Cordel Encantado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cordel Encantado
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero romance
drama
Duração 50 minutos
Criador(es) Duca Rachid
Thelma Guedes
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Amora Mautner
Câmera multicâmera
Roteirista(s) Thereza Falcão
Manuela Dias
Daisy Chaves
Elenco
Tema de abertura "Minha Princesa Cordel", Gilberto Gil e Roberta Sá
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 11 de abril – 23 de setembro de 2011
N.º de episódios 143

Cordel Encantado é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 18 horas de 11 de abril a 23 de setembro de 2011, em 143 capítulos,[2] substituindo Araguaia e sendo substituída por A Vida da Gente. É a 77ª "novela das seis" exibida pela emissora. Escrita por Duca Rachid e Thelma Guedes, com colaboração de Manuela Dias e Daisy Chaves e co-autoria de Thereza Falcão, teve a direção de Amora Mautner, Gustavo Fernandez, Natália Grimberg e Thiago Teitelroit. A direção geral foi de Amora Mautner e a direção de núcleo de Ricardo Waddington.[3]

Contou com as participações de Bianca Bin, Cauã Reymond, Bruno Gagliasso, Nathalia Dill, Carmo Dalla Vecchia, Débora Bloch, Luiz Fernando Guimarães e Domingos Montagner.[1][4]

Produção[editar | editar código-fonte]

As primeiras cenas foram gravadas no Castelo de Chambord, na França.

Para retratar o fictício reino de Seráfia, a equipe da novela viajou para a França e gravou cenas no castelo de Chambord, para onde viajaram alguns atores como Alinne Moraes, Carmo Dalla Vecchia e Débora Bloch e que contou com uma equipe local formada por quinze atores coadjuvantes, quatrocentos figurantes, além de oitenta pessoas da parte técnica. O orçamento gasto durante os cinco dias de gravação foi de 36 000 euros.[5]

Em março de 2011, a equipe da novela viajou para a cidade de Canindé de São Francisco, em Sergipe e Olho d'Água do Casado em Alagoas para gravar cenas que retratavam o Nordeste. O cenário escolhido foi o cânion do Rio São Francisco, que passa pelas duas cidades. Trabalharam cerca de setenta profissionais do Rio de Janeiro, além de quase cem pessoas da região, incluindo os figurantes.[6] A novela foi lançada em DVD pela Globo Marcas em 2013.[7]

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

Bianca Bin foi escolhida para ser protagonista da novela pelas próprias autoras. Elas usaram o mesmo critério que a fizeram escolher Paolla Oliveira mocinha de O Profeta: o fato dela ter surgido com destaque em um papel de coadjuvante numa novela de Silvio de Abreu[8]. Taís Araújo interpretaria a personagem Maria Cesária, mas teve que recusar por estar grávida e acabou sendo substituída por Lucy Ramos.[9][10]

Exibição[editar | editar código-fonte]

Inicialmente a trama era exibida com classificação Livre. Mas o Ministério da Justiça interveio na trama e a partir de 20 de julho de 2011, ela foi reclassificada como "Não recomendável para menores de 10 anos.[11] A justificativa da ação se dá pelas cenas de violência. A Rede Globo não recorreu da decisão, pois a mudança da classificação indicativa não alterou o horário de exibição da novela.

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 14 de janeiro a 3 de maio de 2019, em 77 capítulos, substituindo Belíssima e sendo substituída por Por Amor.[12] [13]

Exibição internacional[editar | editar código-fonte]

Apesar dos bons índices de audiência no Brasil, devido a questões culturais, Cordel Encantado foi exportada para poucos países, tendo menos interesse que A Vida da Gente, sua substituta no Brasil. Em alguns países, como no Uruguai, a trama obteve baixos índices de audiência. No Equador, a novela das nove Insensato Coração venceu Cordel Encantado em enquete do canal Ecuavisa, acabando por ser transmitida posteriormente.[14] A trama já foi exportada para países como São Tomé e Príncipe, Costa Rica, Porto Rico, Guatemala, El Salvador, Panamá, Coreia do Sul, Nicarágua, Suécia, Sérvia, República Dominicana, Canadá[15], Estados Unidos, Paraguai e Venezuela.[16] Também já foi transmitida para a área de cobertura do canal OSN Drama, sediado nos Emirados Árabes Unidos.

Em Portugal, Cordel Encantado foi exibida pelo canal a cabo Globo, na faixa das 20h, entre 27 de outubro de 2013 e 1.º de fevereiro de 2014.[17] Tradicionalmente exibidas pelo canal aberto SIC, a trama não despertou interesse e estreou praticamente dois anos após seu fim no Brasil.[18] Apesar deste fator, a trama fez o canal atingir a liderança,[14] registrando share de 3% durante o mês de novembro de 2013.[19] Em 14 de janeiro de 2014, atingiu seu recorde com 4% de share, 153 mil e 900 espectadores.[20]

Enredo[editar | editar código-fonte]

No fim do século XIX, os reinos europeus de Seráfia do Norte e Seráfia do Sul – lideradas pelos reis Augusto (Carmo Dalla Vecchia) e Cristina (Alinne Moraes) ao norte e Teobaldo (Thiago Lacerda) e Helena (Mariana Lima) ao sul – encerram uma guerra secular ao fazerem um acordo em que herdeiros de cada família, Aurora e Felipe, se casariam na maioridade, unindo as monarquias. Durante uma viagem ao sertão do Brasil, a corte da Seráfia do Norte é atacada por cangaceiros a mando da ardilosa duquesa Úrsula (Débora Bloch), que vê a chance de casar sua própria filha com Felipe futuramente e se tornar mais poderosa. Em fuga, a Rainha Cristina entrega a filha recém-nascida aos camponeses Virtuosa (Ana Cecília Costa) e Eusébio (Enrique Díaz), pedindo que cuidem dela sendo assassinada a metros dali. Desolado, Augusto retorna à Europa após ser salvo e passa a vida amargurado. Após dezoito anos Aurora (Bianca Bin) – agora com o nome de Açucena – cresceu sem conhecer sua verdadeira identidade, estando noiva de Jesuíno (Cauã Reymond), rapaz valente que foi criado somente pela mãe, Benvinda (Cláudia Ohana), e que não sabe que o pai, Herculano (Domingos Montagner), é o cangaceiro mais perigoso do sertão. Quem não gosta do romance é Timóteo (Bruno Gagliasso), dono da fazenda onde o rapaz mora e capaz de qualquer crueldade para ter Açucena e prejudicar Jesuíno.

Apaixonada inicialmente também por Jesuíno, Doralice (Nathalia Dill) é uma moça bondosa e à frente de seu tempo, que se formou em direito e voltou para Brogodó para mostrar às garotas que elas podem ser mais que donas de casa. Subestimada por ser mulher, ela entra para a cavalaria vestida de homem para se aproximar do amado. Tudo muda quando o rei Augusto decide voltar ao Brasil após uma profecia de que sua filha está viva, trazendo com ele toda a corte das duas Seráfias. Não tarda, porém, para que o príncipe Felipe (Jayme Matarazzo) se apaixone por Doralice, lutando contra a pressão da hierarquia para ficar com ela. Já o príncipe-infante Inácio (Maurício Destri) se apaixona por Antônia (Luiza Valdetaro), mas tem que enfrentar com o irmão dela, Timóteo, que vê mais vantagem política em casá-la com o delegado Batoré (Osmar Prado). Dissimulada, Úrsula também desembarca no Brasil para não deixar ninguém interferir em seus planos, contando com a ajuda do mordomo e amante Nicolau (Luiz Fernando Guimarães) em suas armações. O que ela não esperava é que seu marido, o duque Petrus (Felipe Camargo), dado como desaparecido há muitos anos, fosse conseguir fugir da masmorra onde ela o prendeu e retornasse para se vingar.

A cidade ainda guarda outras histórias, como do prefeito Patácio (Marcos Caruso) e da primeira-dama Ternurinha (Zezé Polessa), pais de Doralice, deslumbrados com a chegada dos nobres, tentando imitar todos seus modos – mas apesar da pompa ela tem um caso com cangaceiro Zóio Furado (Tuca Andrada). Já o irmão de Açucena, Cícero (Miguel Rômulo), entra para o cangaço em busca de melhor condição de vida, contrariando a professora Rosa (Isabelle Drummond), o grande amor de sua vida e que tente o instigar a fazer o bem. Ainda há o turco Farid (Mouhamed Harfouch), casado com três mulheres diferentes em três cidades: Bartira (Andreia Horta), Penélope (Paula Burlamaqui) e a primeira delas, Neusa (Heloísa Perissé), que ele corre o risco de perder para o amigo, o gago Quiquiqui (Marcello Novaes). Em meio a todas as mudanças, Açucena começa a descobrir seu passado como Aurora e tem que lidar com uma vida da qual ela jamais imaginou existir, enquanto Jesuíno conhece seu pai, que deseja que ele seja seu sucessor no cangaço.[21]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Bianca Bin Açucena Bezerra / Aurora Catarina Ávila, Princesa de Seráfia do Norte[22][23]
Cauã Reymond Jesuíno Peixoto[24]
Bruno Gagliasso Timóteo Cabral[25]
Nathalia Dill Doralice Peixoto (Dora) / Fubá[1][4]
Jayme Matarazzo Felipe Villa Real, Príncipe de Seráfia do Sul[26][23]
Débora Bloch Duquesa Úrsula de Bragança[27]
Domingos Montagner Capitão Herculano Araújo[28]
Maurício Destri Inácio Villa Real, Príncipe de Seráfia do Sul[29]
Luiza Valdetaro Antônia Cabral[30]
Carmo Dalla Vecchia Augusto Frederico III, Rei de Seráfia do Norte[31]
Luiz Fernando Guimarães Nicolau Brüguel[32]
Felipe Camargo Duque Petrus de Bragança[1]
Isabelle Drummond Rosa Alfredo[33]
Miguel Rômulo Cícero Bezerra (Ciço)[32]
Lucy Ramos Maria Cesária[1]
Tuca Andrada Leopoldo Fulgêncio (Zóio Furado)[1][4]
Zezé Polessa Ternurinha Peixoto[34]
Marcos Caruso Prefeito Patácio Peixoto[34]
Cláudia Ohana Benvinda Araújo[1]
Ana Cecília Costa Virtuosa Bezerra[32]
Enrique Díaz Euzébio Bezerra[32]
Emanuelle Araújo Florinda Alfredo[35]
Guilherme Fontes Marquês Zenóbio Alfredo[1][4]
Osmar Prado Delegado Altino Batoré (Batoré)[1][4]
Heloísa Perissé Neusa Batoré[26]
Marcello Novaes Quintino (Quiquiqui)[1][4]
Mouhamed Harfouch Farid / Tufik / Said[1][4]
Andreia Horta Bartira[1]
Paula Burlamaqui Penélope[1]
Matheus Nachtergaele Miguézim[1]
Renato Góes Fausto Peixoto[1]
Luana Martau Lady Carlota Bragança[1]
Mariana Lima Helena Villa Real, Rainha de Seráfia do Sul[26]
Berta Loran Efigênia Ávila, Rainha-mãe de Seráfia do Norte[1]
Nanda Costa Lilica[1]
João Miguel Belarmino[1][4]
Débora Duarte Amália[1]
Tony Tornado Damião[1]
Genézio de Barros Padre Joaquim[1]
Ilva Niño Cândida [1]
Emílio de Mello General Baldini[1]
Patrícia Werneck Téinha[1]
Land Vieira Tibungo[1]
Glicério Rosário Setembrino[1]
Antônio Karnewale Dr. Sérgio[1]
Flávia Rubim Filó[1]
Edmilson Barros Ademar[1]
Wagner Molina Genaro[1]
Cristiane Amorim Janaína[1]
Aramis Trindade Raimundo[4]
Carolina Loback Severina
Dja Marthins Guiomar
Isabel Mello Cordata[1]
Alessandro Tcche Soldado Rufino[1]
Marcelo Flores Cabo Paçoca[1]
Renan Ribeiro Galego[1]
Caio Manhente Zig Alfredo[1]
Bárbara Maia Dulcina Alfredo[1]
João Fernandes Eronildes Peixoto (Nidinho)[1]
Matheus Costa Salim[1]
Bernardo Simões Omar[1]
Nahuana Costa Sofia[1]
Sofia Terra Lady Cecília de Ávila e Bragançaa[1]
Max Lima Juca[1]

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Alinne Moraes Rainha Cristina (rainha de Seráfia do Norte)[1][4]
Thiago Lacerda Rei Teobaldo (rei de Seráfia do Sul[1][4]
Reginaldo Faria Coronel Januário Cabral[1]
Zé Celso Martinez Amadeus[1]
Brunno Pedro Elias[4]
Caco Ciocler Coronel Pedro Falcão[4]
Beth Berardo Angélica Cabral[4]
Arch Bava Serafim D'ávila[4]
Mayana Neiva Vicentina Celeste[1]
Maurício Machado Silvério Duarte[1]
Camila Amado Zefa[4]
Alfredo Henrique da Silva Jesuíno (criança)[4]
David Júnior Cangaceiro Meia-Noite
Fernando Eiras Baltazar[4]
Gillray Coutinho Tomás de Lampedusa[1]
Thommy Schiavo Carne Seca[1]
Beto Quirino José[4]
André Mendes Ernesto Nazareth[4]
Elisa Pinheiro Abigail Maia[4]
Kenya Costta Noca[4]
Pedro Farah Demóstenes[4]
Márcio Vito Isaías[4]
Marcelo Argenta Oficial Ribeirinho[4]
Rogério Rangel Costa Palhaço Calibã / Cardeal Obron Ravena[4]
Romeu Benedicto Jacinto[4]
Erlemilson Miguel Ecron[4]
Saulo Rodrigues Oduvaldo Vianna[4]
Daniel Ribeiro Tenente Aroera[4]
Jorge Lucas João do Rio

Música[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora da trama apresenta uma novidade, nunca vista anteriormente: Das 16 músicas da trilha, 13 são interpretadas por cantores nordestinos. Isso se dá pelo fato da novela ter o Nordeste como cenário.[36]

CD Cordel Encantado
Capa do álbum.
Trilha sonora de vários artistas
Lançamento maio de 2011
Idioma(s) (em português)
Formato(s) CD

Capa: Frame da abertura da novela

  1. "Minha Princesa Cordel" — Gilberto Gil & Roberta Sá (tema de Abertura e tema de Jesuíno e Açucena)
  2. "Bela Flor" — Maria Gadú (tema de Jesuíno e Açucena)
  3. "Quando Assim" — Nuria Mallena (tema de Rei Augusto e Maria Cesária)
  4. "Candeeiro Encantado" — Lenine (tema de Herculano)
  5. "Maracatu Atômico" — Chico Science & Nação Zumbi (tema de locação)
  6. "Chão de Giz" — Zé Ramalho (tema de Petrus e Florinda)
  7. "Saga" — Filipe Catto (tema de Úrsula e Herculano)
  8. "Circulandô de Fulô" — Caetano Veloso (tema de locação)
  9. "Tum Tum Tum" — Karina Buhr (tema de Batoré e Rainha Helena)
  10. "Coração" — Monique Kessous (tema de Jesuíno e Doralice, depois tema de Rosa)
  11. "Na Primeira Manhã" — Alceu Valença (tema de Filipe e Doralice)
  12. "Melodia Sentimental" — Djavan (tema de Antônia e Inácio)
  13. "Estrela Miúda" — Maria Bethânia (tema de Farid e suas Mulheres)
  14. "Carcará" — Otto (tema de Timoteo)
  15. "Rei José" — Silvério Pessoa (tema geral)
  16. "Xamêgo" — Luiz Gonzaga (tema geral)

Instrumental[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora instrumental foi composta por Eduardo Queiroz. [37]


CD Cordel Encantado — Música Original de Eduardo Queiroz
Trilha sonora de vários artistas
Lançamento 2016
Gênero(s) Música Instrumental
Idioma(s) (em português)
Formato(s) CD

Faixas[38][editar | editar código-fonte]

  1. "Miguezim" (feat. Julio Ortiz, Felipe Alexandre, Silvio Balaz, Zé Pitoco, Luiz Guello, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Lula Alencar, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli & Luiz Fernando Cadorin)
  2. "Aurora" (feat. Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Daniel Pires, Felipe Alexandre, Alexey Kurkdjian, Diogo Maia, Mauro Lombardi, Silvio Balaz, Luiz Fernando Cadorin & Julio Ortiz)
  3. "Herói" (feat. Julio Ortiz, Felipe Alexandre, Luiz Guello, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Lula Alencar, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin, Diogo Maia, Silvio Balaz & Zé Pitoco)
  4. "Sertão" (feat. Julio Ortiz, Felipe Alexandre, Silvio Balaz, Luiz Guello, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Lula Alencar, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin, Diogo Maia & Zé Pitoco)
  5. "Bola de Fogo" (feat. Camilo Carrara, Mario Afonso Barbosa, Alexey Kurkdjian & Mauro Lombardi)
  6. "Amor Sertanejo" (feat. Julio Ortiz, Felipe Alexandre, Silvio Balaz, Luiz Guello, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Lula Alencar, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin, Diogo Maia & Zé Pitoco)
  7. "Jesuíno" (feat. Julio Ortiz, Felipe Alexandre, Silvio Balaz, Luiz Guello, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Lula Alencar, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin, Diogo Maia & Zé Pitoco)
  8. "Reis" (feat. Julio Ortiz, Silvio Balaz, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Daniel Pires, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin, Diogo Maia & Mario Afonso Barbosa)
  9. "Cangaceiros" (feat. Julio Ortiz, Silvio Balaz, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin & Diogo Maia)
  10. "Borogodó" (feat. Julio Ortiz, Felipe Alexandre, Silvio Balaz, Luiz Guello, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Lula Alencar, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin, Diogo Maia & Zé Pitoco)
  11. "Gerador de Luz" (feat. Luiz Guello, Luiz Serralheiro, Diogo Maia, Lula Alencar & Daniel Alcântara)
  12. "Três Mulheres" (feat. Camilo Carrara & Mauro Lombardi)
  13. "Sequestro" (feat. Camilo Carrara & Mario Afonso Barbosa)
  14. "Úrsula" (feat. Lula Alencar, Alexey Kurkdjian & Paulo Barbosa)
  15. "Amores Impossíveis"
  16. "Vilões" (feat. Julio Ortiz, Silvio Balaz, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Daniel Pires, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin & Diogo Maia)
  17. "Valsa das Flores"
  18. "Vilanias" (feat. Felipe Alexandre)
  19. "Rabo de Saia"
  20. "Antônia" (feat. Diogo Maia, Nykolay Iliev, Paula Nogueira Lima, Andrea Lombardi, Mauro Lombardi & Natali Calandrini Martins)
  21. "Batoré"
  22. "Timóteo" (feat. Zé Pitoco, Luiz Guello, Felipe Alexandre & Camilo Carrara)
  23. "Ação No Sertão"
  24. "Amor de Vilão" (feat. Lula Alencar & Alexey Kurkdjian)
  25. "Coronel" (feat. Felipe Alexandre & Luiz Guello)
  26. "Galope"
  27. "Inauguração" (feat. Luiz Guello, Luiz Serralheiro, Diogo Maia, Lula Alencar & Daniel Alcântara)
  28. "Princesa" (feat. Camilo Carrara)
  29. "Serafia 1"
  30. "Solidão" (feat. Diogo Maia)
  31. "Tesouro"
  32. "Dora Cangaceira" (feat. Felipe Alexandre)
  33. "O Coreto" (feat. Luiz Guello, Luiz Serralheiro, Diogo Maia, Lula Alencar & Daniel Alcântara)
  34. "Crianças" (feat. Julio Ortiz, Felipe Alexandre, Silvio Balaz, Luiz Guello, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin, Diogo Maia, Zé Pitoco & Mario Afonso Barbosa)
  35. "Irmãos" (feat. Camilo Carrara, Zé Pitoco & Luiz Guello)
  36. "Olho de Cobra"
  37. "Rainha Negra"
  38. "Romântico"
  39. "Amor Sertanejo" (feat. Julio Ortiz, Felipe Alexandre, Silvio Balaz, Luiz Guello, Mauro Lombardi, Alexey Kurkdjian, Lula Alencar, Daniel Pires, Camilo Carrara, Ricardo Kubala, Fabio Brucoli, Luiz Fernando Cadorin, Diogo Maia & Zé Pitoco)
  40. "Duelos" (feat. Milena Dias)
  41. "Miguezim Profeta"
  42. "Gaiola de Ouro" (feat. Milena Dias)
  43. "Amor Sertanejo" (feat. Luiz Fernando Cadorin, Fabio Brucoli, Ricardo Kubala, Camilo Carrara, Daniel Pires, Lula Alencar, Felipe Alexandre, Diogo Maia, Mauro Lombardi, Luiz Guello, Zé Pitoco, Silvio Balaz, Alexey Kurkdjian & Julio Ortiz)

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

A trama foi unanimemente considerada pela crítica especializada como inovadora, por ter como cenário o sertão brasileiro, com o romance dos protagonistas narrado como um conto de fadas, mas com influência da literatura de cordel. Cordel Encantado foi a única novela das seis a ter conquistado o troféu imprensa de melhor novela.

A jornalista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, declarou que a novela foi "a mais impressionante produção das 18h já apresentada pela Globo. Além disso, escreveu que "a novela lembra um conto de fadas, faz referências literárias, à História, a filmes famosos e neste ponto é até bem pop" e chamou o folhetim de "coerente e lógico, ao mesmo tempo fantástico", dizendo que a "improvável" ligação entre um reino fictício e o sertão brasileiro foi feita de forma "convincente". Ela continuou, "não tem apenas uma história boa, saborosa, uma fábula cativante até dizer chega. Sua realização também merece todos os elogios. O uso da câmera F35 nas sequências tanto da França quanto em Sergipe fez a diferença, atribuindo à imagem textura e qualidade especiais [...] Cenários, figurinos, luz, tudo é impecável". Ela também fez elogios ao elenco, apesar de criticar o retorno de atores que acabaram de finalizar uma novela no canal.[39]

Mauricio Stycer, crítico da UOL, afirmou que a novela "encheu os olhos com um conjunto de qualidades que parecia esquecido: elenco bem escalado, ótimo texto, direção de verdade e padrão de cinema". Apesar de comentar que "na mistura de literatura de cordel, misticismo religioso, cultura popular e tradição europeia que a embala, a novela ecoa, aqui e ali, Auto da Compadecida", ele concluiu que "Cordel Encantado se destina a um público interessado em algo mais leve, sem a malícia da novela das 19h nem a crueza da trama das 21h. Mas poderia muito bem ocupar tanto um horário quanto o outro".[40]

Fernando Oliveira, colunista do IG, considerou que "há tempos não se via uma novela tão bela quanto Cordel Encantado [...] Fotografia belíssima, atores inspirados – ok, o sotaque nordestino é bem forçado – e uma história afiada".[41]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Exibição original

O primeiro capítulo de Cordel Encantado teve média de 24 pontos de audiência na Grande São Paulo.[42] A novela manteve uma média entre 21 e 24 pontos na primeira semana de exibição, até bater seu primeiro recorde no sétimo episódio, com 25 pontos, e o segundo no oitavo, com uma média de 27 pontos.[43]

Nos dias 11 de maio e 25 de maio de 2011, a telenovela alcançou sua melhor audiência em São Paulo até então desde a estreia: 28 pontos de média e 52% de share.[44][45] Em 9 de junho de 2011, alcançou os 29 pontos, com share de 48%.[46] No dia 7 de julho de 2011, a trama bateu recorde de audiência, marcando 30 pontos de média.[47] Essa mesma audiência foi alcançada novamente no dia 27 de julho de 2011.[48] No dia 26 de agosto de 2011 atingiu pela sexta vez a média de 30 pontos, com 54% de share.[49]

Em seu último capítulo, marcou 30 pontos com pico de 34 e obteve 55% de share.[50] Em Fortaleza, o último capítulo alcançou 54 pontos com 67% de share e no Recife, o último capítulo registrou 51 pontos de audiência e 78% de share.[51] Sua média final foi de 26,0 pontos.

Reprise

Em seu primeiro capítulo registrou uma média de 14 pontos, índice considerado médio para a faixa e também não alterando o público do Vale a Pena Ver de Novo.[52] O segundo capítulo manteve o mesmo índice, porém superou o público de Malhação: Vidas Brasileiras com uma diferença de cinco décimos. [53] Seu terceiro capítulo cravou 15 pontos, registrando uma elevação de 1 ponto, agora apresentando empate técnico com a novela seguinte, no caso Malhação. [54] O quinto capítulo cravou 16 pontos, sendo impulsionado pelo último capítulo de Belíssima, foi a melhor média em sua semana de estréia.[55] Seu menor índice foi registrado em 30 de janeiro de 2019, com 12 pontos.[56]

Nessa reprise a novela vinha acumulando médias estáveis entre 13 e 15 pontos, chegando em determinados momentos aos 16 e 17 pontos. Além disso, já superou as antecessoras Celebridade e Belíssima na média geral dos primeiros meses.[57]

Bateu seu primeiro recorde em 4 de fevereiro de 2019, com 17 pontos. [58] Repetiu a mesma média em 6 de fevereiro de 2019. [59] Em 28 de fevereiro de 2019, a trama bate mais um recorde de audiência, com 18 pontos. [60] Em 5 de março de 2019, em pleno feriado de carnaval registrou a mesma média.[61] Em 28 de março de 2019, atingiu a média de 19 pontos.[62] Em 8 de abril de 2019, a novela registrou 21 pontos, a maior audiência da faixa desde a segunda reprise de Senhora do Destino.[63]

O último capítulo registrou 16 pontos, não batendo o recorde esperado na faixa, mas fechou com a média geral de 16 pontos, se tornando um sucesso absoluto nas tardes da Globo e também aumentou em dois pontos a audiência do Vale a Pena Ver de Novo.[64]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado
2011 Prêmio Extra de TV Melhor Novela Duca Rachid e Thelma Guedes Venceu[65]
Melhor Ator Bruno Gagliasso Indicado[66]
Cauã Reymond Indicado[66]
Melhor Ator Coadjuvante Marcos Caruso Indicado[67]
Melhor Atriz Coadjuvante Zezé Polessa Indicado[68]
Melhor Revelação Masculina Domingos Montagner Indicado[69]
Melhor Revelação Feminina Luana Martau Indicado[70]
Melhor Figurino Marie Salles e Karla Monteiro Venceu[71]
Melhor Maquiagem Indicado[72]
Troféu APCA Melhor Novela Thelma Guedes e Duca Rachid Venceu[73]
Prêmio Quem de Televisão Melhor Autor Venceu[74]
Melhor Ator Bruno Gagliasso Venceu
2012 Troféu Imprensa Melhor Novela Thelma Guedes e Duca Rachid Venceu[75]
Prêmio Contigo! de TV Melhor Novela Venceu[76]
Melhor Ator de Novela[77] Bruno Gagliasso Indicado
Carmo Dalla Vecchia Indicado
Cauã Reymond Indicado[78]
Melhor Atriz de Novela[79] Bianca Bin Indicado
Débora Bloch Indicado
Nathalia Dill Indicado[80]
Ator Coadjuvante[81] Luiz Fernando Guimarães Indicado
Marcos Caruso Indicado
Mouhamed Harfouch Indicado[82]
Atriz Coadjuvante[83] Heloísa Périssé Indicado
Andréia Horta Indicado[84]
Melhor Ator Infantil João Fernandes Venceu[85]
Melhor Atriz Infantil[86] Barbara Maia Indicado
Sofia Terra Indicado[87]
Melhor Revelação da TV Domingos Montagner Venceu[88]
Melhor Autor de Novela Duca Rachid e Thelma Guedes Indicado[89]
Melhor Diretor de Novela Ricardo Waddington e Amora Mautner Venceu[90]
Melhores do Ano Melhor Ator Bruno Gagliasso Indicado
Melhor Ator Coadjuvante Marcello Novaes Indicado
Melhor Ator Revelação Domingos Montagner Venceu

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq ar as at au av aw ax ay az «Cordel Encantado» 
  2. Memória Globo. «Cordel Encantado - Ficha Técnica». Consultado em 23 de setembro de 2011 
  3. «Cordel Encantado - Créditos». Consultado em 10 de março de 2014 
  4. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad «Cordel Encantado». Teledramaturgia. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2019 
  5. «Globo grava nova novela das seis em castelo na França». Folha Ilustrada. 6 de fevereiro de 2011. Consultado em 14 de janeiro de 2018 
  6. «Rio São Francisco é cenário de Cordel Encantado». Área Vip. 25 de março de 2011. Consultado em 14 de janeiro de 2018 
  7. «Lançamento: DVD "Cordel Encantado"». Consultado em 10 de janeiro de 2014 
  8. «Bianca Bin na trilha de Paola Oliveira». Estadão. 17 de dezembro de 2010. Consultado em 14 de janeiro de 2018 
  9. Carla Bittencourt (15 de fevereiro de 2011). «Lucy Ramos substitui Taís Araújo em 'Cordel encantado'». Consultado em 28 de janeiro de 2019 
  10. Redação (15 de fevereiro de 2011). «Taís Araújo deixa novela Cordel Encantado». Guia da Semana. Consultado em 28 de janeiro de 2019 
  11. Fernando Oliveira (25 de julho de 2011). «Novela 'Cordel Encantado' é reclassificada». IG Colunistas - Na TV. Consultado em 12 de julho de 2014 
  12. Diogo Cavalcante (4 de dezembro de 2018). «"Cordel Encantado" é a próxima novela do "Vale a Pena Ver de Novo"». Na Telinha. Consultado em 4 de dezembro de 2018 
  13. Redação (4 de dezembro de 2018). «'Cordel Encantado' volta à TV no 'Vale a Pena Ver de Novo'». Gshow. Consultado em 6 de dezembro de 2018 
  14. a b João Gabriel Batista (18 de dezembro de 2013). «Portugal: Desacreditada pela TV aberta, "Cordel" surpreende na TV fechada». NaTelinha. Consultado em 9 de dezembro de 2018 
  15. En esta época de magia y amor, llega a la pantalla de Univisión Canadá el más bello Cuento Encantado
  16. Globo reaches Pakistan for the first time
  17. Diana Casanova (22 de janeiro de 2014). ««Cordel Encantado»: resumo de 27 de janeiro a 1 de fevereiro [última semana]». A Televisão. Consultado em 9 de dezembro de 2018 
  18. Carlos Sousa (15 de dezembro de 2016). «Histórico: SIC descarta principal novela da Globo». Zapping. Consultado em 9 de dezembro de 2018 
  19. Diana Casanova (30 de novembro de 2013). ««Cordel Encantado» conquista espectadores no Cabo». A Televisão. Consultado em 9 de dezembro de 2018 
  20. ««Cordel Encantado» bate recorde no canal Globo». A Televisão. 16 de janeiro de 2014. Consultado em 9 de dezembro de 2018 
  21. «No cangaço, Herculano é bandido e herói». Gshow. 6 de abril de 2011. Consultado em 1 de novembro de 2018 
  22. «Açucena/ Princesa Aurora Catarina Ávila de Seráfia (Bianca Bin)». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  23. a b «Globo anuncia o reprise de 'Cordel Encantado' para o 'Vale a Pena Ver de Novo'». Mais Minas. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  24. «Jesuíno Araújo (Cauã Reymond)». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  25. «Timóteo Cabral (Bruno Gagliasso)». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  26. a b c «"Cordel Encantado" volta à Globo; veja antes e depois do elenco». MSN. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  27. «Débora Bloch planejará morte de Alinne Moraes em 'Cordel Encantado'». Terra. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  28. «Autoras exaltam trabalho de Domingos Montagner em 'Cordel Encantado'». Revista Quem. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  29. «Maurício Destri elogia parceria com Thiago Lacerda: 'É daqueles exemplos que paro para admirar'». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  30. «Luiza Valdetaro leva a filha para assistir às gravações de Cordel Encantado». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  31. «Rainha Helena e Rei Augusto decidem homenagear Jesuíno por salvar Inácio». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  32. a b c d «CORDEL ENCANTADO - ELENCO». Globo.com. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  33. «Loira, morena... Isabelle Drummond já teve diferentes cabelos na TV; confira». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  34. a b «Brogodó vai ficar pequena para o cangaço e a realeza». Gshow. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  35. «21 etapas da carreira de Emanuelle Araújo, aniversariante do dia». UOL. Consultado em 29 de setembro de 2019 
  36. «Trilha sonora de 'Cordel Encantado' é lançada com forte sotaque nordestino». Paraíba.com. Consultado em 21 de agosto de 2014 
  37. «Um pouco das trilhas instrumentais na tv». Natelinha.uol.com.br. Consultado em 24 de julho de 2018 
  38. «Cordel Encantado: Trilha Sonora Instrumental». Teledramaturgia.com.br. Consultado em 26 de julho de 2018 
  39. «JCRÍTICA/ 'Cordel encantado': excelente». O Globo. 17 de abril de 2011. Consultado em 25 de abril de 2011 
  40. «"Cordel Encantado" apresenta qualidades que faltam a outras tramas da grade global». UOL. 13 de abril de 2011. Consultado em 25 de abril de 2011 
  41. «O legal e o mico da semana». IG. 23 de abril de 2011. Consultado em 25 de abril de 2011 
  42. «Jornal: 'Cordel Encantado' estreia com audiência menor que 'Araguaia'». Terra. 12 de abril de 2011. Consultado em 25 de abril de 2011 
  43. «Reação: audiência de 'Cordel Encantado' cresce e bate recorde». Na TV. 20 de abril de 2011. Consultado em 25 de abril de 2011 
  44. «Audiências: 'Cordel Encantado' bate recorde com 28 pontos». Ofuxico. 12 de maio de 2011. Consultado em 20 de maio de 2011 
  45. «Cordel Encantado alcança bons índices de audiência». 25 de maio de 2011. Consultado em 26 de maio de 2011 
  46. «Audiência: 'Cordel encantado' bate novo recorde, com 29 de média». O Globo. 10 de junho de 2011. Consultado em 11 de junho de 2011 
  47. «Audiência de 'Cordel Encantado' cresce e encosta em 'Morde & Assopra'». M de Mulher. 8 de julho de 2011. Consultado em 21 de agosto de 2014 
  48. «'Cordel Encantado'alcança seu recorde pela segunda vez». O Fuxico. 28 de julho de 2011. Consultado em 21 de agosto de 2014 
  49. «Audiências: RedeTV! lidera por 14 minutos com transmissão do UFC Rio». O Globo. 30 de agosto de 2011. Consultado em 30 de agosto de 2011. Arquivado do original em 26 de dezembro de 2011 
  50. Patrícia Kogut; Anna Luiza Santiago; Florença Mazza (26 de setembro de 2011). «Confira as principais audiências do fim de semana». O Globo. Consultado em 20 de outubro]de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  51. MKT Globo Nordeste (27 de setembro de 2011). «Último capítulo de Cordel Encantado alcança 51 pontos de audiência no Grande Recife». pe360graus. Consultado em 20 de outubro de 2011 
  52. «Reprise de 'Cordel Encantado' decepciona e registra queda em audiência». MSN. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  53. «Audiência da TV (15/01): Cine Record Especial assume vice-liderança». Observatório da Televisão. 16 de janeiro de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  54. «Audiência da TV (16/01): Fofocalizando desbanca novelas da Record». Observatório da Televisão. 17 de janeiro de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  55. Redação (21 de janeiro de 2019). «Final de reprise de Belíssima supera Malhação e até Espelho da Vida». Notícias da TV. Consultado em 21 de janeiro de 2019 
  56. «Audiência da TV (30/01): Record TV reativa vitória sobre o Vídeo Show». Observatório da Televisão. 31 de janeiro de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  57. «Cordel Encantado: reprise tem edição ágil, apesar da boa audiência». Observatório da Televisão. 8 de fevereiro de 2019. Consultado em 14 de fevereiro de 2019 
  58. «Audiência da TV (04//02): A Terra Prometida bate recorde em São Paulo». Observatório da Televisão. 5 de fevereiro de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  59. «Novelas da Record têm audiência recorde em São Paulo». Observatório da Televisão. 7 de fevereiro de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  60. «Casos de Família vence Record e assume vice-liderança nas audiências». Observatório da Televisão. 1 de março de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  61. Alexandre Cavalcante (6 de março de 2019). «Ajudada por apuração, Cordel Encantado bate recorde de audiência; Confira os consolidados de terça, 05/03». OCanal. Consultado em 6 de março de 2019 
  62. TV, Notícias da (29 de março de 2019). «Cordel Encantado, Espelho da Vida e Verão 90 batem recorde no mesmo dia». Notícias da TV. Consultado em 30 de março de 2019 
  63. «Audiência da TV (08/04): Cidade Alerta derrota novelas mexicanas do SBT». Observatório da Televisão. 9 de abril de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  64. «Cordel Encantado termina com menos audiência que Belíssima». Observatório da Televisão. 6 de maio de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  65. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Cordel encantado fatura como melhor novela do ano». Extra. Globo.com. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  66. a b «Prêmio Extra de TV: Gabriel Braga Nunes leva o prêmio de melhor ator pelo vilão Léo». Globo.com. 29 de novembro de 2011. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  67. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: André Gonçalves brilha em 'Morde & assopra' e conquista o título de melhor ator coadjuvante». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  68. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Deborah Secco fica com o prêmio de melhor atriz coadjuvante». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  69. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Chay Suede, de 'Rebelde', ganha o prêmio de revelação masculina». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  70. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Thalita Carauta, a Janete do 'Zorra total', é escolhida revelação feminina». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  71. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: 'Cordel encantado' vence na categoria melhor figurino». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  72. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: 'Pânico' tem a melhor maquiagem». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  73. Associação Paulista dos Críticos de Artes (13 de dezembro de 2011). «Os melhores da APCA em 2011» (PDF). APCA. Consultado em 13 de dezembro de 2011. Arquivado do original (em PDF) em 12 de janeiro de 2012 
  74. Revista Quem (6 de dezembro de 2011). «Prêmio Quem 2011». Quem Acontece Online. Consultado em 6 de dezembro de 2011 
  75. «Troféu Imprensa -Vencedores». SBT. Consultado em 27 de março de 2012 
  76. «Confira a lista de vencedores do Prêmio Contigo! de Televisão». Ofuxico. Terra. 15 de maio de 2012 
  77. «Indicados ao 14ª Prêmio Contigo de TV - Melhor ator de novela». Contigo.com.br. Consultado em 21 de abril de 2012. Arquivado do original em 23 de julho de 2012 
  78. «Gabriel Braga Nunes vence na categoria melhor ator». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012. Consultado em 1 de abril de 2013. Arquivado do original em 26 de setembro de 2013 
  79. «Indicados ao 14ª Prêmio Contigo de TV - Melhor atriz de novela». Contigo.com.br. Consultado em 21 de abril de 2012. Arquivado do original em 6 de dezembro de 2013 
  80. «Taís Araújo entrega o prêmio de melhor atriz para Lilia Cabral». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012 [ligação inativa]
  81. «Indicados ao 14ª Prêmio Contigo de TV - Melhor ator coadjuvante». Contigo.com.br. Consultado em 21 de abril de 2012. Arquivado do original em 25 de agosto de 2012 
  82. «Marcelo Serrado é eleito melhor ator coadjuvante: Agradecer muito a cada pessoa da novela». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012. Consultado em 1 de abril de 2013. Arquivado do original em 24 de novembro de 2013 
  83. «Indicados ao 14ª Prêmio Contigo de TV - Melhor atriz coadjuvante». Contigo.com.br. Consultado em 21 de abril de 2012. Arquivado do original em 18 de maio de 2012 
  84. «Maria Clara Gueiros dedica prêmio de atriz coadjuvante a Ricardo Tozzi». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012. Consultado em 1 de abril de 2013. Arquivado do original em 26 de setembro de 2013 
  85. «João Fernandes vence na categoria melhor Ator Infantil». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012. Consultado em 1 de abril de 2013. Arquivado do original em 22 de novembro de 2013 
  86. «Indicados ao 14ª Prêmio Contigo de TV - Melhor atriz infantil». Contigo.com.br. Consultado em 21 de abril de 2012 [ligação inativa]
  87. «Jesuela Moro é eleita melhor atriz infantil». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012. Consultado em 1 de abril de 2013. Arquivado do original em 18 de novembro de 2013 
  88. «Domingos Montagner ganha prêmio de Revelação da TV». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012 [ligação inativa]
  89. «Lícia Manzo é eleita melhor autora de novela por A Vida da Gente». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012. Consultado em 1 de abril de 2013. Arquivado do original em 15 de março de 2013 
  90. «Ricardo Waddington e Amora Mautner são eleitos melhores diretores de novela por Cordel Encantado». Contigo.com.br. 14 de maio de 2012 [ligação inativa]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]