Crisópolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o município do Brasil. Para a cidade da Antiguidade, veja Üsküdar.
Município de Crisópolis
"Vila Rica"
Igreja Matriz do Bom Jesus

Igreja Matriz do Bom Jesus
Bandeira indisponível
Brasão de Crisópolis
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Fundação 12 de março de 1962 (55 anos)
Gentílico crisopolense
Prefeito(a) Ednal Alves da Costa (PSC)
(2017–2020)
Localização
Localização de Crisópolis
Localização de Crisópolis na Bahia
Crisópolis está localizado em: Brasil
Crisópolis
Localização de Crisópolis no Brasil
11° 30' 39" S 38° 09' 00" O11° 30' 39" S 38° 09' 00" O
Unidade federativa Bahia Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Alagoinhas IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Itapicuru (N), Rio Real (L), Acajutiba (SE), Aporá (SO) e Olindina (O).
Distância até a capital 215 km
Características geográficas
Área 607 657 km² km² [2]
População 21,835 hab. IBGE/2010[3]
Densidade O denominador (divisor) tem que ser um número! hab./km²
Altitude 149 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
PIB per capita R$ R$ 6,141 77 2014
Página oficial

Crisópolis é uma cidade brasileira do estado da Bahia. Fundada em 1962 a uma altitude de 149 metros. Crisópolis é sede de um município com área de unidade territorial de 607,657 km² (2016). Com população de 21.835 (Estimativa 2017 - IBGE). A população do último Censo (2010) foi de 20.046 habitantes. Com Densidade demográfica de 32,99 hab/km² (Censo 2010).[4]

História[editar | editar código-fonte]

  • O território integrava o Município de Itapicuru. Seu povoamento iniciou-se na segunda metade do século XIX, por fazendeiros que ali se estabeleceram, formando as fazendas Dendê de Cima e Dendê de Baixo. 
  • Com a chegada do peregrino Antônio Vicente Mendes Maciel, mais conhecido como Antônio Conselheiro, na década de 1880, formou-se o povoado Bom Jesus, tendo o peregrino construído uma igreja e edificando um cruzeiro. 
  • Em 1898, criou-se o Município de Bom Jesus, extinto em 1913. 
  • Restaurou-se o Município, em 1918, com sede no arraial de Cajueiros (Atualmente Acajutiba), porém foi novamente extinto, em 1931, e seu território anexado a Esplanada. 
  • O Município foi novamente restaurado, em 1933, porém supresso em 1935, e seu território anexado a Itapicuru. 
  • Em 1962, o Município foi definitivamente restaurado com o nome de Crisópolis, tomando como sede aquela vila. 
  • Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, figura no Município de Itapicuru o Distrito de Bom Jesus. 
  • Pelo Decreto Estadual nº 9673, de 13-08-1935, foi extinto o Município de Vila Rica, sendo seu território anexado ao distrito Bom Jesus do Município de Itapicuru. 
  • Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o Distrito de Bom Jesus figura no Município de Itapicuru.
  • Pelo Decreto Estadual nº 11089, de 30-11-1938, o Distrito de Bom Jesus passou a denominar-se Crisópolis, publicação feita no Diário Oficial da Bahia, edição de 04-04-1939, deu-se também pelo Decreto Estadual nº 11627, de 27-04-1940, baixado em cumprimento a dispositivo do Decreto-Lei Federal nº 2104, de 02-04-1940. 
  • Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o Distrito de Crisópolis, figura no Município de Itapicuru. 
  • Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960. 
  • Elevado à categoria de Município com a denominação de Crisópolis, pela Lei Estadual nº 1638, de 12-03-1962, desmembrado de Itapicuru. Sede no antigo Distrito de Crisópolis. Constituído do distrito sede. Instalado em 07-04-1963. 
  • Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o Município é constituído do distrito sede. 
  • Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2001. 
  • Pela Lei Estadual nº 4579, de 05-11-1985, é criado o Distrito de Buril (ex-povoado) e anexado ao Município de Cristópolis. 
  • Em divisão territorial datada de 2005, o Município é constituído de 2 distritos: Crisópolis e Buril. 
  • Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007. 
  • Alteração toponímica distrital 
  • Bom Jesus para Crisópolis, alterado pelo Decreto Estadual nº 11089, de 30-11-1938, o distrito de publicação feita no Diário Oficial da Bahia, edição de 04-04-1939, deu-se também pelo Decreto Estadual nº 11627, de 27-04-1940, baixado em cumprimento a dispositivo do Decreto-Lei Federal nº 2104, de 02-04-1940.[5]

*Confederação Nacional de Municípios; IBGE

Igreja do Bom Jesus[editar | editar código-fonte]

Trinta quilômetros distantes da sede da Freguesia de Nossa Senhora de Nazaré do Itapicuru de Cima, num agradável tabuleiro, ficava a fazenda Dendê de Cima, onde possuíam terras em 1857, Dionísia Florinda de Santana e Bernardina Francisca da Conceição. Mais além, perto do riacho Pecuária, no lugar denominado Dendê de Baixo, eram proprietários José de Souza Barbosa e Maria Ferreira de Souza, conforme consta do competente livro de registro de terras do município de Itapicuru, destinado à observância da lei geral de 1854. A zona recebera a denominação de Dendê, em virtude da grande quantidade da planta (Elaeis guineensis Jacq.) do mesmo nome ali existente, explicam os velhos do local. Na fazenda de Dionísia Florinda de Santana, uma santa cruz fora fincada em memória de um crime ali praticado. Uma mulher mandara matar o marido, reza a tradição.  

Perto da santa cruz, em ano desconhecido, Antonio Conselheiro deliberou estabelecer sua moradia, mandando que seus seguidores derrubassem a mata e levantassem casas. Numa delas, recolheu-se o próprio peregrino. “Uma casa imunda sem um móvel ao menos onde me pudesse sentar", escreveu ao Jornal de Notícias um viajante que por lá andou, Maximiano José Ribeiro19. "Construiu também, na praça extensa, um barracão para abrigar romeiros e cavou um tanque onde os habitantes iam buscar água. Batizou o arraial com o nome de Bom Jesus e tratou de edificar a capela sob sua invocação, defronte da qual ergueu um imponente cruzeiro. A capela, com ligeiras modificações, e o santo cruzeiro ainda permanecem como nos primeiros tempos, com grande respeito dos moradores da cidade, hoje chamada Crisópolis, depois de haver sido arraial do Bom Jesus e Vila Rica. Quando um pároco inovador quis transformar o templo, não contou com o apoio dos seus paroquianos e desistiu da ideia”.  

Trata-se de uma das igrejas mais conhecidas do Conselheiro, “lindo e elegante templo do Bom Jesus”, que a imaginação sertaneja considera a mais bela dos sertões da Bahia, com o interior revestido de lâminas de ouro, ornamentada à semelhança da igreja de São Francisco na Bahia, o que não é exato.  

No frontal do templo, figura a data de 1892, possivelmente o ano em que o vigário de Itapicuru, padre Agripino Borges, benzeu a igreja, com grandes festas, música e foguetório, conforme declara um antigo morador do local, Marcos Dantas de Menezes, nascido por volta de 1880.  

Em 1886, já o Conselheiro estava trabalhando nas obras da capela, gastando cerca de 100$000 por semana, denunciou o delegado de Itapicuru, considerando ser a importância o décuplo do que devia ser pago. [6]

Trabalho e Rendimento[editar | editar código-fonte]

Em 2015, o salário médio mensal era de 1.9 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 5.1%.

Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 93 de 417 e 359 de 417, respectivamente. Já na comparação com cidades do país todo, ficava na posição 2500 de 5570 e 5114 de 5570, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 58.1% da população nessas condições, o que o colocava na posição 11 de 417 dentre as cidades do estado e na posição 128 de 5570 dentre as cidades do Brasil.[7]

Educação[editar | editar código-fonte]

Em 2015, os alunos dos anos inicias da rede pública da cidade tiveram nota média de 4.9 no IDEB. Para os alunos dos anos finais, essa nota foi de 3.7. Na comparação com cidades do mesmo estado, a nota dos alunos dos anos iniciais colocava esta cidade na posição 56 de 417. Considerando a nota dos alunos dos anos finais, a posição passava a 85 de 417. A taxa de escolarização (para pessoas de 6 a 14 anos) foi de 96.1 em 2010. Isso posicionava o município na posição 337 de 417 dentre as cidades do estado e na posição 4499 de 5570 dentre as cidades do Brasil.[8]

Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010] 96,1%
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015] 4,9  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015] 3,7  
Matrículas no ensino fundamental [2015] 3.487 matrículas  

Economia[editar | editar código-fonte]

Em 2014, tinha um PIB per capita de R$ 6.141,77. Na comparação com os demais municípios do estado, sua posição era de 279 de 417. Já na comparação com cidades do Brasil todo, sua colocação era de 4964 de 5570. Em 2015, tinha 95% do seu orçamento proveniente de fontes externas. Em comparação às outras cidades do estado, estava na posição 135 de 417 e, quando comparado a cidades do Brasil todo, ficava em 862 de 5570.[9]

PIB per capita [2014] R$ 6.141,77  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015] 95 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010] 0,543

Saúde[editar | editar código-fonte]

A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 19.76 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 1.4 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 139 de 417 e 200 de 417, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 1253 de 5570 e 1967 de 5570, respectivamente.[10]

 Mortalidade Infantil [2014] 19,76 óbitos por mil nascidos vivos
Internações por diarreia [2016] 1,4 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS[2009] 7 estabelecimentos  

Território e Ambiente[editar | editar código-fonte]

Apresenta 5.8% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 61.9% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 6.8% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 328 de 417, 241 de 417 e 173 de 417, respectivamente. Já quando comparado a outras cidades do Brasil, sua posição é 4729 de 5570, 3586 de 5570 e 3178 de 5570, respectivamente.[11]

Área da unidade territorial [2016] 607,657 km²  
Esgotamento sanitário adequado[2010] 5,8 %  
Arborização de vias públicas [2010] 61,9 %  
Urbanização de vias públicas [2010] 6,8 %  

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «IBGE | Brasil em Síntese». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  5. «IBGE | Brasil em Síntese». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  6. «ANTONIO CONSELHEIRO, CONSTRUTOR DE IGREJAS E CEMITÉRIOS»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  7. «IBGE | Brasil em Síntese». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  8. «IBGE | Brasil em Síntese». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  9. «IBGE | Brasil em Síntese». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  10. «IBGE | Brasil em Síntese». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  11. «IBGE | Brasil em Síntese». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 24 de setembro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.