Coro da Osesp

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Coro da Osesp é um coro sinfônico existente na cidade de São Paulo e administrado pela Fundação Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Sediado na Sala São Paulo, durante duas décadas foi regido por Naomi Munakata e tornou-se um dos grupos vocais de referência no Brasil. Atualmente sob regência de Valentina Peleggi, o grupo é formado por 47 cantores de sólida formação musical e atua em apresentações a cappella ou junto com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo abordando diferentes períodos musicais, com ênfase nos séculos XX e XXI.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1994 por Aylton Escobar como Coro Sinfônico do Estado de São Paulo, originalmente o grupo era formado por 80 cantores e sediado na Universidade Livre de Música Tom Jobim (ULM), no bairro do Bom Retiro. Seu primeiro maestro foi José Ferraz de Toledo e em 1995 Naomi Munakata assumiu a regência do coro.[3][4]

Dois anos depois, em 1997, houve a reformulação da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo conduzida pelo maestro John Neschling. Desde então os dois grupos, orquestra e coro, passaram a se relacionar. O primeiro concerto com a Nova Osesp, então reformulada, foi em 1997 no Theatro São Pedro. O mesmo aconteceu em 1999 na histórica inauguração da Sala São Paulo com a apresentação da Sinfonia nº 2 de Mahler. Neste mesmo ano o Coro Sinfônico do Estado de São Paulo finalmente foi integrado à orquestra e em 2001 passou a chamar-se Coro da Osesp.[5][4]

Sob regência de Naomi Munakata, o grupo recebeu o Prêmio Carlos Gomes de Melhor Grupo Coral nos anos de 1999 e 2001. Em 2006 o coro fez uma turnê pela Espanha e em 2009 gravou seu primeiro disco Canções do Brasil, que inclui obras de Osvaldo Lacerda, Francisco Mignone, Camargo Guarnieri, Marlos Nobre, Villa-Lobos, entre outros compositores brasileiros. Em 2013 o grupo lançou um CD dedicado à obra de seu fundador Aylton Escobar, disponível para download gratuito no site da Osesp.[1][6]

No ano de 2014 Naomi Munakata recebeu o título de Regente Honorária do Coro da Osesp e no fim de 2015, após 20 anos à frente do grupo, deixou sua direção.[6][7] Desde então o grupo passou a receber maestros convidados ao longo de sua temporada, até que em 2017 Valentina Peleggi assumiu o cargo de regente titular do coro.[8]

Em 2016 Naomi assumiu a direção do Coral Paulistano Mário de Andrade.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «História do Coro da Osesp». osesp.art.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2017. 
  2. «Integrantes do Coro da Osesp». osesp.art.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2017. 
  3. «Coro da Osesp lança disco em dois concertos na Sala São Paulo». Jornal do Brasil. 20 de setembro de 2009. Consultado em 4 de março de 2017. 
  4. a b Frésca, Camila (1 de setembro de 2009). «Um Coro bem afinado». Revista Concerto 
  5. «OSESP - 1954 / 2014». osesp.art.br. Consultado em 4 de março de 2017. 
  6. a b Sampaio, João Luiz (12 de dezembro de 2015). «Naomi Munakata é demitida do Coro da Osesp». Estadão. Consultado em 4 de fevereiro de 2017. 
  7. Colarusso, Osvaldo (30 de dezembro de 2015). «Progressos, corrupção e falta de ética: a música clássica brasileira em 2015». Gazeta do Povo. Consultado em 4 de fevereiro de 2017. 
  8. «Coro da Osesp tem nova regente titular». movimento.com. 2 de março de 2017. Consultado em 4 de março de 2017. 
  9. «Naomi Munakata assume direção do Coral Paulistano». Revista Concerto. 24 de junho de 2016. Consultado em 4 de fevereiro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]