Cultura do Antigo Egito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A cultura do Antigo Egipto (português europeu) ou Egito (português brasileiro) aparece a partir do modo de vida, costumes e tradições da antiga sociedade egípcia. Começou no Neolítico e evoluiu a partir de cerca do ano 3000 a. C. até à época romana, quando praticamente desapareceu ao entrar para o Império Romano e, especialmente, ao adotar os costumes cristãos.

A história do Antigo Egipto como um Estado unificado começa no período Neolítico, por volta do ano 3100 a. C. e está dividida em três impérios com períodos intermédios de dominação estrangeira e por conflitos internos.

O Império Antigo foi caracterizado pelo florescimento das artes e da construção de grandes pirâmides. Durante o Império Médio (2050-1800 a.C.), após uma fase de descentralização, o Egipto experimentou um período de esplendor na sua economia.

No Império Novo (1567-1085 a.C.) a monarquia egípcia atingiu o seu auge conquistando os povos vizinhos e expandindo os seus domínios sob a direcção dos faraós da XVIII dinastia.

O declínio do império faraónico teve início por volta de 1075 a.C., devido a diversas incursões de exércitos de outros povos. Apesar disso, a cultura egípcia manteve as suas principais características até ao domínio dos romanos, influenciando todo o Mediterrâneo Ocidental.

Os últimos sacerdotes de Ísis na ilha de Filas, mantiveram o seu culto até que foi proibido por Justiniano I em 535 d. C., a língua manteve-se, com a evolução lógica ao longo dos anos através da língua copta utilizada pela Igreja Ortodoxa Copta como língua litúrgica.

Guizé: Litografia do século XIX.


Referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia
  • Desroches Noblecourt, Christiane (1967). El arte egipcio Plaza y Janes [S.l.] 
  • Aldred, Cyril (1993). Arte Egipcio Ediciones Destino [S.l.] ISBN 84-233-2254-8. 
  • Gates, Charles (2003). Ancient Cities: The Archaeology of Urban Life in the Ancient Near East and Egypt, Greece and Rome Ed. Routledge [S.l.] ISBN 0-415-01895-1. 
  • Arnold, Dieter y Esely Shafer, Byron (1997). Temples of Ancient Egypt Cornell University Press [S.l.] ISBN 0-8014-3399-1. 
  • Yarza Luaces, Joaquín y Yarza, Joaquín (1991). La pintura del antiguo Egipto Editorial Vicens-Vives [S.l.] ISBN 84-316-2889-8. 
  • V.V.A.A. (1989). El arte del antiguo Egipto Ed. Guida [S.l.] ISBN 84-207-3536-1. 
  • García Rodríguez, Remedios (2005). «Contexto histórico del Antiguo Egipto». Consultado em 22, 11.  Parâmetro desconhecido |añoacceso= ignorado (|acessodata=) (Ajuda)
  • Martín Valentín, Francisco J. (2001). «El Concepto del Arte en el Antiguo Egipto». Instituto de Estudios del Antiguo Egipto. Consultado em 22, 11.  Parâmetro desconhecido |añoacceso= ignorado (|acessodata=) (Ajuda)
  • Varios autores. «Escultura en el Antiguo Egipto». Egipto Dreams. Consultado em 22, 11.  Parâmetro desconhecido |añoacceso= ignorado (|acessodata=) (Ajuda)
  • «Esfinges». Discovery Channel. Consultado em 22, 11.  Parâmetro desconhecido |añoacceso= ignorado (|acessodata=) (Ajuda)
  • Martín García, Marta. «La música en el Antiguo Egipto». Consultado em 22, 11.  Parâmetro desconhecido |añoacceso= ignorado (|acessodata=) (Ajuda)