Coruscant

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Distância de Core 10,000 anos luz
Região Mundos do Núcleo
Sector Coruscant (Imperial durante o governo do Império)
Sistema Sistema de Coruscant
Periodo de Órbita 365 dias (Padrão Galáctico)
Periodo de Rotação 24 horas (Padrão Galáctico)
Gravidade 9,81 m/s² (Padrão Galáctico)
Número de Sóis 1
Número de luas 3
Terreno Urbano
Espécies Nativas Humanos
Linguagem Principal Básico
População 1 Trilhão
Pontos de interesse Templo Jedi, Chancelaria Suprema, Palácio Imperial, Montanhas Manarai, Edifício do Senado Galactico
Superfície recoberta por água 29% (nas calotas polares)
Afiliação República Galáctica, Império Galactico,

Coruscant (pronuncia-se: corussam) é um planeta fictício da saga Star Wars. É a capital da República Galáctica. Durante a era do Império, teve seu nome alterado para Centro Imperial. Depois da queda do Império, voltou a ser Coruscant e a capital da Nova República.

Antes da história da Hexalogia, aproximadamente no ano de 3653 antes da batalha de Yavin (que ocorreu durante o filme Uma Nova Esperança), a República Galática estava em guerra contra o Império Sith. Ambos os lados estavam desgastados após 28 anos de guerra, até que o Império Sith, como ato de desespero, atacou Coruscant de surpresa. Sob a liderança do lord sith Darth Malgus, o exército Sith atacou Coruscant, destruindo o Templo Jedi, e forçando o Senado a assinar o Tratado de Coruscant, pondo um fim à guerra e declarando o Império Sith vitorioso. Pela primeira vez desde a criação da República, Coruscant passou a ser posse dos Sith, assim como mais da metade da galáxia. A situação assim permaneceu durante os próximos mil anos, num período chamado Guerra Fria, onde o Império Sith e os remanescentes da República (que adotaram como capital o planeta Tython) tiveram pequenas rixas locais. Então, começou as Novas Guerras Sith, com os siths querendo invadir o já diminuto território da República, para ter total controle da Galáxia. Porém, todos os usuários do lado negro eram gananciosos, e o Império acabou sofrendo conflitos internos. Isso deu vantagem aos Jedi, o que acabou levando vitória à República, e a quase aniquilação da ordem Sith. O único sobrevivente foi Darth Bane, que instituiu a Lei dos Dois, ditando que a partir daquele momento, os Siths seriam apenas Um Mestre e Um aprendiz. Coruscant voltou a ser capital da República. Esses eventos aconteceram aproximadamente no ano 1000 A.B.Y. (antes do quarto filme da saga cinematográfica, Uma Nova Esperança).

O Supremo Chanceler Tarsus Valorum, promoveu então a Reforma Ruusan, promovento uma reforma política na República. A principal característica é que os Jedi perderam sua autonomia, colocando-se sob o departamento judicial da República, dissolvendo suas forças militares (que só seriam devolvidas durante as Guerras Clônicas 1000 anos depois) e que nenhum Jedi deveria se envolver com a política (antes de seu mandato, praticamente todos os Supremos Chanceleres antecessores a ele eram membros da Ordem Jedi, após o Tratado de Coruscant). Foi nessa época em que o Templo Jedi foi re-construído. Toda forma de conhecimento Sith seria considerada ilegal e destruída.

Durante a República Galática, o Senado Galáctico e o Templo Jedi ficavam em Coruscant.

Coruscant é uma ecumenópolis, ou seja, um planeta-cidade, totalmente coberto por paisagens urbanas e metropolitanas, com altíssimos arranha-céus que passam das nuvens, e vias de tráfego intenso.

O grau de ocupação modificou o ecossistema de tal forma que é necessário o uso de dois satélites de transferência de energia solar (enormes espelhos orbitais) para esquentar as altas e baixas latitudes.

Um dia em Coruscant tinham 24 horas e um ano, 365 dias. Essas medidas serviam de referência para toda a galáxia.

Toda água do planeta foi drenada e conservada em baixo da grande cidade, devido à superpopulação. O único lugar onde água natural pode ser vista é no Mar Ocidental, com várias ilhas artificiais usadas pelos turistas nos feriados.

Sem fontes naturais de água para alimentar os trilhões de habitantes, os arquitetos de Coruscant, junto de muitos outros de toda galáxia, trabalharam juntos para construir um ecossistema próprio nas construções massivas em todo planeta. Estações de captura polar também derreteram gelo e distribuíram água por todo planeta através de um complexo de canos.

Um dos poucos lugares naturais conservados de Coruscant eram as Montanhas Manari, picos gêmeos que saíam do chão perto do famoso palácio imperial. As Montanhas Manari incluíam o mais alto pico, Umate; vários restaurantes flutuantes; o Monument Plaza; entre outro lugares.

Acredita-se que a espécie humana tenha se originado na capital galáctica de Coruscant, mas podem ser encontrados em vários outros planetas da galáxia como imigrantes (ou descendentes de imigrantes) ou como colonizadores.

Coruscant é o centro da história na trilogia prequela (que conta a história de Anakin Skywalker), tendo várias passagens e acontecimentos nesse planeta, como a perseguição de carros no início do episódio II e o atentado ao templo Jedi no episódio III. Já na trilogia clássica (que conta a história de Luke Skywalker e Leia Organa), Coruscant é apenas citada (como Centro Imperial), só vindo a ser mostrada no final do Episódio VI.