Culto à natureza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O culto à natureza é qualquer prática de variedade religiosa, espiritual e devocional que foca na adoração de deidades da natureza consideradas estarem por trás de fenômenos naturais.[1] Uma deidade pode ser responsável pela natureza, uma região, um biótipo, a biosfera, os cosmos, ou o universo. O culto à natureza é frequentemente considerado a fonte primitiva de crenças religiosas modernas e pode ser encontrado em teísmo, panenteísmo, panteísmo, deísmo, politeísmo, animismo, totemismo, xamanismo e paganismo. É comum na maioria das formas do culto à natureza ter um foco espiritual na conexão individual e influência em alguns aspectos do mundo natural e sua reverência à ele.[2]

Formas e aspectos do culto à natureza[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. A Dictionary of Religion and Ethics edited by Shailer Mathews, Gerald Birney Smith, p 305
  2. The New International Encyclopædia, Volume 14 edited by Daniel Coit Gilman, Harry Thurston Peck, Frank Moore Colby, pp 288-289