Constantino Tsallis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Constantino Tsallis
Física
Constantino Tsallis em 2010.
Nacionalidade Grécia Grego
Brasil Brasileiro
Residência  Brasil
Nascimento 5 de novembro de 1943 (71 anos)
Local Atenas, Grécia
Atividade
Campo(s) Física
Instituições CBPF
Alma mater Universidade de Paris Orsay
Tese Contribution à létude théorique des transitions de phase magnéiques et structurales.
Orientador(es) Andre Guinier
Conhecido(a) por Entropia de Tsallis
Notas Membro da Academia Brasileira de Ciências


Constantino Tsallis (Atenas, 5 de novembro de 1943) é um físico greco-brasileiro conhecido por sua proposta de generalização da Mecânica Estatística.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Atenas na Grécia, Tsallis emigrou aos quatro anos de vida junto com a sua família. Cresceu em Mendoza (Argentina), onde completou o ensino fundamental e médio.[2] Fez graduação e mestrado em Física pelo Instituto Balseiro de Bariloche da Universidad Nacional de Cuyo (1961-1965). Em 1974 concluiu o doutorado em Física pela Universidade de Paris Orsay.[3] Em 1975 imigrou para o Brasil, foi professor Adjunto da Universidade de Brasília entre os anos de 1975 e 1976. Em 1977 tornou-se professor titular do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, onde trabalha atualmente. Foi professor visitante de diversas universidades do nordeste brasileiro: Universidade Federal da Paraíba (1976-1978), Universidade Federal de Pernambuco (1979) e Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1984-1997). Nos Estados Unidos foi professor visitante em Michigan State University (1995), University of North Texas (1999-2000) e Santa Fe Institute (2004-2006). Em 1994 ingressou na Academia Brasileira de Ciências.[4]

Contribuições[editar | editar código-fonte]

Seu trabalho principal de 1988 tem como objetivo complementar a estatística de Boltzmann-Gibbs em limites onde essa não é satisfeita. A proposta de generalização feita por Tsallis tem sido ativamente estudada em todo o mundo. Uma vasta bibliografia com mais de 3.000 artigos relacionados diretamente, por mais de 5.000 cientistas de todo o mundo, está disponível em http://tsallis.cat.cbpf.br/biblio.htm. Tsallis recebeu mais de 10.000 citações no ISI, que atualmente faz dele um dos mais citados cientistas de todos os tempos na América Latina.[5] Um dos resultados de maior notoriedade da teoria generalizada de Tsallis surgiu em fevereiro de 2010,[6] cientistas do LHC utilizaram a generalização de Tsallis através de dados gerados pelo Solenoide de Múon Compacto mostraram que as medidas de distribuição de partículas observadas em colisões ocorridas em altíssimas energias: 2,36 teraelétron-volts (TeV) são descritas de melhor maneira utilizando a teoria generalizada de Tsallis.[7]

Referências

  1. Tsallis, C . Possible Generalization of Boltzmann-Gibbs Statistics. J Stat Phys, USA, v. 52, p. 479-487, 1988.
  2. Griechische Wissenschaftler. Acessado em 9 de Abril de 2011.
  3. Constantino Tsallis, Currículo Lattes . Acessado 09 de Abril de 2011.
  4. Academia Brasileira de Ciências. Acessado em 9 de Abril de 2011.
  5. Santa Fe Institute. Acessado em 9 de Abril de 2011.
  6. The CMS Collaboration, Transverse momentum and pseudorapidity distributions of charged hadrons in pp collisions at sqrt(s) = 0.9 and 2.36 TeV. Acessado em 9 de Abril de 2011.
  7. LHC confirma teoria de físico brasileiro. Acessado em 10 de Abril de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]