Coronel Nunes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Coronel Nunes
Coronel Nunes durante reunião da CPI do Futebol no Senado Federal, em 16 de março de 2016
Presidente da Confederação Brasileira de Futebol
Período 15 de fevereiro de 2017
a 9 de abril de 2019
Antecessor(a) Marco Polo Del Nero
Sucessor(a) Rogério Caboclo
Prefeito de Monte Alegre
Período Novembro de 1977
a Setembro de 1980
Dados pessoais
Nome completo Antônio Carlos Nunes de Lima
Nascimento 21 de novembro de 1938 (82 anos)
Monte Alegre, Pará
Nacionalidade brasileiro
Serviço militar
Lealdade Força Aérea Brasileira
Polícia Militar do Estado do Pará
Anos de serviço 1957-1966 (FAB)
1967-1991 (PM)
Graduação Cabo (FAB)
Coronel (PM)

Antônio Carlos Nunes de Lima, mais conhecido como Coronel Nunes (Monte Alegre, 21 de novembro de 1938), é um militar, político e dirigente esportivo brasileiro, atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Coronel Nunes foi da Aeronáutica entre 1957 e 1966, quando foi exonerado, suspeito de colaborar com opositores da Ditadura Militar no Brasil (por isso recebe em 2016 R$ 14,7 mil como perseguido pelo regime, e além das prestações mensais, uma indenização retroativa de R$ 243.416,25.[1]). Entra para a polícia militar em 1967. Em maio de 1971 é nomeado comandante da Companhia Independente da Polícia Militar de Santarém (CIPM), atual 3º Batalhão PM/PA), onde fica até abril de 1974. Em 1977 é nomeado prefeito biônico na cidade de Monte Alegre no Pará. Se aposenta como coronel em fevereiro de 1991.

Presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) entre 2017 e 2019.[2]Foi o representante da CBF durante a Copa do Mundo de 2018 na Rússia, Coronel Nunes, torcedor do Paysandu, protagonizou uma polêmica em meio a Eleição da sede da Copa do Mundo FIFA de 2026 ao ser o único representante da CONMEBOL a votar a favor de Marrocos. O fato gerou um mal-estar na entidade sul americana ao contrariar a promessa anterior de votar na chapa formada por Canadá, Estados Unidos e México que terminaria como vencedora do pleito.[3] O então presidente justificou sua escolha ao afirmar que em Marrocos nunca sediou uma Copa do Mundo enquanto que os EUA (em 1994) e o México (em 1970 e 1986) já sediaram o torneio em outras ocasiões.[4]. Em 06 de junho de 2021, reassume a presidência da CBF após o afastamento de Rogério Caboclo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Marco Polo Del Nero
Presidente da CBF
2017 – 2019
Sucedido por
Rogério Caboclo
Soccer stub.svg Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.