Copa Libertadores da América de 1998

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Copa Libertadores da América de 1998
XXXIX Copa Libertadores de América
Copa Toyota Libertadores 1998
Copa Toyota Libertadores.png
Logotipo da Taça Libertadores da América adotado em 1998, com o início da parceria com o fabricante automotivo japonês Toyota.
Dados
Participantes 23
Organização CONMEBOL
Local de disputa Flags of the Union of South American Nations.gif América do Sul
Período 15 de janeiro26 de agosto
Gol(o)s 247
Partidas 98
Média 2,52 gol(o)s por partida
Campeão Brasil Vasco da Gama (1º título)
Vice-campeão Equador Barcelona de Guayaquil
Melhor marcador BrasilBRA Sérgio João (Bolívar) – 10 gols
Melhor ataque (fase inicial) Argentina River Plate – 15 gols
Melhor defesa (fase inicial) Equador Barcelona de Guayaquil – 3 gols
Maior goleada
(diferença)
Peñarol Uruguai 6 – 1 Bolívia Oriente Petrolero
Estádio Atilio OliveraRivera
27 de março, Grupo 4
Público 2 131 141
Média 25 989,5 pessoas por partida
◄◄ Libertadores 1997 Soccerball.svg Libertadores 1999 ►►

A edição de 1998 da Copa Libertadores da América foi a 39ª edição da competição de futebol realizada todos os anos pela Confederação Sul-Americana de Futebol. Equipes das dez associações sul-americanas participaram do torneio, além dos clubes do México, que pela primeira vez disputaram o torneio[1]; os mexicanos, porém, necessitaram disputar uma fase preliminar contra equipes da Venezuela. Foi a primeira vez que a Taça Libertadores passou a ter um patrocínio[2][3][4], o que aumentou significativamente o interesse dos clubes pela competição, devido aos valores distribuídos em premiações[5]. A Taça Libertadores de 1998 foi, até então, a edição com o maior número de ex-campeões presentes, sete no total, empatando com as edições de 1984 e 1997[6][7], feito só superado na edição de 2001, com nove ex-campeões, devido ao aumento no número de clubes na competição, ocorrido em 2000[8].

A competição foi vencida pelo Vasco da Gama[9], do Brasil, após derrotar o Barcelona, do Equador, em ambas as partidas da Final. Na partida de ida, realizada em São Januário, Rio de Janeiro, vitória por 2 a 0[10], em 12 de agosto. Na partida de volta, nova vitória, desta vez por 2 a 1, no Estádio Isidro Romero, em Guayaquil, em 26 de agosto[11]. O clube brasileiro garantiu, assim, uma vaga na Copa Intercontinental de 1998, que foi disputada no Japão. A conquista foi ainda mais marcante para o clube, por ter ocorrido no ano de seu centenário, ocorrido cinco dias antes da partida decisiva[12].

Este foi o primeiro título da Libertadores da equipe do Rio de Janeiro, e o segundo título sul-americano, por ter conquistado o Campeonato Sul-Americano de Campeões, em 1948, competição considerada precursora da atual Libertadores e reconhecida, em 1997, como uma competição sul-americana pela própria CONMEBOL[13]. O Vasco se tornou o sexto clube brasileiro a ter vencido a competição, conquistando a décima taça para o país, na décima sexta final disputada até então por um clube brasileiro[14].

Antes de chegar à final, o Vasco da Gama eliminou, nas semifinais, o River Plate, da Argentina, que possuía uma das melhores equipes da América do Sul à época[15], e que tinha sido campeão da Libertadores dois anos antes, em 1996. No primeiro jogo, disputado no Rio de Janeiro, no Estádio São Januário, o Vasco venceu por 1 a 0. Na partida de volta, realizada em Buenos Aires, no Estádio Monumental de Nuñez, o Vasco empatou em 1 a 1 com o River Plate graças a um gol de falta marcado por Juninho aos 37 minutos do segundo tempo[16]. Esse gol foi tão marcante que viraria letra de cântico da própria torcida do Vasco, anos depois[17]. Nas quartas-de-final do torneio, o Vasco da Gama eliminou o compatriota Grêmio, campeão da Libertadores três anos antes, em 1995. A partida de ida foi realizada no Estádio Olímpico em Porto Alegre e terminou empatada em 1 a 1. Na partida de volta, realizada no Estádio São Januário, o Vasco venceu por 1 a 0[18].

Nas oitavas-de-final, o Vasco eliminou o Cruzeiro, que defendia o título de campeão da Libertadores da América de 1997. O primeiro jogo , realizado no Estádio São Januário, terminou com vitória do Vasco por 2 a 1. Na segunda partida, realizada no Mineirão, houve empate por 0 a 0[19]. Na fase de grupos, o Vasco se classificou na segunda colocação, com oito pontos, atrás do Grêmio, com 12 pontos[20]. As equipes brasileiras, ao lado do América do México, que também se classificou, formavam o grupo 2 da competição, que ainda continha o Chivas Guadalajara, também do México, que ficou na lanterna, com apenas seis pontos conquistados.

O técnico que conduziu o Vasco da Gama à conquista foi Antônio Lopes, que comandou uma das melhores gerações do clube brasileiro em todos os tempos[21], em uma equipe que tinha nomes como o goleiro Carlos Germano, o zagueiro Mauro Galvão, o lateral Felipe, os meio-campistas Ramon, Pedrinho e Juninho Pernambucano, além dos atacantes Donizete e Luizão[22].

Regulamento[editar | editar código-fonte]

Nesta edição de Libertadores houve a estréia dos clubes mexicanos no torneio, disputando a Primeira Fase contra as equipes da Venezuela. Foram duas equipes de cada país, que disputaram um quadrangular, com os clubes de um país jogando contra os do outro em turno e returno. Os dois melhores desta fase seguiram para a Segunda Fase[1].

A partir da Segunda Fase, os dois times classificados da Primeira Fase se juntaram a outros 18 classificados de forma direta, e foram divididos em cinco grupos de quatro equipes cada, que jogaram entre si em sistema de turno e returno. Classificaram-se para a Fase Final os três primeiros colocados de cada chave, mais o Cruzeiro, do Brasil, Campeão da Libertadores de 1997. Na Fase Final, as equipes se enfrentaram em jogos eliminatórios, com partidas de ida e volta, até a grande final[23].

Equipes Classificadas[editar | editar código-fonte]

País Equipe Classificação
 Argentina
(2 vagas)
River Plate Campeão do Torneio Apertura 1996 e Torneio Clausura 1997[24]
Colón Vice-Campeão do Torneio Clausura 1997[24]
 Bolívia
(2 vagas)
Bolívar Campeão do Campeonato Boliviano de 1997[25]
Oriente Petrolero Vice-campeão do Campeonato Boliviano de 1997[25]
 Brasil
(2 vagas + atual campeão)
Cruzeiro Campeão da Copa Libertadores de 1997 [26]
Vasco da Gama Campeão do Campeonato Brasileiro de 1997[27]
Grêmio Campeão da Copa do Brasil de 1997[28]
 Chile
(2 vagas)
Universidad Católica Campeão do Torneio Apertura de 1997[29]
Colo-Colo Vice-campeão do Torneio Clausura de 1997[29]
 Colômbia
(2 vagas)
América de Cali Campeão do Campeonato Colombiano de 1997[30]
Atlético Bucaramanga Campeão do Torneo Adecuación de 1997[30]
Equador
(2 vagas)
Barcelona de Guayaquil Campeão do Campeonato Equatoriano de 1997[31]
Deportivo Quito Vice-campeão do Campeonato Equatoriano de Futebol de 1997[31]
 Paraguai
(2 vagas)
Olimpia Campeão do Campeonato Paraguaio de 1997[32]
Cerro Porteño Vice-campeão do Campeonato Paraguaio de Futebol de 1997[32]
 Peru
(2 vagas)
Alianza Lima Campeão do Campeonato Peruano de 1997[33]
Sporting Cristal Campeão da Liguilla Pré-Libertadores 1997[33]
Uruguai
(2 vagas)
Peñarol Campeão da Liguilla Pré-Libertadores de 1997[34]
Nacional Vice-campeão da Liguilla Pré-Libertadores de 1997[34]
 Venezuela
(2 vagas)
Caracas Campeão do Campeonato Venezuelano 1997[35]
Atlético Zulia Vice-campeão do Campeonato Venezuelano de Futebol de 1997[35]
 México
(2 vagas)
América Melhor pontuação dos Torneios Apertura de 1996 e Clausura de 1997 do Campeonato Mexicano[36]
Chivas Guadalajara Segunda melhor pontuação dos Torneios Apertura de 1996 e Clausura de 1997 do Campeonato Mexicano[36]

Mapa[editar | editar código-fonte]

Latin America - First level political divisions.svg

Transmissão[editar | editar código-fonte]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil os jogos dos clubes brasileiros foram transmitidos pela Rede Globo na TV aberta.

Primeira Fase[editar | editar código-fonte]

Esta fase foi disputada entre 4 e 26 de fevereiro. Quatro equipes, de México e Venezuela, participaram desta fase, onde os dois melhores se classificaram para a fase seguinte. A fórmula de disputa foi a seguinte: um quadrangular no qual as equipes se enfrentaram em turno e returno, porém não houve jogos entre times do mesmo país.

Equipe Pts J V E D GP GC SG
México Chivas Guadalajara 10 4 3 1 0 12 5 +7
México América 7 4 2 1 1 7 3 +4
Venezuela Caracas 5 4 1 2 1 4 6 -2
Venezuela Atlético Zulia 0 4 0 0 4 4 13 -9
  AME ZUL CAR CHI
América 4-1 1-1
Atlético Zulia 0-2 2-3
Caracas 1–0 1–1
Chivas Guadalajara 4-1 4-1

Segunda Fase[editar | editar código-fonte]

As partidas da segunda fase foram disputadas entre 25 de fevereiro e 9 de abril. As três melhores equipes de cada grupo avançaram para a fase final, além do Cruzeiro, que se classificou diretamente para a fase final por ter sido o campeão da Taça Libertadores da América de 1997, totalizando, assim, 16 classificados.

Equipes classificadas para a fase final
Equipes eliminadas

Grupo 1[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Colômbia América de Cali 11 6 3 2 1 10 5 +5
Equador Barcelona de Guayaquil 9 6 2 3 1 5 3 +2
Colômbia Atlético Bucaramanga 7 6 2 1 3 5 6 -1
Equador Deportivo Quito 5 6 1 2 3 3 9 -6
  AME BUC BSC QUI
América de Cali 2-2 1-1 2–1
Atlético Bucaramanga 0–1 1-0 2-0
Barcelona de Guayaquil 1-0 2-0 0-0
Deportivo Quito 0-4 1-0 1-1

Grupo 2[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Grêmio 12 6 4 0 2 6 5 +1
Brasil Vasco da Gama 8 6 2 2 2 7 4 +3
México América 8 6 2 2 2 6 5 +1
México Chivas Guadalajara 6 6 2 0 4 2 7 -5
  AME CHI GRE VAS
América 2-0 1-2 1–1
Chivas Guadalajara 0–1 1-0 1-0
Grêmio 1-0 2-0 1-0
Vasco da Gama 1-1 2-0 3-0

Grupo 3[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Paraguai Olimpia 13 6 4 1 1 14 6 +8
Chile Colo-Colo 7 6 2 1 3 8 10 -2
Paraguai Cerro Porteño 7 6 2 1 3 6 9 -3
Chile Universidad Católica 7 6 2 1 3 5 8 -3
  CPO COL OLI UCA
Cerro Porteño 2-0 1-2 0-0
Colo-Colo 1-2 1-3 3-2
Olimpia 5-1 1-1 2-0
Universidad Católica 1-0 0-2 2-1

Grupo 4[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Bolívia Bolívar 13 6 4 1 1 9 7 +2
Uruguai Peñarol 10 6 3 1 2 12 5 +7
Uruguai Nacional 6 6 2 0 4 11 12 -1
Bolívia Oriente Petrolero 5 6 1 2 3 7 15 -8
  BOL NAC OPE PEN
Bolívar 2-0 3-2 1–0
Nacional 4–1 4-1 1-4
Oriente Petrolero 1-1 2-1 0-0
Peñarol 0-1 2-1 6-1

Grupo 5[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Argentina River Plate 16 6 5 1 0 15 6 +9
Peru Alianza Lima 7 6 2 1 3 5 7 -2
Argentina Colón 7 6 2 1 3 5 8 -3
Peru Sporting Cristal 4 6 1 1 4 7 11 -4
  ALI CLN RIV SCR
Alianza Lima 1-0 1-1 1–0
Colón 1-0 1-2 1-0
River Plate 2-0 4-1 3-1
Sporting Cristal 3-2 1-1 2-3

Classificação para a fase final[editar | editar código-fonte]

Para a determinação das chaves da fase de oitavas de final em diante, ocorreu o cruzamento dos primeiros colocados com os terceiros colocados de grupos distintos. Além disso, ocorreram dois duelos entre segundos colocados de grupos diferentes, e um dos segundos colocados enfrentou o Campeão da edição anterior do torneio.

Fase Final[editar | editar código-fonte]

A Fase Final da Taça Libertadores de 1998 ocorreu de 15 de abril a 26 de agosto, sendo que houve uma pausa entre as Quartas-de-final e as Semifinais devido à disputa da Copa do Mundo de 1998, na França, que ocorreu de 10 de junho a 12 de julho do mesmo ano[37].

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
 15 de abril e 29 de abril  20 de maio a 6 de junho  16 de julho e 22 de julho  12 de agosto e 26 de agosto
                                                 
 Uruguai Nacional 1 0 1  
 Brasil Grêmio 1 4 5  
   Brasil Grêmio 1 0 1  
   Brasil Vasco da Gama 1 1 2  
 Brasil Vasco da Gama 2 0 2
 Brasil Cruzeiro 1 0 1  
   Brasil Vasco da Gama 1 1 2  
   Argentina River Plate 0 1 1  
 México América 1 0 1  
 Argentina River Plate 1 1 2  
   Argentina River Plate 2 3 5
   Argentina Colón 1 1 2  
 Argentina Colón (pen) 3 0 3 (2)
 Paraguai Olimpia 2 1 3 (1)  
   Brasil Vasco da Gama 2 2 4
   Equador Barcelona de Guayaquil 0 1 1
 Colômbia Atlético Bucaramanga 1 0 1  
 Bolívia Bolívar 2 1 3  
   Bolívia Bolívar 1 0 1
   Equador Barcelona de Guayaquil 1 4 5  
 Equador Barcelona de Guayaquil 2 2 4
 Chile Colo-Colo 1 2 3  
   Equador Barcelona de Guayaquil (pen) 1 1 2 (4)
   Paraguai Cerro Porteño 0 2 2 (3)  
 Peru Alianza Lima 1 1 2 (1)  
 Uruguai Peñarol (pen) 0 2 2 (3)  
   Uruguai Peñarol 2 0 2
   Paraguai Cerro Porteño 0 3 3  
 Paraguai Cerro Porteño 1 2 3
 Colômbia América de Cali 0 1 1  

Final[editar | editar código-fonte]

Jogo de ida[editar | editar código-fonte]

12 de agosto Vasco da Gama Brasil 2 – 0 Equador Barcelona de Guayaquil Estádio São Januário, Rio de Janeiro
21:40 (UTC-3)
Donizete Gol marcado aos 7 minutos de jogo 7'
Luizão Gol marcado aos 35 minutos de jogo 35'
Relatório Público: 36 273
Árbitro: UruguaiURU Gustavo Méndez
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco da Gama
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Barcelona

Jogo de volta[editar | editar código-fonte]

26 de agosto Barcelona de Guayaquil Equador 1 – 2 Brasil Vasco da Gama Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, Guayaquil
20:30 (UTC-3)
de Avila Gol marcado aos 79 minutos de jogo 79' Relatório Luizão Gol marcado aos 24 minutos de jogo 24'
Donizete Gol marcado aos 45 minutos de jogo 45'
Público: 82 000
Árbitro: ArgentinaARG Javier Castrilli
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Barcelona
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco da Gama
BARCELONA:
GO 1 Equador José Francisco Cevallos
DF 18 Equador Raúl Noriega Substituído após 46 minutos de jogo 46'
DF 3 Equador Holger Quiñonez Penalizado com cartão amarelo após 90 minutos 90'
DF 24 Equador Jimmy Montanero Capitão Penalizado com cartão amarelo após 67 minutos 67'
DF 2 Equador Luis Gómez Penalizado com cartão amarelo após 40 minutos 40'
MC 5 Equador Héctor Carabalí Penalizado com cartão amarelo após 78 minutos 78'
MC 8 Equador Marcelo Morales
DF 17 Equador Fricson George
MC 13 Equador Agustin Delgado Penalizado com cartão amarelo após 91 minutos 91'
AT 26 Colômbia Antony de Ávila Penalizado com cartão amarelo após 25 minutos 25'
AT 11 Equador Nicolás Asencio
Reservas:
GO 12 Equador Emilio Valencia
4 Equador Alberto Montaño
DF 6 Equador Luis Capurro
7 Equador Carlos Yanes
MC 15 Equador Washington Aires Entrou em campo após 46 minutos 46'
MC 16 Equador Julio Rosero
23 Equador Wagner Rivera
Treinador:
Argentina Rubén Darío Insúa
VASCO DA GAMA:
GO 1 Brasil Carlos Germano Penalizado com cartão amarelo após 70 minutos 70'
DF 10 Brasil Vágner
DF 3 Brasil Odvan Penalizado com cartão amarelo após 10 minutos 10'
DF 4 Brasil Mauro Galvão Capitão
DF 5 Brasil Luisinho Substituído após 87 minutos de jogo 87'
MC 6 Brasil Felipe Penalizado com cartão amarelo após 95 minutos 95'
MC 8 Brasil Nasa
MC 19 Brasil Juninho Penalizado com cartão amarelo após 55 minutos 55'
MC 16 Brasil Pedrinho Substituído após 74 minutos de jogo 74'
AT 9 Brasil Luizão Substituído após 82 minutos de jogo 82'
AT 7 Brasil Donizete Expulso a 93 minutos 93'
Reservas:
GO 12 Brasil Márcio Cazorla
MC 11 Brasil Ramon Penalizado com cartão amarelo após 78 minutos 78' Entrou em campo após 74 minutos 74'
DF 15 Brasil Alex Entrou em campo após 82 minutos 82'
MC 17 Brasil Nélson
DF 18 Brasil Válber
AT 21 Brasil Mauricinho
DF 2 Brasil Vítor Entrou em campo após 87 minutos 87'
Treinador:
Brasil Antônio Lopes

Premiação[editar | editar código-fonte]

Copa Libertadores da América de 1998
Flag of Brazil.svg
VASCO DA GAMA
Campeão
(2º título)

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Esses são os dez maiores públicos da Libertadores:[38]

Público[i] Mandante Placar Visitante Estádio Data Fase
1 85.000 México América 2–0 México Chivas Guadalajara Azteca 24 de março Segunda Fase
2 82.000 Equador Barcelona de Guayaquil 1–2 Brasil Vasco da Gama Monumental Isidro Romero 26 de agosto Final
3 65.000 Equador Barcelona de Guayaquil 1–0 Paraguai Cerro Porteño Monumental Isidro Romero 16 de julho Semifinais
4 62.764 Brasil Cruzeiro 0–0 Brasil Vasco da Gama Mineirão 29 de abril Oitavas-de-final
5 60.000 Equador Barcelona de Guayaquil 1–0 Colômbia América de Cali Monumental Isidro Romero 13 de março Segunda Fase
6 60.000 México América 1–1 Argentina River Plate Azteca 22 de abril Oitavas-de-final
7 50.032 Brasil Grêmio 1–0 Brasil Vasco da Gama Olímpico Monumental 4 de março Segunda Fase
8 50.000 Equador Barcelona de Guayaquil 2–1 Chile Colo-Colo Monumental Isidro Romero 15 de abril Oitavas-de-final
9 45.000 Uruguai Peñarol 2–1 Peru Alianza Lima Centenario 29 de abril Oitavas-de-final
10 42.500 Peru Alianza Lima 1–1 Argentina River Plate La Bombonera 12 de março Segunda Fase
  • i. ^ Considera-se apenas o público pagante

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Classificação geral[editar | editar código-fonte]

Oficialmente, a CONMEBOL não reconhece uma classificação geral de participantes na Copa Libertadores. A tabela a seguir classifica as equipes de acordo com a fase alcançada e considerando os critérios de desempate.[39]

Referências

  1. a b As melhores participações de mexicanos na Libertadores
  2. Patrocinador oficial da Copa Bridgestone Libertadores da América
  3. Libertadores renova patrocínio com a Toyota
  4. Juntas desde 1998, Libertadores e Toyota renovam patrocínio
  5. Copa Libertadores 1998: Curiosidades
  6. «Copa Libertadores. Historia» (em espanhol). CONMEBOL. 2016. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  7. «Lista de Participantes na Libertadores». bolanaarea.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  8. «Duelo fecha Libertadores de muitos times e muitos gols». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de maio de 2017 
  9. Jornal do Brasil, edição 141, 27 de agosto de 1998: Vasco é Campeão das Américas.
  10. Jornal do Brasil, edição 127, 13 de agosto de 1998: Vasco vence o Barcelona por 2 a 0 e agora até perder por um gol em Guaiaquil que garante o título da Taça Libertadores.
  11. Jornal do Brasil, edição 141, 27 de agosto de 1998: Rumo à conquista do mundo.
  12. Confira quais clubes comemoraram o centenário com título
  13. Conmebol formaliza em site oficial título internacional do Vasco em 1948
  14. Os 17 títulos dos clubes brasileiros na história da Libertadores
  15. Esquadrão Imortal – River Plate 1996-1997
  16. Jornal do Brasil, edição 106, 23 de julho de 1998: O melhor do Brasil na decisão: Vasco empata com o River e decide a Libertadores com o Barcelona do Equador.
  17. Gol Monumental de Juninho Pernambucano completa 17 anos em dia de festa para o River Plate
  18. Jornal do Brasil, edição 020, 7 de junho de 1998: Vasco vence Grêmio e está nas semifinais.
  19. Jornal do Brasil, edição 025, 3 de maio de 1998: Vasco segura o Cruzeiro: Time passa às quartas-de-final da Libertadores com empate de 0 a 0 no Mineirão.
  20. Jornal do Brasil, edição 002, 10 de abril de 1998: Nota sobre o jogo Vasco 1x1 América do México.
  21. Esquadrão Imortal – Vasco 1997-1998
  22. Jogos Históricos: Vasco campeão da Libertadores em 1998
  23. Copa Libertadores 1998: Regulamento
  24. a b Argentina 1996/97
  25. a b Bolivia 1997
  26. Copa Libertadores de America 1997
  27. Brasil 1997 - Série A
  28. Brazil Cup 1997
  29. a b Chile 1997
  30. a b Colombia 1997
  31. a b Ecuador 1997
  32. a b Paraguay 1997
  33. a b Peru 1997
  34. a b Uruguay 1997
  35. a b Venezuela 1997
  36. a b México
  37. Jogos da Copa de 1998
  38. «Copa Libertadores 1998 (em espanhol)» 🔗. Cero Cero. Consultado em 5 de maio de 2017 
  39. «Classificação Final da Libertadores 1998». Bola na Área. Consultado em 6 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Copa Libertadores da América de 1998

Campeão: Brasil Vasco da Gama

Vice-Campeão: Equador Barcelona de Guayaquil

Eliminados nas Semifinais: Argentina River Plate | Paraguai Cerro Porteño

Eliminados nas Quartas-de-Final: Bolívia Bolívar | Uruguai Peñarol | Brasil Grêmio | Argentina Colón

Eliminados nas Oitavas-de-Final: México América | Paraguai Olimpia | Colômbia América de Cali | Peru Alianza Lima | Chile Colo-Colo | Colômbia Atlético Bucaramanga | Uruguai Nacional | Brasil Cruzeiro

Eliminados na Segunda Fase: México Chivas Guadalajara | Chile Universidad Católica | Equador Deportivo Quito | Bolívia Oriente Petrolero | Peru Sporting Cristal

Eliminados na Primeira Fase: Venezuela Caracas | Venezuela Atlético Zulia