Cultura material

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde agosto de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Machado de guerra com a forma de bote, de Närke (Suécia); a "cultura do machado de guerra" ou "cultura do machado com a forma de bote", na Suécia e Noruega, apareceu por volta de 2 800 a.C. e é reconhecida em perto de 3 000 túmulos de Escânia até Trøndelag e Uplândia.

Uma cultura arqueológica ou cultura material é um conjunto de objetos feitos ou modificados pelo Homem - utensílios, ferramentas, adornos, meios de transporte, moradias, armas, tecidos, etc... - associados a uma área arqueológia mais ou menos delimitada. Esses artefactos podem ter sido encontrados ou já estarem inventariados anteriormente. [1]

Uma corrente dentro da arqueologia dá uma grande primazia aos "objetos concretos e materiais", enquanto uma outra corrente procura relacionar esses objetos com aspectos religiosos, estéticos e até étnicos.

Para superar os obstáculos do meio ambiente, o ser humano, desde os primórdios, criou diversos utensílios e implementos, aproveitando matérias-primas encontradas na natureza. Com o desenvolvimento das diversas culturas e sociedades, foram sendo elaboradas formas que, além de úteis, fossem consideradas belas, com acabamento que proporcionasse satisfação ao usuário e ao observador. Tudo isso refletia (e reflete) o modo de pensar e os valores de cada cultura e cada sociedade.

Algumas culturas arqueológicas[editar | editar código-fonte]


Mapa da Europa no Período Neolítico, por volta de 3 500 a.C.

Referências

  1. Childe, V. Gordon (1929). The Danube in Prehistory. Oxford: Oxford University Press 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre arqueologia ou arqueólogos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Referências