Crazy (canção de Seal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Crazy (Seal))
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
"Crazy"
Single de Seal
do álbum Seal
Lado B "Sparkle" (7" single)
"Krazy" (CD maxi)
Lançamento 26 de novembro de 1990 (1990-11-26) no  Reino Unido
22 de março de 1990 (1990-03-22) nos  Estados Unidos
Formato(s) CD, 7", 12"
Gravação Sarm West Studios, Northwest London
Gênero(s) Electronica, pop, pop rock, soul, dance-rock, funk
Duração 04:30 (versão single)
05:57 (extended mix/versão do álbum)
Gravadora(s) ZTT (Reino Unido)
Sire (Estados Unidos)
Composição Seal (letra e música)
Guy Sigsworth (música)
Produção Trevor Horn

"Crazy" é uma canção do cantor britânico Seal, lançada em 1991. Foi regravada pela cantora canadense Alanis Morissette.

Após assinar com a ZTT Records, Seal lançou “Crazy” como seu primeiro single. A canção se tornou um hit international e o compositor e cantor ganhou inúmeros prêmios, incluindo o Ivor Novello de 1992, pela composição, e também o BRIT Awards, do mesmo ano, nas categorias de melhor vídeo e melhor álbum.

A canção foi inspirada nos loucos eventos de 1989-90, em particular a queda do Muro de Berlim. O trecho "e através de um fractal num muro quebrado, vejo você, meu amigo, e toco seu rosto de novo" parece ser referência ao muro vindo abaixo.

"Fractal" é uma palavra interessante que não se observa muito frequentemente em letras de música. Trata-se de termo usado na matemática para designar uma imagem construída por estruturas de fórmulas, que vão gerar um design de complexidade e similaridade própria valendo-se apenas de algumas regras simples. Em computação gráfica, os fractais são muito úteis para gerar rapidamente padrões de coisas da natureza como samambaias, flocos de neve, nuvens, relâmpagos, costas litorâneas e cadeias de montanhas.

Nos tempos em que a canção foi lançada, os fractais eram um dos assuntos mais comentados nas notícias, por causa da segunda onda da revolução de computadores pessoais fator que desencadeou um crescimento da computação gráfica em trabalhos de vídeo. Muitas imagens de proteção de tela dos computadores da época eram simplesmente geradores de fractais.

Seal pode também ter feito uma alusão ao termo "fratura" (sobre o Muro de Berlim, já destruído em 1991), mas, por outro lado, "fractal" traz consigo o senso poético de que algo como um simples ato pode gerar repercussões em espiral que ainda são sentidas na história atual.

Alanis Morissette lançou uma versão cover do hit para um anúncio da marca Gap de 2005 e uma versão remixada inclusa em seu álbum de coletâneas de 2005 “Alanis Morissette: The Collection”. A versão de Alanis foi lançada como um single que alcançou a posição 65 nas paradas do Reino Unido e a de número 3 na Itália. Em uma entrevista para a Songwriter Universe, Morissette disse: é uma canção que eu tinha obsessão desde adolescente e quando fiz a campanha da Gap os amáveis camaradas de lá me apresentaram uma lista para escolha das minhas canções favoritas. 'Crazy' foi uma das primeiras que escolhi porque trazia de volta muitas recordações de meus anos de adolescência. O verso principal, “Você nuna vai sobreviver a menos que se torne um pouco louco” é para mim uma das mais simples, mas também mais profundas afirmações. Seal e eu trocamos doces emails quando eu estava para gravar a versão cover da música."

Esta canção também teve uma versão cover do Mushroomhead em seus XIII álbum de 2003. Seal escreveu a letras de "Crazy," e seu produtor Guy Sigsworth fez os arranjos canções. Sigsworth tem créditos de produção em trabalhos para talentos musiciais como Madonna, Britney Spears e Alanis Morissette. Séries de TV e filmes que tem a canção em sua trilha sonora incluem: “O Diabo Veste Prada”, “Beverly Hills”, “90210”, “Baywatch”, “Cold Case”, “Eli Stone” e “Clockers”.