Constituição de Medina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Constituição de Medina (em árabe: صحیفة المدینه, Ṣaḥīfat al-Madīna), também conhecida como Carta de Medina, foi elaborada pelo profeta islâmico Maomé. Ela é constituída de um acordo formal entre Maomé e todas as tribos e famílias importantes de Yathrib (mais tarde conhecida como Medina), incluindo os muçulmanos, judeus e pagãos.[1] [2] O documento foi elaborado com a preocupação explícita de terminar com o a luta cruel entre as tribos de Aus e Khazraj no interior de Medina. Para este fim, ela instituiu uma série de direitos e responsabilidades para as comunidades muçulmanas, judias e pagãs de Medina trazendo-as para dentro de uma única comunidade - a Ummah.[3]

Referências

  1. Ver:
    • Reuven Firestone, Jihād: the origin of holy war in Islam‎ (1999) p. 118;
    • "Muhammad", Encyclopedia of Islam Online (em inglês)
  2. Watt. Muhammad at Medina and R. B. Serjeant "The Constitution of Medina." Islamic Quarterly 8 (1964) p.4. (em inglês)
  3. R. B. Serjeant, The Sunnah Jami'ah, pacts with the Yathrib Jews, and the Tahrim of Yathrib: Analysis and translation of the documents comprised in the so-called "Constitution of Medina." Bulletin of the School of Oriental and African Studies, University of London, Vol. 41, No. 1. 1978), page 4.(em inglês)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outras leituras[editar | editar código-fonte]

  • Ahmad, Barakat. Muhammad and the Jews. [S.l.]: Vikas Publishing House, 1979.
  • Watt, Montgomery. Muhammad at Medina. [S.l.]: Oxford University Press, 1956.
  • Wensinck, Arendt Jan. Muhammad and the Jews of Medina. [S.l.]: Leiden, 1908.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]