Copa Verde de Futebol de 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Copa Verde de Futebol de 2016
Copa Verde
Dados
Participantes 18
Organização CBF
Período 6 de fevereiro10 de maio
Gol(o)s 86
Partidas 33
Média 2,61 gol(o)s por partida
Campeão Paysandu
Vice-campeão Gama
Melhor marcador Rafael Grampola (Gama) – 6 gols
Maiores goleadas
(diferença)
Vila Nova 4–0 Luverdense
Serra DouradaGoiânia
10 de março, Oitavas de final
 
Remo 4–0 Náutico-RR
MangueirãoBelém
16 de março, Oitavas de final
Público 133 691
Média 4 177,8 pessoas por partida
◄◄ 2015 Soccerball.svg 2017 ►►

A Copa Verde de 2016 foi a 3ª edição da competição de futebol realizada entre clubes brasileiros dos estados da região Norte e da região Centro-Oeste, além do estado do Espírito Santo. A competição contou com 18 times participantes, que foram escolhidos a partir de seu desempenho nos campeonatos estaduais e pela posição no Ranking da CBF.

Na final entre Gama e Paysandu, a equipe paraense conquistou o título pela primeira vez. Após vencer a primeira partida por 2–0, em Belém, a equipe segurou a vantagem e ficou com o troféu após perder por 2–1 no jogo da volta, em Gama.[1] Além do título, o Paysandu também garantiria uma vaga na Copa Sul-Americana de 2017, mas teve a classificação revogada após a CONMEBOL reformular as competições sul-americanas de 2017.[2] Em compensação, o clube ganhou uma vaga diretamente às oitavas de final da Copa do Brasil de 2017.[3]

Formato e regulamento[editar | editar código-fonte]

Apesar de o calendário inicial divulgado pela CBF ter se baseado no formato da edição de 2015,[4] a entidade anunciou mudanças no torneio de 2016 em dezembro, o que aumentou o número de participantes, incluiu equipes de Goiás e criou uma fase preliminar antes das oitavas de final.[5]

A mudança mais polêmica ficou por conta da forma de classificação para a competição. Anteriormente, era levada em conta apenas a colocação nos campeonatos estaduais do ano anterior, mas o critério para 2016 incluiu também participantes bem posicionados no Ranking da CBF, englobando clubes que não estariam classificados anteriormente como Vila Nova, Paysandu, Águia de Marabá e Luverdense.[6] De acordo com o vice-presidente da CBF Antonio Carlos Nunes de Lima, conhecido por Coronel Nunes, a mudança na forma de classificação aconteceu a pedido do canal Esporte Interativo, a fim de incluir o Paysandu na competição.[7] O canal de televisão, contudo, negou as afirmações e declarou que tanto a fórmula de disputa quanto os critérios de acesso à Copa Verde foram definidos pela CBF.[8]

Antes classificados, Independente e Parauapebas perderam suas vagas e indicaram acionar a Justiça para retornar à competição.[9] Outro clube prejudicado com as mudanças, o Operário-MT ameaçou processar a Federação Mato-Grossense de Futebol.[10] Apesar das queixas, nenhuma ação foi adiante.

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Em parceria com a CBF no custeio das despesas dos times na competição, o canal Esporte Interativo ficou a cargo das transmissões dos jogos.

Participantes[editar | editar código-fonte]

Estaduais e seletivas[editar | editar código-fonte]

UF Clube Cidade Forma de Classificação Estádio (mando) Capacidade[11] Títulos
Acre Acre Rio Branco-AC Rio Branco Campeão do Estadual 2015 Arena da Floresta 20 000 0 (não possui)
Amapá Amapá Santos-AP Macapá Campeão do Estadual 2015 Zerão 13 680 0 (não possui)
Amazonas Amazonas Nacional-AM Bandeira de Manaus.svg Manaus Campeão do Estadual 2015 Arena da Amazônia 44 000 0 (não possui)
Fast Clube Campeão da Copa Amazonas 2015 Colina 10 451 0 (não possui)
Distrito Federal (Brasil) Distrito Federal Gama Bandeira de Gama (DF).jpg Gama Campeão do Metropolitano 2015 Bezerrão 20 310 0 (não possui)
Brasília Brasília Vice-campeão do Metropolitano 2015 Mané Garrincha 72 788 1 (2014)
Espírito Santo (estado) Espírito Santo Espírito Santo Bandeira de Vitória.svg Vitória Campeão da Copa Espírito Santo 2015 Kléber Andrade 21 000 0 (não possui)
Goiás Goiás Aparecidense[a] Aparecida de Goiânia Vice-campeão do Estadual 2015 Annibal Batista 4 800 0 (não possui)
Mato Grosso Mato Grosso Cuiabá Cuiabá Campeão do Estadual 2015 Arena Pantanal 44 000 1 (2015)
Mato Grosso do Sul Mato Grosso do Sul Comercial-MS Bandeira cg ed.jpg Campo Grande Campeão do Estadual 2015 Moreninhas 4 500 0 (não possui)
Pará Pará Remo Bandeira belem.jpg Belém Campeão do Estadual 2015 Mangueirão 45 007 0 (não possui)
Rondônia Rondônia Genus Bandeira de Porto Velho.svg Porto Velho Campeão do 2º turno do Estadual 2015 Aluizão 5 000 0 (não possui)
Roraima Roraima Náutico-RR Bandeira Caracarai.jpg Caracaraí Campeão do Estadual 2015 Ribeirão 1 500 0 (não possui)
Tocantins Tocantins Interporto Bandeira Porto Nacional.png Porto Nacional Vice-campeão do Estadual 2015 General Sampaio 2 000 0 (não possui)
  • a. ^ O Goiás, campeão do Estadual de 2015, foi convidado oficialmente, mas se recusou a participar da competição.[6][12]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

UF Clube Cidade Forma de Classificação Estádio (mando) Capacidade[11] Títulos
Goiás Goiás Vila Nova[b] Bandeira de Goiânia.svg Goiânia 44º colocado no Ranking da CBF Serra Dourada 42 000 0 (não possui)
Mato Grosso Mato Grosso Luverdense Bandeira de Lucas do Rio Verde.jpg Lucas do Rio Verde 36º colocado no Ranking da CBF Passo das Emas 10 000 0 (não possui)
Pará Pará Paysandu Bandeira belem.jpg Belém 30º colocado no Ranking da CBF Curuzu 16 200 0 (não possui)
Águia de Marabá Bandeira de Marabá (Pará).svg Marabá 55º colocado no Ranking da CBF Zinho de Oliveira 5 000 0 (não possui)
  • b. ^ O Atlético Goianiense, 28º colocado no Ranking da CBF, foi convidado oficialmente, mas se recusou a participar da competição.[6][12]
Localização das equipes participantes da Copa Verde 2016.

Confrontos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados da Copa Verde de 2016

A tabela dos confrontos foi divulgada pela CBF em 8 de dezembro.[13]

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.

Fase preliminar[editar | editar código-fonte]

Time 1   Total   Time 2   1º jogo   2º jogo
Fast Clube Amazonas 0–4 Pará Águia de Marabá[nota 1] 0–1 0–3
Brasília Distrito Federal (Brasil) 1–2 Goiás Vila Nova 1–1 0–1

Tabela até a final[editar | editar código-fonte]

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
 9 a 27 de março  23 de março a 14 de abril  20 e 23 de abril  3 e 10 de maio
                                                 
 Amazonas Fast Clube 1 0 1  
 Pará Paysandu 1 3 4  
   Pará Paysandu 1 5 6  
   Acre Rio Branco-AC 0 2 2  
 Rondônia Genus[nota 2] 2
 Acre Rio Branco-AC 1  
   Pará Paysandu 2 4 6  
   Pará Remo 1 2 3  
 Amapá Santos-AP 3 2 5  
 Amazonas Nacional-AM 3 4 7  
   Amazonas Nacional-AM 1 0 1
   Pará Remo 1 1 2  
 Roraima Náutico-RR 1 0 1
 Pará Remo 3 4 7  
   Pará Paysandu 2 1 3
   Distrito Federal (Brasil) Gama 0 2 2
 Mato Grosso do Sul Comercial-MS 0 0 0  
 Mato Grosso Cuiabá 0 2 2  
   Mato Grosso Cuiabá 1 1 2
   Goiás Aparecidense 3 0 3  
 Espírito Santo (estado) Espírito Santo 0 0 0
 Goiás Aparecidense 0 2 2  
   Goiás Aparecidense 1 2 3
   Distrito Federal (Brasil) Gama 3 1 4  
 Goiás Vila Nova 4 1 5  
 Mato Grosso Luverdense 0 0 0  
   Goiás Vila Nova 0 0 0 (3)
   Distrito Federal (Brasil) Gama (pen) 0 0 0 (4)  
 Tocantins Interporto 1 0 1
 Distrito Federal (Brasil) Gama 1 3 4  

Final[editar | editar código-fonte]

Ida[editar | editar código-fonte]

3 de maio Paysandu Pará 2 – 0 Distrito Federal (Brasil) Gama Estádio Mangueirão, Belém
20:30
Celsinho Gol marcado aos 9 minutos de jogo 9'
Leandro Cearense Gol marcado aos 90+4 minutos de jogo 90+4'
Público: 24 160
Renda: R$ 728.014,00
Árbitro: TocantinsTO Alisson Sidnei Furtado
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Paysandu
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Gama

Volta[editar | editar código-fonte]

10 de maio Gama Distrito Federal (Brasil) 2 – 1 Pará Paysandu Estádio Bezerrão, Gama
20:30
Rafael Grampola Gol marcado aos 73 minutos de jogo 73', Gol marcado aos 79 minutos de jogo 79' (pen) Gol marcado aos 2 minutos de jogo 2' Raí Público: 8 036
Renda: R$ 120.830,00
Árbitro: GoiásGO Elmo Alves Resende Cunha
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Gama
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Paysandu

Premiação[editar | editar código-fonte]

Copa Verde de Futebol de 2016
Pará
Paysandu Sport Club
Campeão
(1º título)

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Gols[18] Jogador Time
6 Brasil Rafael Grampola Distrito Federal (Brasil) Gama
4 Brasil Betinho Pará Paysandu
3 Brasil Fabinho Alves Pará Paysandu
Brasil Raí Pará Paysandu
Brasil Wanderley Amazonas Nacional-AM
Brasil Welthon Pará Remo

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Esses são os dez maiores públicos da Copa Verde de 2016:

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Etapa Rodada Ref.
1 24 160 Paysandu Pará 2–0 Distrito Federal (Brasil) Gama Mangueirão 3 de maio Final Ida [19]
2 21 537 Remo Pará 2–4 Pará Paysandu Mangueirão 23 de abril Semifinal Volta [20]
3 14 118 Paysandu Pará 2–1 Pará Remo Mangueirão 20 de abril Semifinal Ida [21]
4 9 087 Paysandu Pará 1–0 Acre Rio Branco-AC Curuzu 7 de abril Quartas Ida [22]
5 8 036 Gama Distrito Federal (Brasil) 2–1 Pará Paysandu Bezerrão 10 de maio Final Volta [23]
6 6 575 Remo Pará 1–0 Amazonas Nacional-AM Mangueirão 6 de abril Quartas Volta [24]
7 4 617 Rio Branco-AC Acre 2–5 Pará Paysandu Arena da Floresta 14 de abril Quartas Volta [25]
8 3 971 Remo Pará 4–0 Roraima Náutico-RR Mangueirão 17 de março Oitavas Volta [26]
9 3 663 Gama Distrito Federal (Brasil) 1–2 Goiás Aparecidense Bezerrão 23 de abril Semifinal Volta [27]
10 3 600 Paysandu Pará 3–0 Amazonas Fast Clube Curuzu 27 de março Oitavas Volta [28]
  • PP. ^ Considera-se apenas o público pagante

Médias de público[editar | editar código-fonte]

Essas foram as médias de público dos clubes no Campeonato. Considera-se apenas os jogos da equipe como mandante e o público pagante:[29]

  1. Pará Paysandu – 12 741
  2. Pará Remo – 10 694
  3. Acre Rio Branco-AC – 4 617
  4. Distrito Federal (Brasil) Gama – 4 379
  5. Amapá Santos-AP – 3 020
  6. Mato Grosso do Sul Comercial-MS – 3 000
  7. Amazonas Nacional-AM – 2 707
  8. Goiás Vila Nova – 2 233
  9. Amazonas Fast Clube – 2 050
  1. Distrito Federal (Brasil) Brasília – 1 808
  2. Rondônia Genus – 989
  3. Pará Águia de Marabá – 735
  4. Espírito Santo (estado) Espírito Santo – 591
  5. Mato Grosso Cuiabá – 499
  6. Mato Grosso Luverdense – 406
  7. Tocantins Interporto – 366
  8. Goiás Aparecidense – 138
  9. Roraima Náutico-RR – 0

Classificação geral[editar | editar código-fonte]

Pos Times Pts J V E D GP GC SG Classificação ou eliminação
1 Pará Paysandu 19 8 6 1 1 19 8 +11 Finalistas
2 Distrito Federal (Brasil) Gama 12 8 3 3 2 10 7 +3
3 Pará Remo 10 6 3 1 2 12 8 +4 Eliminados nas semifinais
4 Goiás Aparecidense 10 6 3 1 2 8 6 +2
5 Goiás Vila Nova 12 6 3 3 0 7 1 +6 Eliminados nas quartas de final
6 Mato Grosso Cuiabá 7 4 2 1 1 4 3 +1
7 Amazonas Nacional-AM 5 4 1 2 1 8 7 +1
8 Acre Rio Branco-AC 0 3 0 0 3 3 8 –5
9 Amapá Santos-AP 1 2 0 1 1 5 7 –2 Eliminados nas oitavas de final
10 Espírito Santo (estado) Espírito Santo 1 2 0 1 1 0 2 –2
10 Mato Grosso do Sul Comercial-MS 1 2 0 1 1 0 2 –2
12 Tocantins Interporto 1 2 0 1 1 1 4 –3
13 Amazonas Fast Clube 1 4 0 1 3 1 8 –7
14 Mato Grosso Luverdense 0 2 0 0 2 0 5 –5
15 Roraima Náutico-RR 0 2 0 0 2 1 7 –6
16 Distrito Federal (Brasil) Brasília 1 2 0 1 1 1 2 –1 Eliminado na fase preliminar
17 Pará Águia de Marabá[nota 1] 6 2 2 0 0 4 0 +4 Excluídos da competição
18 Rondônia Genus[nota 2] 3 1 1 0 0 2 1 +1

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. a b Após disputar os dois jogos da fase preliminar contra o Fast Clube (0–1 e 3–0) e a partida de ida das oitavas de final contra o Paysandu (0–1), o Águia de Marabá foi excluído da competição pelo STJD por escalação irregular do lateral Léo Rosa.[14] Assim, o Fast Clube se classificou às oitavas de final.[15]
  2. a b Após disputar a primeira partida das oitavas de final contra o Rio Branco-AC (2–1), o Genus foi excluído da competição pelo STJD por escalação irregular do lateral Tiago Guarate.[16] A princípio, o clube rondoniense havia sido punido com a perda de seis pontos, mas o STJD reviu a decisão a pedido da CBF.[17] Assim, o Rio Branco-AC se classificou às quartas de final.

Referências

  1. «Paysandu sai na frente, leva virada do Gama, mas é campeão da Copa Verde». GloboEsporte.com. 10 de maio de 2016. Consultado em 10 de maio de 2016. 
  2. «Santa Cruz e Papão não terão vaga na Copa Sul-Americana de 2017». GloboEsporte.com. 30 de novembro de 2016. Consultado em 1 de dezembro de 2016. 
  3. «Sorteio de mandos e divisão de renda: CBF detalha Copa do Brasil de 2017». GloboEsporte.com. 1 de dezembro de 2016. Consultado em 1 de dezembro de 2016. 
  4. «Calendário do Futebol Brasileiro 2016 - Primeiro Semestre» (PDF). CBF. 25 de agosto de 2015. Consultado em 9 de setembro de 2015. 
  5. «CBF divulga regulamento, tabela e plano de ação». CBF. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015. 
  6. a b c «CBF muda regulamento da Copa Verde para incluir clube do Coronel Nunes». Paraná Online. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015. 
  7. «Combinou com o "russo"? CBF diz que o ranking explica Paysandu na Copa Verde. Torcedor do Papão e candidato de Del Nero a vice, Coronel Nunes atribui "virada de mesa" a canal de televisão». Correio Braziliense. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 19 de março de 2017. 
  8. «Copa Verde de 2016: o campeonato do Coronel Nunes». Virando o Jogo. 4 de maio de 2016. Consultado em 19 de março de 2017. 
  9. «Pebas e Galo podem acionar a Justiça após perdas de vagas na Copa Verde». GloboEsporte.com. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015. 
  10. «Sem vaga na Copa Verde, Operário VG promete processar a FMF». GloboEsporte.com. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015. 
  11. a b «CNEF Cadastro Nacional de Estádios de Futebol» (PDF). CBF. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 17 de abril de 2016. 
  12. a b «Vila Nova confirma participação na Copa Verde; Goiás, Atlético e Aparecidense analisam». Portal 730. 7 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015. 
  13. «Tabela Básica da Copa Verde 2016» (PDF). CBF. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 12 de dezembro de 2015. 
  14. «STJD exclui Águia de Marabá da Copa Verde; Fast-AM aguarda retorno». GloboEsporte.com. 16 de março de 2016. Consultado em 17 de março de 2016. 
  15. «Fast-AM volta a Copa Verde após eliminação do Águia de Marabá». GloboEsporte.com. 17 de março de 2016. Consultado em 17 de março de 2016. 
  16. «STJD volta atrás e Genus deixa Copa Verde; Rio Branco-AC segue no jogo». GloboEsporte.com. 24 de março de 2016. Consultado em 24 de março de 2016. 
  17. «Após denúncia de irregularidade, Genus é julgado e perde seis pontos na Copa Verde». GloboEsporte.com. 17 de março de 2016. Consultado em 24 de março de 2016. 
  18. «Artilharia - Copa Verde». CBF. 25 de abril de 2016. Consultado em 25 de abril de 2016. 
  19. «Paysandu faz 2 a 0 no Gama e leva boa vantagem para a decisão no DF». GloboEsporte.com. 3 de maio de 2016. Consultado em 4 de maio de 2016. 
  20. «Paysandu supera o Remo e vai à final da Copa Verde». Futebol do Norte. 24 de abril de 2016. Consultado em 30 de abril de 2016. 
  21. «Remo começa bem, mas Papão vira e joga por um empate para ir à final da Copa Verde». GloboEsporte.com. 20 de abril de 2016. Consultado em 30 de abril de 2016. 
  22. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Paysandu 1x0 Rio Branco-AC» (pdf). CBF. 7 de abril de 2016. Consultado em 9 de abril de 2016. 
  23. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Gama 2x1 Paysandu» (pdf). CBF. 10 de maio de 2016. Consultado em 12 de maio de 2016. 
  24. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Remo 1x0 Nacional-AM» (pdf). CBF. 6 de abril de 2016. Consultado em 9 de abril de 2016. 
  25. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Rio Branco-AC 2x5 Paysandu» (pdf). CBF. 14 de abril de 2016. Consultado em 17 de junho de 2016. 
  26. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Remo 4x0 Náutico-RR» (pdf). CBF. 17 de março de 2016. Consultado em 20 de março de 2016. 
  27. «Em jogo com confusão no fim, Verdão perde, mas é finalista». Futebol Interior. 23 de abril de 2016. Consultado em 30 de abril de 2016. 
  28. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Paysandu 3x0 Fast Clube» (pdf). CBF. 27 de março de 2016. Consultado em 31 de março de 2016. 
  29. «Ranking de Público». SrGoool.com.br. Consultado em 30 de abril de 2016.