Cosmopolitan (coquetel)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cosmopolitan
Uma taça de cosmo
Tipo Coquetel
Origem  Estados Unidos
Cor Vermelho
My first Cosmo.jpg
Um cosmopolitan

Um cosmopolitan, ou simplesmente Cosmo, é uma bebida alcoólica, ou um coquetel feito com vodca, triple sec, suco de oxicoco e suco de limão espremido ou adoçado.

História[editar | editar código-fonte]

A receita de cosmopolitan estabelecida pela International Bartenders Association (IBA) é baseada em Vodca Citron, uma vodca com sabor de limão.[1] O cosmopolitan é um tipo de cooler de oxicoco, como o Cape Codder.[2] Embora seja apresentado algumas vezes de formas diferentes, o cosmopolitan também guarda semelhança na composição com o coquetel kamikaze.

A origem do cosmopolitan é disputada. Segundo o barman Paul Harrington, a bebida foi criada independentemente por diferentes barmans desde a década de 1970.[3] De acordo com Sally Ann Berk e Bob Sennett, o cosmopolitan aparece na literatura em torno de 1993 e procede da cidade de Nova York.[4][5][6][7]

Anos 1930[editar | editar código-fonte]

Enquanto o coquetel é amplamente considerado uma criação mais moderna, parece existir surpeendentemente uma receita para o cosmopolitan que aparece na obra Pioneers of Mixing at Elite Bars 1903-1933, que foi publicada em 1934, com a seguinte receita:

Uma dose de Gordon's Gin (1+12 oz de Gin Beefeater)
2 pitadas de Cointreau (12 oz de Cointreau)
Suco de 1 limão (1 oz de suco de limão)
1 colher de chá de xarope de Framboesa (1 colher de chá caseira)

Agite com gelo e coe num copo de coquetel.

Preparado com ingredientes que estavam prontamente disponíveis durante o período, esse coquetel identificado com o mesmo nome tinha os mesmos efeitos. Se essa bebida for, de fato, a fonte do cosmopolitan moderno, seria uma adaptação de Brandy Daisy, em vez de Kamikaze.[8][9][10][11]

Anos 1970[editar | editar código-fonte]

Provincetown[editar | editar código-fonte]

Uma versão da criação dessa bebida popular dá crédito da realização à comunidade gay de Provincetown, Massachusetts.[3]

Minneapolis[editar | editar código-fonte]

Entre diversas pessoas que alegam ter criado a bebida cosmopolitan, destaca-se o barman estadunidense Neal Murray. O barman reivindica ter criado o cosmopolitan em 1975 na churrascaria Cork & Cleaver em Minneapolis.[12] De acordo com Murray, ele respingou suco de oxicoco em um Kamikaze e o primeiro degustador declarou: "Que cosmopolita".[13] Esse evento supostamente permitiu a nomeação da bebida.

John Caine[editar | editar código-fonte]

John Caine é o proprietário de vários bares em San Francisco e um perito em cosmopolitan. Ele parcialmente credita o aumento do consumo de coqueteis nos anos 1970 ao Cosmo sendo servido em tavernas do tipo "fern bars".[3] Atribui-se a Caine a extensão do consumo de Cosmo para a Costa Oeste dos Estados Unidos.[14]

Cheryl Cook[editar | editar código-fonte]

De acordo com o historiador de coqueteis Gary Regan, o crédito da criação original atribui-se à atendente de bar Cheryl Cook, do restaurante Strand, em South Beach, Flórida.[2][3] Algumas pessoas acreditam que Cook é um mito,[3][15] mas em uma carta a Regan, Cook relata a história de como ela criou a bebida em 1985 ou 1986:[15]

O que me sobrecarregou foi o número de pessoas que pediram Martinis apenas para serem vistos com um copo de Martini na mão. Foi nessa percepção que me deu a idéia de criar uma bebida que todos pudessem provar e era visualmente deslumbrante no vidro clássico. Foi assim que o Cosmo se baseou.
Cook
 (em inglês)
What overwhelmed me was the number of people who ordered Martinis just to be seen with a Martini glass in their hand. It was on this realization that gave me the idea to create a drink that everyone could palate and was visually stunning in that classic glass. This is what the Cosmo was based on.

A receita original de Cooknal pedia "Absolut Citron, um toque de triple sec, uma gota de suco concentrado de limão Rose's e uma quantidade e oxicoco suficiente apenas para deixar a bebida bonita em cor de rosa."[15] Embora o Absolut Citron não tenha sido lançado no mercado em nenhum lugar até 1988, já havia sido testado no mercado em Miami.

Melissa Huffsmith[editar | editar código-fonte]

Outra pessoa importante envolvida na criação do cosmopolitan foi Melissa Huffsmith, de Manhattan. Enquanto trabalhava no restaurante Life Cafe em 1986, seu amigo Patrick Mitten ensinou-lhe a receita que ele aprendeu em outro restaurante, The Patio Cafe, em San Francisco, em 1985. Quando trabalhava no The Odeon em 1986/87, Huffsmith desenvolveu uma versão ligeiramente diferente usando Absolut Citron, Cointreau e suco de limão espremido gelado. Ela afirmou que a cor deveria estar "...justamente rosa — da cor de uma limonada rosa." A versão de Huffsmith tornou-se um método padronizado internationalmente para o preparo da bebida.[1]

Toby Cecchini[editar | editar código-fonte]

O eminente barman Gaz Regan afirma que a versão internacionalmente reconhecida do coquetel foi criada por Toby Cecchini em 1987 em Manhattan, baseada numa versão mais pobre da criação de Cheryl Cook.[15]

Popularização[editar | editar código-fonte]

O cosmopolitan ganhou conhecimento popular rapidamente, desde Provincetown, passando por Nova York, Cleveland, e Cincinnati, até São Francisco (Caine)[14] ou possivelmente de Miami a São Francisco, e para New York (Cook).[15]

A bebida ganhou um conhecimento ainda mais amplo durante os anos 1990. Nessa época, a bebida foi popularizada entre mulheres jovens por ser frequentemente destacada no programa de televisão Sex and the City, no qual a personagem Carrie Bradshaw, interpretada por Sarah Jessica Parker, habitualmente pedia a bebida quando saia em encontros casuais. O filme adaptado fez uma referência à popularidade da bebida quando a personagem Miranda pergunta a suas amigas por que elas pararam de beber o coquetel e Carrie responde "porque todo o mundo começou".

Não foi apenas na televisão que o Cosmo influenciou a cultura popular. A empresa Demeter Fragrance Library, que vende fragâncias, criou uma colônia com o propósito de ter o cheiro do coquetel cosmopolitan.

Modo de preparo[editar | editar código-fonte]

O cosmopolitan geralmente é servido em uma taça de coquetel grande, também chamada taça de martini. Por essa razão, a bebida é erroneamente categorizada como um tipo de martini.

O uso de vodca com sabor cítrico como base para esse coquetel parece ter sido amplamente popularizado em meados dos anos 1990 pelo barman estadunidense Dale DeGroff[16] e é usado na receita aprovada pela IBA. Entretanto, em muitos bares, a vodca padrão sem sabor e essa alternativa seria, provavelmente, o principal dos supostos precursores dessa bebida que foram populares em Ohio, Provincetown, ou Minneapolis durante os anos 1970, ou em São Francisco durante os anos 1980.[17][18][19][20] Algumas vezes, usa-se casca de limão para decorar o coquetel.

Variações[editar | editar código-fonte]

Um cupcake sabor cosmo, com limão, vodca, oxicocos embebidos em suco de limão, creme de manteiga de limão em bolo de baunilha, Dozen Bake Shop, Pittsburgh, EUA.
  • Uma variação da bebida pede uma agitação com colher num copo de mistura, em vez de agitação forte numa coqueteleira.[21]
  • A estrela Kathy Wakile do programa de TV Real Housewives of New Jersey criou um coquetel chamado Red Velvet Cosmo, baseado em uma de suas sobremesas favoritas, bolo veludo vermelho.[22][23]
  • Para um Virgin Cosmopolitan, substitua-se a vodca e triple sec por suco de laranja e limonada rosa.[24]

Referências

  1. a b «Official Cocktail recipe: Cosmopolitan». International Bartenders Association. Consultado em 13 de agosto de 2017. 
  2. a b Grimes, William (novembro de 2001). «Straight Up Or On the Rocks: The Story of the American Cocktail» (em inglês). North Point Press. p. 119  . Disponível online em The Big Apple blog de Barry Popik.
  3. a b c d e Harrington, Paul; Moorhead, Laura (1998). «Cocktail: The Drinks for the 21st Century». New York: Viking (Penguin Putnam Inc.). p. 76  . Versão online disponível em The Big Apple blog de Barry Popik.
  4. New York Magazine. 27 (43): 84. 31 de outubro de 1994 
  5. The New York Bartender's Guide by Sally Ann Berk, 1994
  6. Gourmet: Volume 55, edições 7-12, por Pearl Violette Newfield Metzelthin, 1995: Brent Barnette New York, New York
  7. Complete world bartender guide - Página 117, Bob Sennett, 1993
  8. «cocktail virgin slut: cosmopolitan». Cocktailvirgin.blogspot.co.uk. 16 de dezembro de 2009. Consultado em 15 de março de 2014. 
  9. «Pioneers of Mixing at Elite Bars: 1903-1933: Amazon.co.uk: Charles Christopher Mueller, Andrew Myles Davies: Books». Amazon.co.uk. Consultado em 15 de março de 2014. 
  10. «Cosmopolitan Cocktail - Small Screen Network». Small Screen 
  11. «Cosmopolitan #3 (1934 recipe) Cocktail Recipe - How To Make Cocktail Recipes». diffordsguide. Consultado em 15 de março de 2014. 
  12. «Best Locally Created Cocktail». citypages.com. City Pages. Consultado em 31 de dezembro de 2006.. Arquivado do original em 9 de janeiro de 2007 
  13. «BEST LOCALLY CREATED COCKTAIL Minneapolis 2006 - Cosmopolitan». City Pages. 31 de março de 2007. Consultado em 15 de março de 2014.. Arquivado do original em 5 de novembro de 2013 
  14. a b Kilduff, Paul. «Belly Up to the Bar: John Caine brought the cosmo to Frisco». The Kilduff Archive. The Monthly: The East Bay's Premier Magazine of Culture and Commerce. Consultado em 20 de maio de 2008. 
  15. a b c d e Regan, Gary; Regan, Mardee Haidin (outubro de 2006). «The Birth of the Cosmopolitan: A Tale of Two Bartenders». Ardent Spirits e-letter. 6 ed. Consultado em 31 de dezembro de 2006.. Arquivado do original em 7 de julho de 2007 
  16. «Cosmopolitan #2 (DeGroff's formula) Cocktail Recipe - How To Make Cocktail Recipes». diffordsguide. Consultado em 15 de março de 2014. 
  17. Calabrese, Salvatore (1997). Classic Cocktails. Londres: Prion Books. p. 103. ISBN 1-85375-240-1 
  18. Kammerling, Alex (Junho de 2003). «all you need to know about The Cosmopolitan». Class, the magazine of bar culture 
  19. 150 Classic Cocktails. Londres: Hamlyn. 2003. p. 38. ISBN 0 600 60992 8 
  20. Cocktails. Londres: Octopus. 2007. ISBN 0-600-61671-1 
  21. «Cosmopolitan Drink Recipe». Spirit Drinks. Consultado em 1 de julho de 2010. 
  22. Fabrikant, Mel (28 de fevereiro de 2012). «Red Velvet Cosmo Introduced By Kathy Wakile of 'The Real Housewives of New Jersey'». Paramus Post. Consultado em 5 de julho 2012. 
  23. «Bio: Kathy Wakile: Cast». Bravo TV. Real Housewives of New Jersey. Consultado em 5 de novembro de 2013.. Arquivado do original em 5 de novembro de 2013 
  24. «Virgin Cosmopolitan Drink». Go Shindig. Consultado em 24 de dezembro de 2016. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cosmopolitan (coquetel)


Ícone de esboço Este artigo sobre bebidas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.