Cosme de Farias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cosme de Farias
Nascimento 2 de abril de 1875
Salvador, Bahia Bahia
Morte 14 de março de 1972 (96 anos)
Salvador, Bahia Bahia
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Rábula
Político

Cosme de Farias (Salvador, 2 de abril de 1875 — Salvador, 14 de março de 1972) foi um rábula e político brasileiro, tornado célebre na capital baiana pela sua defesa dos pobres no foro, a luta contra o analfabetismo e a defesa das liberdades democráticas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cosme de Farias nasceu no subúrbio distante de São Tomé de Paripe, bairro que integra o subdistrito de Paripe. Sua formação foi apenas do curso primário, mas tornou-se advogado provisionado (rábula) e passou a vida defendendo milhares de clientes que, sem condições financeiras, de outra forma não teriam condições de uma defesa.

Em 1915 fundou a "Liga Baiana contra o Analfabetismo", instituição que funcionou até a década de 1970, publicando cartilhas e mantendo escolas para a população mais pobre, da capital e de algumas outras cidades baianas.

Foi casado com Semíramis Farias, falecida em 1963, sem filhos. O único irmão de que se tem notícia era-lhe gêmeo e morreu muito cedo.

Foi patenteado "Major" pela Guarda Nacional (1909).

Na advocacia, sua maior realização foi o habeas corpus em favor de Sérgia Ribeiro da Silva, a cangaceira Dadá, viúva de Corisco, em 1942.

Política[editar | editar código-fonte]

Iniciou-se na carreira política eleito deputado estadual, em 1914, e por várias legislaturas seguintes. Foi, também, vereador por diversos mandatos. Quando morreu, em 1972, ocupava uma cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia, sendo à época o mais velho parlamentar do mundo (vide fonte 1, abaixo).

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Fontes e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Memórias da Bahia, vol. 1, Empresa Baiana de Jornalismo, Salvador, 2002.
  2. O jornalista Cosme de Farias - formato doc. - estudo feito por Mônica Celestino, com extensa bibliografia.