Controvérsias do Natal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O termo controvérsias do Natal refere-se à questão em torno da celebração ou reconhecimento do feriado natalino pelo governo, mídia, propagandas e outros ambientes influenciando-os secularmente.

Histórico[editar | editar código-fonte]

No passado, o Natal foi relacionado como controvérsia principalmente pelas restritas preocupações de um foco público sobre temas seculares de Natal, como o Papai Noel e o ato de presentear, ao invés do que é expresso pelos cristãos como a verdadeira razão do Natal, o nascimento de Jesus.[1][2] O termo anglófono "Xmas", uma forma popular abreviada da palavra "Natal" que se origina a partir do uso da letra grega chi para representar "Cristo", foi também foi tema de controvérsia entre os cristãos que não estão familiarizados com as raízes históricas do termo.[3] Essa moderna controvérsia ocorre principalmente em países ocidentais, como os Estados Unidos,[4][5] Canadá,[6][7] África do Sul e em menor media no Reino Unido[8][9][10] e, geralmente, decorre de um significativo contraste entre o feriado social e papel econômico em sua associação com o cristianismo de forma cada vez multiculturalmente sensível e religiosamente diversificando a sociedade. Nas últimas décadas, menções públicas, empresariais e do governo sobre o termo "Natal", é tido como um feriado apenas, para evitar a referência ao Natal pelo nome. Ornamentos populares não-religiosos são aspectos de Natal, como árvores de Natal, luzes e decoração ainda são destaque apresentados e reconhecidos, mas são vagamente associado a "férias" e não como o Natal. Além disso, vários varejistas de cadeias internacionais, como Wal-Mart, Macy e Sears, já experimentaram cumprimentar seus clientes com "Boas Festas" ou "Os cumprimentos da estação", e não com o tradicional "Feliz Natal".[11][12]

Os defensores do uso de termos como "boas festas" em lugar de "Feliz Natal", incluindo ateus e agnósticos, argumentam que muitos dos símbolos e tradições que as sociedades ocidentais têm vindo a associar com o Natal foram originalmente sincretizados de tradições pré-cristãs pagãs e festivais que antecedem Jesus, e, portanto, não precisam ser diretamente associados com o Natal.[13][14][15] Símbolos e comportamentos, tais como visco, guirlanda, árvores de Natal, e Madeiros têm origens pré-cristãs.[16]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem o portal:

Referências

  1. (em inglês) «What is the true meaning of Christmas?». gotquestions.org. Consultado em 29 de dezembro de 2012 
  2. Noebel, Martha. «The Real Meaning Of Christmas» (em inglês). cbn.com. Consultado em 29 de dezembro de 2012 
  3. «Why is there a controversy surrounding the word 'Xmas'?». tlc.howstuffworks.com. Consultado em 25 de dezembro de 2012 
  4. Bazar, Emily (1 de dezembro de 2005). «Trimming 'Christmas' from trees stirs debate». usatoday.com. Consultado em 11 de agosto de 2008 
  5. Bishop, Tricia (24 de novembro de 2006). «Stores revert to 'Merry Christmas'». Chicago Tribune. Consultado em 5 de dezembro de 2006 
  6. «Concert goes ahead despite controversy over change to Christmas lyrics». nationalpost.com. Consultado em 28 de julho de 2008 
  7. «Premier appeals for tolerance in courthouse Christmas tree debate». CBC News. 21 de dezembro de 2006. Consultado em 11 de agosto de 2008 
  8. Petre, Jonathon (27 de dezembro de 2009). «Bonkers' police drop the word Christmas from poster to avoid upsetting other faiths». dailymail.co.uk. Consultado em 7 de julho de 2010 
  9. «Council now says it is Christmas». BBC News. 6 de dezembro de 2005. Consultado em 11 de agosto de 2008 
  10. «Red Cross denies banning Christmas». BBC News. 21 de dezembro de 2002. Consultado em 11 de agosto de 2008 
  11. «What is the History of Christmas?». christianbiblereference.org. Consultado em 31 de dezembro de 2012 
  12. «Christmas». BBC News. 22 de junho de 2009. Consultado em 31 de dezembro de 2012 
  13. «Merry Christmas and Happy Holidays». valdostadailytimes.com. 21 de dezembro de 2012. Consultado em 25 de dezembro de 2012 
  14. «An Unmerried Woman». snopes.com. Consultado em 25 de dezembro de 2012 
  15. O'Donnell, Jayne (8 de novembro de 2006). «Wal-Mart wishes you a Merry Christmas». usatoday.com. Consultado em 25 de dezembro de 2012 
  16. «Macy's agrees to 'Merry Christmas', national Sears boycott announced». catholicnewsagency.com. 1 de dezembro de 2005. Consultado em 25 de dezembro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]