Cultura da Itália

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Cultura da Itália é famosa pela sua arte e pelos seus monumentos, entre os quais se encontram a Torre de Pisa,o Coliseu de Roma, bem como pela sua comida (pizza, pasta, etc.), vinho, estilo de vida, elegância, design, cinema, teatro, literatura, poesia, artes plásticas, música (especialmente a Ópera), e, de uma forma geral, por aquilo que é considerado por muita gente "bom gosto".

Itália é considerada o berço da civilização ocidental e uma superpotência cultural. A Itália tem sido o ponto de partida de fenómenos de impacto internacional como a Magna Graecia, o Império Romano, a Igreja Católica Romana, o Renascimento, o Risorgimento e a integração europeia. Durante sua história, a nação deu à luz um número enorme de pessoas notáveis.

As faces internas e externas da cultura ocidental nasceram na península italiana, quer se trate da história da fé cristã, das instituições civis (como o Senado), da filosofia, do direito, da arte, da ciência ou dos costumes sociais e cultura.

A Itália era o lar de muitas civilizações bem conhecidas e influentes, incluindo os etruscos, samnitas e romanos, ao mesmo tempo hospedando colônias de importantes civilizações estrangeiras como os fenícios e gregos, cuja influência e cultura tiveram um grande impacto através da península. As culturas etrusca e samnita floresceram na Itália antes do surgimento da República Romana, que os conquistou e incorporou. Fenícios e gregos estabeleceram assentamentos na Itália começando vários séculos antes do nascimento de Cristo, e os assentamentos gregos, em particular, desenvolveram-se em florescente civilizações clássicas. As ruínas gregas no sul da Itália são talvez o mais espetacular e melhor preservado em qualquer lugar.

O país possui várias cidades mundialmente famosas. Roma era a antiga capital do Império Romano e sede do Papa da Igreja Católica. Florença foi o coração do Renascimento, um período de grandes realizações nas artes no final da Idade Média. Outras cidades importantes incluem Turim, que costumava ser a capital da Itália, e é agora um dos grandes centros do mundo de engenharia automobilística. Milão é a capital industrial, financeira e de moda da Itália. Veneza, com seu intrincado sistema de canais, atrai turistas de todo o mundo, especialmente durante o Carnaval de Veneza ea Bienal.

A Itália é o lar do maior número de Patrimônios da Humanidade da UNESCO (51), e de acordo com uma estimativa o país é o lar de metade dos grandes tesouros de arte do mundo. A nação tem, em geral, cerca de 100.000 monumentos de qualquer espécie (igrejas, catedrais, sítios arqueológicos, casas e estátuas).

Arte[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Arte da Itália

O período do Renascimento iniciou-se na Itália no século XIV e perdurou até ao século XVI.

Feitos literários, tais como a poesia de Petrarca, Tasso e Ariosto; assim como a prosa de Boccaccio, Maquiavel e Castiglione exerceram uma enorme e duradoura influência no desenvolvimento subsequente da cultura Ocidental; iguais repercussões tiveram a pintura, escultura e a arquitectura produzida por gigantes como Leonardo da Vinci, Raffaello, Botticelli, Michelangelo, Brunelleschi, Bramante, Masaccio, Giorgio Vasari, Tintoretto, Paolo Veronese e Fra Angelico.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Arquitetura da Itália

Ruínas de grandes construções do passado levaram a Itália a testificar a grandeza de culturas precedentes. A história da arquitetura italiana remonta aos estilos aplicados por gregos e etruscos, progredindo ao romano clássico, e então, desencadeando no Renascimento cultural e ampliando-se na era Barroca. Durante o período da Renascença Italiana, era comum aos estudantes de arquitetura estudar as ruínas antigas de Roma com base essencial de sua formação acadêmica.

A Antiga Basílica de São Pedro (construída a partir de aproximadamente 330), foi provavelmente a mais significante basílica cristã da Primeira Era, um estilo de templo que tornou-se dominante nos primeiros anos da Idade Média. A Antiga São Pedro situava-se no local da atual Basílica de São Pedro, no Vaticano. Os primeiros prédios romanescos significantes eram os templos cristãos construídos na Itália durante o século IX. Inúmeros exemplos de arquitetura bizantina medieval também podem ser encontrados na Itália. A mais conhecida construção bizantina deste período é a Basílica de São Marcos, em Veneza.

O maior florescimento da arquitetura italiana ocorreu durante o Renascimento. Filippo Brunelleschi fez grandes contribuições para o projeto arquitetônico com sua cúpula para a Catedral de Florença. Leon Battista Alberti foi outro dos primeiros arquitetos da Renascença cujas teorias e projetos tiveram uma enorme influência sobre arquitetos posteriores.

Talvez a maior conquista da arquitetura renascentista italiana foi a Basílica de São Pedro, originalmente projetada por Donato Bramante no início do século XVI. Andrea Palladio influenciou arquitetos em toda a Europa ocidental com as vilas e palácios que ele projetou no meio e final do século XVI. É amplamente considerado o indivíduo mais influente na história da arquitetura.

O período barroco produziu vários arquitectos italianos proeminentes no século XVII especialmente conhecido para suas igrejas. Os arquitetos mais importantes incluíam Gian Lorenzo Bernini e Francesco Borromini. Numerosos arquitetos italianos modernos, como Renzo Piano, são famosos em todo o mundo.

Música[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Música italiana

Do folk ao clássico, a música sempre teve um papel importante na cultura italiana. Tendo dado à luz a Ópera, por exemplo, a Itália fornece muitos dos fundamentos da tradição da música clássica. Alguns dos instrumentos que estão frequentemente associados com a música clássica, incluindo o piano eo violino, foram inventados na Itália e muitas das formas de música clássica existentes podem traçar suas raízes de volta às inovações da música italiana dos séculos XVI e XVII (Como a sinfonia, concerto e sonata).

Os compositores italianos têm desempenhado um papel importante na música desde a Idade Média. No século XI, Guido de Arezzo, um monge italiano, desenvolveu um sistema revolucionário de notação e método de visão-cantar. O canto gregoriano, a canção trovadoresca eo madrigal eram formas da música italiana primitiva.

Durante o Renascimento, Giovanni Pierluigi da Palestrina compôs obras-primas de música coral para uso em serviços religiosos. As primeiras óperas foram compostas em Florença na década de 1590. A ópera emergiu como uma forma de arte durante o período barroco. Claudio Monteverdi foi o primeiro grande compositor da ópera barroca no início do século XVII. Importantes compositores do final do século XVII e início do século XVIII incluíam Alessandro Scarlatti, seu filho Domenico e Antonio Vivaldi. Alessandro tornou-se mais conhecido por suas óperas, Domenico por suas composições de teclado, e Vivaldi por suas obras para violino. Durante o século XIX e início do século XX, as óperas populares foram compostas por Gioachino Rossini, Vincenzo Bellini, Gaetano Donizetti, Giuseppe Verdi e Giacomo Puccini.

Os artistas italianos contemporâneos, escritores, cineastas, arquitetos, compositores, e designers continuam a contribuir de forma significativa para a Cultura Ocidental.

Língua[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Língua italiana

O italiano, língua oficial da Itália, nasceu na Toscana, região cuja capital é Florença, e deriva do latim, língua do Império Romano. Dante Alighieri, que viveu no século XIII, autor da Divina Comédia, é considerado o "pai" da língua italiana.

No entanto, por influência de tantas Cidades-estado até 1861, falando e escrevendo diferentes línguas, há muitas linguas vivas que sobrevivem até hoje: exemplos são o sardo, o napolitano, o veneto, o friulano e o siciliano.

Festividades e feriados[editar | editar código-fonte]

Festividades e feriados
Data Nome em português Nome em italiano Obs.
1 de Janeiro Ano Novo Capodanno  1236
6 de Janeiro Dia de Reis Epifania  1996
Data variável Domingo de Páscoa Pasqua  1995
Data variável Segunda-feira de Páscoa Lunedì di Pasqua  1995
25 de Abril Aniversário da Libertação Liberazione 1945
2 de Junho República Festa della República Italiana 1860
1 de Novembro Todos os Santos Tutti i Santi  1996
8 de Dezembro Imaculada Conceição Immacolata
25 de Dezembro Natal Natale  
26 de Dezembro Dia de Santo Estêvão Santo Stefano  
31 de Dezembro Noite de São Silvestre San Silvestro  

Esportes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Futebol na Itália

O futebol é o esporte principal da Itália, e os italianos são conhecidos pela paixão com que o jogam. É um dos mais poderosos e tradicionais do mundo, partindo do ponto que a Squadra Azzurra, como é conhecida a seleção, venceu quatro vezes o Campeonato do Mundo : em 1934, 1938, 1982 e 2006. O campeonato italiano também é um dos poucos campeonatos europeus que possui várias equipas de primeiro escalão. No caso, algumas delas são: Milan, Lazio, Internazionale, Roma, Fiorentina, Juventus, entre outros.

A mídia italiana cobre intensamente o campeonato e a seleção, e o povo é bastante ligado à modalidade, sendo grandes admiradores desta. Lá, como no Brasil, também ocorrem com frequência escândalos envolvendo jogadores e a arbitragem, e como consequência, viradas de mesa, como as ocorridas recentemente envolvendo Milan, Lazio, Fiorentina e Juventus, esta considerada a maior beneficiada no escândalo.

Moedas[editar | editar código-fonte]

As moedas de euro italianas possuem cada uma um desenho único, mas referentes a um tema comum que visa honrar as obras de arte italianas mais conhecidas. Cada moeda foi desenhada por um designer diferente, nomeadamente, da moeda de 1 cêntimo à de 2 euros: Eugenio Driutti, Luciana De Simoni, Ettore Lorenzo Frapiccini, Claudia Momoni, Maria Angela Cassol, Roberto Mauri, Laura Cretara e Maria Carmela Colaneri. Todos os desenhos têm em comum as 12 estrelas da União Européia, o ano de distribuição e as letras sobrepostas "RI", de Repubblica Italiana (República Italiana).

Ver também[editar | editar código-fonte]


Bandeira da Itália Itália
Bandeira • Brasão • Hino • Cinema • Culinária • Cultura • Demografia • Economia • Forças Armadas • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens