Coronel Pacheco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Coronel Pacheco
Bandeira de Coronel Pacheco
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Fundação 30 de dezembro de 1962 (55 anos)
Gentílico pachequense
Prefeito(a) Edelson Sebastião Fernandes Meirelles
Localização
Localização de Coronel Pacheco
Localização de Coronel Pacheco em Minas Gerais
Coronel Pacheco está localizado em: Brasil
Coronel Pacheco
Localização de Coronel Pacheco no Brasil
21° 35' 16" S 43° 15' 57" O21° 35' 16" S 43° 15' 57" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Zona da Mata IBGE/2008 [1]
Microrregião Juiz de Fora IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Juiz de Fora, Piau, Goianá
Distância até a capital 294 km
Características geográficas
Área 130,287 km² [2]
População 2 983 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 22,9 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,736 elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 20 639,466 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 8 345,92 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.coronelpacheco.mg.gov.br
Câmara www.coronelpacheco.cam.mg.gov.br

Coronel Pacheco é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em julho de 2017 era de 3 125 habitantes.[6] O nome da cidade homenageia o Coronel José Manoel Pacheco (1838-1914), que foi vereador em Juiz de Fora nas legislaturas de 1873-76, 1898-1900 e 1905-07.[7][8]

O município teve origem no antigo povoado de Água Limpa, depois conhecido por Triqueda,[9], que tornou-se distrito de Juiz de Fora em 31 de julho de 1890.[7] Posteriormente, a sede do distrito foi transferida, definitivamente, para o povoado de Lima Duarte, renomeado Água Limpa.[10]. Água Limpa pertenceu, entre 1938-43, ao município de Rio Novo, retornando a Juiz de Fora após esse período. Em 30 de dezembro de 1962, se emancipou de Juiz de Fora, adotando a denominação de Coronel Pacheco.[7] Faz parte da Estrada Real, estando no Caminho Novo.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes aos períodos de 1966 a 1987 e 1990 a 2009, a menor temperatura registrada em Coronel Pacheco foi de 1,3 °C em 27 de junho de 1994,[11] e a maior atingiu 38,1 °C em 17 de janeiro de 1995.[12] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 140,1 milímetros (mm) em 19 de janeiro de 1985.[13] Janeiro de 1985, com 716,8 mm, foi o mês de maior precipitação.[14]

Dados climatológicos para Coronel Pacheco
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 38,1 37 36,9 34,6 33,5 33,5 33,1 35,9 37,9 37,9 37,8 35,9 38,1
Temperatura máxima média (°C) 30,2 31 30,2 28,8 26,7 26,1 25,8 27 27,2 28,8 28,9 29,4 28,4
Temperatura média compensada (°C) 24,2 24,4 23,9 22,3 19,7 17,8 17,4 18,4 20 22,2 23 23,8 21,4
Temperatura mínima média (°C) 20 19,9 19,4 17,6 14,3 12 11,4 12,2 14,5 17,2 18,6 19,7 16,4
Temperatura mínima recorde (°C) 10,6 11,5 10,9 7,1 4,9 1,3 2 2,9 4 6,8 11 10,6 1,3
Precipitação (mm) 355,1 195,1 220,6 79,4 42,2 19,5 12,6 17,6 72,3 103,7 206,1 296,4 1 620,6
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 17 12 13 7 4 2 2 2 7 8 13 17 104
Umidade relativa compensada (%) 81,2 80,2 80,8 81,5 81,3 81,7 79,8 76,8 76,1 76,1 78,7 81,2 79,6
Horas de sol 157,9 186 190,6 192,5 182,3 187,6 191,8 204,8 150,5 163,7 138,3 134,7 2 080,7
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[15]
recordes de temperatura: 01/10/1966 a 31/12/1987 e 01/01/1990 a 30/04/2009)[11][12]

Economia[editar | editar código-fonte]

A principal atividade econômica do município é a pecuária, especialmente de leite.[16]

Turismo[editar | editar código-fonte]

A Cachoeira Triqueda, o Horto Botânico Vasco Gomes, a cachoeira Fazenda da Prata, são locais que merecem ser visitados pelos turistas. A Pedreira de Coronel Pacheco é utilizada para a prática de esportes radicais – rappel e escalada, além de uma boa caminhada.[17]

Administração[editar | editar código-fonte]

O prefeito atual é Edelson Sebastião Fernandes Meirelles.[6]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  6. a b «Coronel Pacheco: Panorama». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 6 de novembro de 2017. 
  7. a b c «Coronel Pacheco: História». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 6 de novembro de 2017. 
  8. «Legislaturas passadas». Câmara Municipal de Juiz de Fora. Consultado em 6 de novembro de 2017. 
  9. «Triqueda». Consultado em 6 de novembro de 2017. 
  10. «Água Limpa». Consultado em 6 de novembro de 2017. 
  11. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Coronel Pacheco». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2018. 
  12. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Coronel Pacheco». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2018. 
  13. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Coronel Pacheco». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2018. 
  14. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Coronel Pacheco». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2018. 
  15. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2018. 
  16. «Coronel Pacheco». Agência de Cooperação Intermunicipal em Saúde Pé da Serra. Consultado em 10 de novembro de 2017. 
  17. «Coronel Pacheco». Instituto Estrada Real. Consultado em 10 de novembro de 2017. 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.