Crátilo (diálogo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mosaico da Academia de Platão. Mosaico romano do século I a.C. de Pompéia, agora no Museu Arqueológico de Nápoles.

Crátilo (do grego antigo Κρατύλος, Kratulos) é um diálogo platónico. A maioria dos académicos contemporâneos acreditam ter sido essencialmente escrito no período intermédio de Platão.[1] No diálogo, Sócrates é questionado por dois homens, Crátilo e Hermógenes, sobre se os nomes são "convencionais" ou "naturais", isto é, se a linguagem é um sistema de símbolos arbitrários ou se as palavras possuem uma relação intrínseca com as coisas que elas significam. Ao fazer isto, este texto tornou-se numa das primeiras obras filosóficas do período clássico grego a tratar de matérias como a etimologia e a linguística.

O Crátilo individual foi a primeira influência intelectual sobre Platão (David Sedley).[2] Aristóteles afirma que Crátilo influenciou Platão introduzindo-lhe os ensinamentos de Heráclito , de acordo com MW. Riley.[3]

Textos e traduções[editar | editar código-fonte]

  • Uma tradução inicial ara o inglês foi feita por Thomas Taylor em 1804.
  • Benjamin Jowett (1892). The Dialogues of Plato, in 5 vols 3rd edition revised and corrected. [S.l.]: Oxford University Press 
  • Plato: Cratylus, Parmenides, Greater Hippias, Lesser Hippias. Com tradução de Harold N. Fowler. Loeb Classical Library 167. Harvard Univ. Press (publicado originalmente em 1926). ISBN 9780674991859 HUP listing
  • Plato: Opera, Volume I. Oxford Classical Texts. ISBN 978-0198145691
  • Plato: Complete Works. Hackett, 1997. ISBN 978-0872203495
  • Dalimier, C., 1998, Platon, Cratyle, Paris: Flammarion.
  • Méridier, L., 1931, Platon, Cratyle, Paris: Les belles lettres.
  • Reeve, C. D. C., 1997, Plato, Cratylus: translated with introduction and notes, Indianapolis and Cambridge: Hackett; reinpresso J.M. Cooper. (ed.) Plato, Complete Works, Indianapolis and Cambridge: Hackett.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. pp. 6, 13-14, David Sedley, Plato's Cratylus, Cambridge U Press 2003.
  2. Sedley, David (6 de novembro de 2003). Plato's Cratylus (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  3. Riley, Michael W. (2005). Plato's Cratylus: Argument, Form, and Structure (em inglês). [S.l.]: Rodopi 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Press, Gerald A. (2012). The Continuum Companion to Plato (em inglês). [S.l.]: A&C Black. ISBN 0826435351 
Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.