Criança de rua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Meninos de rua que fazem malabarismo no sinal.

O termo crianças de rua ou meninos de rua refere-se às crianças e adolescentes que encontram-se em situação de vulnerabilidade pessoal e/ou social e que, nessas condições, estão expostos a diversos riscos como: violência (física e sexual), uso de drogas (lícitas e ilícitas), exploração como mão-de-obra infanto-juvenil, má nutrição e diversas doenças.[1]

Sujeitos à exploração e à violência, ao abuso e com uma alimentação precária, sem atenção e educação, é assim que vivem meninos e meninas em situação de rua, ou seja, sem proteção nenhuma. Além disso, são discriminados e rotulados como criminosos. A maioria das crianças que vivem em situação de rua tem um passado marcado pela violência e pelo desamparo.[2]

Essas crianças podem ou não ainda manter vínculos com suas famílias e, dada a fragilidade dos mesmos, vivem a maior parte de seu tempo na rua, tornando mais frágeis seus vínculos simbólicos e afetivos.[3] Segundo o governo federal, no Brasil existem 25.000 crianças de rua.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos/pb051098c.htm
  2. http://www.mnmmr.org.br/
  3. http://www.enfants-des-rues.com/pages/pt/index.asp