The Witches (1990)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Convenção das Bruxas)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Witches
Bruxas (PRT)
Convenção das Bruxas (BRA)
 Estados Unidos
1990 •  cor •  91[1] min 
Direção Nicolas Roeg
Produção Jim Henson
Mark Shivas
Dusty Symonds
Roteiro Allan Scott
Baseado em As Bruxas de Roald Dahl
Elenco Anjelica Huston
Mai Zetterling
Gênero comédia de terror
fantasia
Música Stanley Myers
Cinematografia Harvey Harrison
Edição Tony Lawson
Companhia(s) produtora(s) Jim Henson Productions
Lorimar Film Entertainment
Distribuição Warner Bros.
Lançamento Reino Unido 25 de maio de 1990
Estados Unidos 24 de agosto de 1990
Idioma inglês
Receita US$ 15.3 milhões[2]
Página no IMDb (em inglês)

The Witches (Convenção das Bruxas BRA ou Bruxas PRT) é um filme de fantasia e comédia de terror britânico e estadunidense de 1990 baseado no romance de mesmo título infantil de Roald Dahl, dirigido por Nicolas Roeg e estrelado por Anjelica Huston, Mai Zetterling, Rowan Atkinson, e Jasen Fisher. Como no romance original, a história apresenta bruxas malvadas que se disfarçam de mulheres comuns e transformam crianças em ratos, e um menino e sua avó precisam encontrar uma maneira de frustrarem seus planos.

The Witches foi produzido por Jim Henson Productions para a Lorimar Film Entertainment e distribuído pela Warner Bros. como o último filme a ser produzido pela Lorimar, antes do fechamento da empresa em 1993. O filme estava previsto para ser distribuído pela Lorimar, mas quando a empresa dissolveu sua operação de distribuição de cinema, acabou ficando na prateleira por mais de um ano após a conclusão das filmagens.[3] O filme estreou em 25 de maio de 1990, em Londres, e foi programado para abrir no mesmo dia nos Estados Unidos,[3] mas depois da exibição de testes da Flórida no mesmo ano a Warner Bros. adiou o lançamento americano até agosto.[3]

O filme foi muito bem recebido pelos críticos, mas teve um desempenho ruim na bilheteria e também foi desaprovado por Dahl porque seu final difere do livro. Roald Dahl ficou irritado porque Roeg havia mudado seu final original no roteiro. Como um gesto de conciliação, Roeg ofereceu-se para filmar duas versões, a versão do livro em que Luke continua a ser um rato, e a versão mais feliz, onde ele é transformado novamente em humano, antes de fazer sua escolha final. Ao observar a cena leal a seu livro, Dahl ficou tão comovido que ele foi levado às lágrimas. No entanto, Roeg decidiu ir com o final alterado, o que levou Dahl a exigir que seu nome fosse removido inteiramente dos créditos, e a ameaçar uma campanha publicitária contra o filme. Ele só foi dissuadido disso, a pedido de Jim Henson.[4]

Um remake do filme se encontra em produção com direção de Robert Zemeckis, produzido por Alfonso Cuarón e Guillermo del Toro e protagonizado por Anne Hathaway.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Luke, um menino de 10 anos, é levado à Inglaterra por sua avó Helga apos a morte dos pais. Ao chegarem ao hotel, descobre que uma estranha convenção acontece por ali. Ele percebe que se trata de um encontro de bruxas, no qual está se traçando planos para transformar todas as crianças do mundo em ratos. O pequeno Luke acaba sendo descoberto em uma das reuniões, se torna vitima e acaba sendo transformado em rato junto mais um menino chamado Bruno Jenkins. Mesmo nessa condição, o garoto resolve impedir - com a ajuda de sua avó e Bruno - que este plano diabólico seja colocado em prática, fazendo com que o feitiço vire contra o feiticeiro.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

The Witches foi adaptado do livro infantil do mesmo título do autor britânico Roald Dahl.[5] Foi o filme final em que Jim Henson trabalhou pessoalmente antes de sua morte, o último filme produzido pela Lorimar Productions, e o último filme feito com base no material de Dahl antes de sua morte (Henson e Dahl morreram naquele ano). As seguintes pessoas fizeram um trabalho especial de marionetes neste filme: Anthony Asbury, Don Austen (formas de rato de Luke e Bruno), Sue Dacre, David Greenaway, Brian Henson, Robert Tygner e Steven Whitmire. A parte inicial do filme foi filmada em Bergen, na Noruega. Grande parte do restante foi filmado no Headland Hotel,[6] situado na costa de Newquay, na Cornualha.

Durante as filmagens, Rowan Atkinson causou uma calamidade no estilo Mr. Bean quando ele deixou as torneiras do banho em seu quarto (o frenético baterista disse a ele: "vá embora, eu estou dormindo"). A inundação eliminou grande parte do equipamento elétrico da equipe de produção no andar de baixo.[7] Na época, Huston estava namorando Jack Nicholson, que frequentemente telefonava para o hotel e enviava enormes buquês de flores, para grande empolgação dos funcionários.[7] O diretor Nicholas Roeg mais tarde editou cenas que ele achava que seria assustador demais para as crianças depois de ver a reação de seu filho ao corte original.[8]

Os elaborados efeitos de maquiagem para a Grande Bruxa de Huston levaram seis horas para serem aplicados e outros seis para serem removidos.[9] As próteses incluíam uma máscara facial completa, corcova, garras mecanizadas e uma clavícula rompida. Huston descreveu uma cena de monólogo que teve que fazer onde "eu estava tão desconfortável e cansada de ser envolta em borracha sob luzes quentes por horas que as falas pararam de fazer sentido para mim e tudo o que eu queria fazer era chorar".[10] O vapor verde usado extensivamente no final do filme era à base de óleo, e obscureceria os contatos nos olhos de Huston, que tinham que ser regularmente lavados com água por um especialista.[10] Roeg escolheu um traje sexy para a personagem usar e enfatizou para Huston que a Grande Bruxa deveria ter sex appeal em todos os momentos, apesar de sua aparência grotesca em certas cenas do filme.[10]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

O filme contém uma trilha sonora orquestral composta por Stanley Myers. Até o momento, um CD de trilha sonora não foi lançado, e toda a trilha permanece desconhecida. Ao longo da partitura, o Dies irae aparece, lembrando muito a Sinfonia Fantástica de Berlioz, "The Witches Sabbath".

Recepção[editar | editar código-fonte]

The Witches foi bem recebido pela crítica e pelo público, mas teve um desempenho ruim nas bilheterias.[11] O filme tem um raro 100% no site de críticos de cinema Rotten Tomatoes, baseado em comentários de 33 críticos com uma classificação média de 7.7/10. Seu consenso diz: "Com um desempenho deliciosamente perverso de Angelica Huston e fantoches imaginativos pela loja de criaturas de Jim Henson, o filme sombrio e espirituoso de Nicolas Roeg capta o espírito da escrita de Roald Dahl como poucas outras adaptações".[12]

Roger Ebert deu ao filme 3 de 4 estrelas, chamando o filme de "um filme intrigante, ambicioso e inventivo, e quase merece ser visto apenas pelo prazer óbvio de Anjelica Huston em interpretar uma vilã completamente descompromissada".[13] No entanto, o próprio Roald Dahl considerou o filme como totalmente aterrador por causa do final que contrastava com seu livro.[14]

Bilheterias[editar | editar código-fonte]

O filme arrecadou US$10,360,553 nos Estados Unidos e 266,782 na Alemanha.[15]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films (1991)
BAFTA Awards (1991)
  • Nomeado – Prêmio BAFTA de Melhor Maquiagem e Cabelo (Christine Beveridge)
Boston Society of Film Critics Awards (1991)
  • Venceu – Prêmio da Sociedade de Críticos de Cinema de Boston de Melhor Atriz (Anjelica Huston)
Fantasporto (1991)
  • Nomeado – International Fantasy Film Award de Melhor Filme (Nicolas Roeg)
Hugo Awards (1991)
Los Angeles Film Critics Association Awards (1990)
National Society of Film Critics Awards (1990)

Referências

  1. «The Witches (PG) (CUT)». British Board of Film Classification. 4 de maio de 1990. Consultado em 11 de setembro de 2016 
  2. «The Witches (1990)». The Numbers. Consultado em 10 de abril de 2017 
  3. a b c «The Witches: Warner Bros takes Jim Henson's puppet film swan song off the shelf». Cinefantastique. 21: 22. Setembro de 1990 
  4. Louis Jordan (20 de agosto de 2015). «Summer of '90: The Witches». Slant Magazine. Consultado em 24 de novembro de 2018 
  5. «Bewitched, Bothered, Buried Under Latex». The Los Angeles Times. Consultado em 18 de outubro de 2010 
  6. «The Headland Hotel». The Headland Hotel. Consultado em 24 de outubro de 2012. Arquivado do original em 23 de fevereiro de 2010 
  7. a b «History of the Headland Hotel | The Witches Film Location». www.headlandhotel.co.uk (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2018 
  8. https://www.slantmagazine.com/house/article/summer-of-90-the-witches
  9. Anjelica Huston (2014). Watch Me. [S.l.]: Scribner 
  10. a b c Anjelica Huston (2014). Watch Me. [S.l.]: Scribner 
  11. «WEEKEND BOX OFFICE : 'Darkman' Shines Among New Releases». The Los Angeles Times. Consultado em 2 de janeiro de 2011 
  12. «The Witches at Rotten Tomatoes». Rottentomatoes.com 
  13. Doan, Brian. «Roger Ebert The Witches review». Rogerebert.com 
  14. Bishop, Tom (11 de julho de 2005). «Entertainment | Willy Wonka's everlasting film plot». BBC News 
  15. «25th May 1990 - 27th May 1990». www.25thframe.co.uk. Consultado em 31 de dezembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]