Cosmotron

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cosmotron
Álbum de estúdio de Skank
Lançamento 2003
Gravação 2003, nos Estúdios Ferreti, Belo Horizonte e na Toca do Bandido, Rio de Janeiro
Gênero(s) Rock, pop rock, música popular brasileira
Duração 62:47
Gravadora(s) Sony Music(selo Epic)
Produção Skank & Tom Capone
Cronologia de Skank
MTV Ao Vivo em Ouro Preto
(2001)
Radiola
(2004)

Cosmotron é o sexto álbum de estúdio da banda brasileira de rock Skank lançado em 2003. Contém notável influência dos Beatles e do Clube da Esquina. Este disco é considerado como um grande salto na carreira do quarteto, refletindo um amadurecimento tanto nas melodias quanto nas letras.[1]

Conduzido pela canção "Dois Rios", o disco recebeu originalmente criticas mistas positivas citando o flerte da banda entre a MPB e a música pop britânica. Este disco vendeu por volta de 210.000 cópias, segundo o site da própria banda.[2]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O álbum recebeu criticas mistas geralmente positivas dos especialistas musicais. Pedro Alexandre Sanches da Folha de S.Paulo citou "Dois Rios", de Nando Reis, Samuel Rosa e Lô Borges, como sua síntese: "é onde os rapazes dizem tudo o que querem dizer em Cosmotron: viramos gente grande, ainda somos o Skank". Entretanto notou certo saudosismo do grupo por músicos do passado: "Ficamos ligeiramente sem saber qual é de fato a identidade da banda que toca essas belas canções."[3] A revista ISTOÉ Gente, por meio do portal eletrônica Terra, em um artigo escrito por Mauro Ferreira, deu ênfase ao "flerte aprofundado da banda com a MPB". E ainda cita letras de "Águas de Março" de Tom Jobim, e "Formato Mínimo" que evoca "Construção", de Chico Buarque, "ao terminar cada verso com palavras proparoxítonas."[1] Philip Jandovský da Allmusic escreveu que "a maioria das canções são bastante calmas, músicas melodiosas em que as guitarras acústicas e elétricas impulsionam a música à frente. Além da influência britânica evidente neste álbum".[4]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as letras escritas por Chico Amaral, exceto onde indicado, todas as músicas compostas por Samuel Rosa, exceto onde indicado

.

N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Supernova"   Samuel Rosa, Fausto Fawcett 4:37
2. "As Noites"     4:52
3. "Pegadas na Lua"   S. Rosa, Humberto Effe 4:35
4. "Amores Imperfeitos"     4:13
5. "Por um Triz"   S. Rosa, Rodrigo F. Leão 4:08
6. "Dois Rios"   S. Rosa, Lô Borges, Nando Reis 4:43
7. "Nômade"     6:53
8. "Vou Deixar"     4:34
9. "Formato Mínimo"   S. Rosa, R. Leão 5:12
10. "Resta um Pouco Mais"   Lelo Zaneti, C. Amaral 3:51
11. "Os Ofendidos"     3:47
12. "É Tarde"     4:05
13. "Um Segundo"     4:05
14. "Sambatron"     5:10

Créditos[editar | editar código-fonte]

Skank
Produção
  • Tom Capone - Produção, Gravação e Mixagem
  • Skank - Produção
  • Fernando Furtado - Produção Executiva
  • Ronaldo Viana - Direção Artística (A&R)
  • Álvaro Alencar - Mixagem
  • Ricardo Garcia - Masterização
  • Renato Cipriano - Gravação
  • Bruno Ferretti - Gravação
  • Marco Diniz - Gravação
  • Marcus Barão - Projeto Gráfico
  • Weber Pádua - Projeto Gráfico e Fotos
  • Daniela Conolly - Supervisão Gráfica

Referências

  1. a b Ferreira, Mauro (14 de julho de 2003). «Cosmotron». Terra. ISTOÉ Gente. Consultado em 29 de novembro de 2013 
  2. «Cosmotron (2003)». Site oficial do Skank. Consultado em 16 de fevereiro de 2016 
  3. Sanches, Pedro Alexandre (07 de julho de 2003). «Novo álbum do Skank leva Beatles ao Clube da Esquina». UOL. Folha de S.Paulo. Consultado em 29 de outubro de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. Jandovský, Philip (25 de novembro de 2003). «Review Cosmotron». All Media Guide (em inglês). Allmusic. Consultado em 29 de novembro de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Skank é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.