram conjuntamente até a morte de Zoé em 1050.

Em 1043 relevou ao general Jorge Maniaces do seu comando militar na Itália, e em consequência Maniaces declarou a si mesmo imperador. Quando as suas tropas estavam a pique de derrotar a Constantino numa batalha, Maniaces foi ferido e morreu no campo de batalha, dando fim à crise. Logo após a vitória, Constantino foi atacado por uma frota dos Rus de Kiev, que seguramente fora contratada por Maniaces. Também essa frota foi derrotada graças ao uso do fogo grego.

Em 1046, os bizantinos tiveram um primeiro contato com os turcos seljúcidas. Lutaram numa batalha na Armênia em 1048 e estabeleceram uma trégua para o ano seguinte. Contudo, em 1053 Constantino viu-se obrigado a licenciar as suas tropas armênias por razões econômicas, deixando a fronteira oriental do império mal defendida.

Em 1054, as diferenças seculares entre a Igreja Ortodoxa grega e a Igreja Católica romana deram lugar à sua separação definitiva. Os legados do papa Leão IX excomungaram ao patriarca de Constantinopla Miguel Cerulário, ao não estar este de acordo com a adoção de certas práticas eclesiais ocidentais; e Cerulário replicou, excomungando aos legados. Esse feito anulou as possibilidades de uma aliança entre Constantino e o papa contra os normandos do sul da Itália.

Constantino quis intervir, mas caiu enfermo e morreu em 11 de janeiro do ano seguinte. Teodora, a filha mais velha de Constantino VIII, que já reinara junto com a sua irmã Zoé, foi nomeada imperatriz.

Constantino foi também o patrono do erudito Miguel Pselo, cuja Chronographia recolhe a história do reinado de Constantino e muitos anteriores.

O sobrenome de Constantino, Monómaco (o que luta suas próprias batalhas) seria herdado pelo seu neto, Vladimir II Monômaco.

Precedido por
Zoé Porfirogênita
Imperador bizantino
1042 - 1055
com Zoé Porfirogênita (1042-1050)
Sucedido por
Teodora
Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.