Corrente contínua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Corrente contínua (CC ou DC do inglês direct current) é o fluxo ordenado de elétrons sempre numa direção, diferente da corrente alternada cujo sentido dos elétrons varia no tempo. Esse tipo de corrente é gerado por baterias de automóveis ou de motos (6, 12 ou 24V), pequenas baterias (geralmente de 9V), pilhas (1,2V e 1,5V), dínamos, células solares e fontes de alimentação de várias tecnologias, que retificam a corrente alternada para produzir corrente contínua. Normalmente é utilizada para alimentar aparelhos eletrônicos (entre 1,2V e 24V) e os circuitos digitais de equipamento de informática (computadores, modems, hubs, etc.). Além disso pode-se utilizado para transmissão de energia elétrica em grandes distâncias devido as vantagens, em circunstâncias muito específicas, comparada a transmissão CA convencional. Este tipo de circuito possui um polo negativo e outro positivo (é polarizado).

Tipos de correntes contínuas[editar | editar código-fonte]

As correntes contínuas podem ser constantes ou pulsantes.

Correntes contínuas constantes: A CC é considerada constante quando sua intensidade e sentido não se altera com o passar do tempo. É comumente encontrada em pilhas e baterias.

O gráfico, assim como a forma de onda dessa corrente é um segmento de reta constante.

Grafico corrente continua

Correntes contínuas pulsantes: Nesse modelo, a corrente tem seu sentido constante, porém o fluxo de elétrons no interior do fio se comporta como pulsos, fazendo com que a intensidade passe por variações no decorrer do tempo. Geralmente é encontrada em circuitos retificadores de corrente alternada.

Como a corrente não muda de sentido, sua forma de onda nunca troca de sinal.[1]

Corrente continua pulsante

Fontes de corrente contínua[editar | editar código-fonte]

Há fontes de corrente contínua que fornecem tensões ou correntes, independentemente da carga a qual forem ligadas.

Fonte de tensão CC: As fontes de tensão podem ser divididas em três categorias: baterias, geradores e fontes de alimentação.

Baterias: É a fonte CC mais comum. Geram energia elétrica pela conversão de energia química e é constituido por células secundárias( células recarregáveis) ou por células primárias (que não pode ser recarregada).

Geradores: Convertem energia mecânica em energia elétrica.Os geradores quando são de corrente contínua também são chamados de dínamos e, quando são de corrente alternada, de alternadores.

Fontes de alimentação: É a fonte mais comum encontrada em laboratórios, na qual usa os processos de retificação que converte uma tensão com variação no tempo em uma tensão de magnitude fixa.

Fonte de corrente CC: Em uma fonte de CC ideal, ainda que tenha variações na tensão, a fonte sempre irá fornecer uma corrente fixa a qualquer sistema eletroeletrônico.[2]

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras experiências de eletrodinâmica foram feitas com corrente contínua. As primeiras linhas de transmissão também usavam CC. Posteriormente passou-se a usar Corrente alternada devido às dificuldades de conversão (elevação/diminuição) da tensão em CC. No entanto com o desenvolvimento da tecnologia (inversores), voltou-se a usar CC nas linhas de transmissão. Atualmente é usada corrente contínua em alta tensão (CCAT) na linha de transmissão de Itaipu: 600 kV.[carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:

Referências

  1. Sarkis; Pires ; Guadalupe, Nicolau Arbex ; Marcílio Alberto de Faria ; André Oliveira de (2011). Livro 1 Física – Sistema de Ensino Poliedro (São José dos Campos - SP: Poliedro). p. 213 , 214. ISBN 978-85-7901-049-1. 
  2. Boylestad, Robert L. (2004). Introdução á análise de circuitos , 10 Ed (São Paulo - SP: Prentice Hall). p. 29 a 34. ISBN 85- 87918-18-4. 
Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.