Cumaru-nordestino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAmburana cearensis
Árvore de cumaru-nordestino no Boqueirão do Rio Salgado, em Lavras da Mangabeira, Ceará
Árvore de cumaru-nordestino no Boqueirão do Rio Salgado, em Lavras da Mangabeira, Ceará
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Fabales
Família: Fabaceae
Subfamília: Faboideae
Género: Amburana
Espécie: Amburana cearensis
Nome binomial
Amburana cearensis
Detalhe da casca da árvore

Cumaru-nordestino (Amburana cearensis) também designado por outros nomes populares, é uma árvore característica dos biomas de caatinga e cerrado do Nordeste brasileiro, mas que também pode ocorrer em áreas de Mata Atlântica até o estado de São Paulo. Caracteriza-se principalmente pela variação no porte, dependendo do solo e da disponibilidade de água, e pela casca cor vermelho-marrom viva, que tem restos de velhas camadas da periderme se desprendendo em ritidoma. A casca, junto com partes do floema, tem uma substância, chamada cumarina, que tem aplicações medicinais, inclusive pela medicina popular.

Nomes vernáculos[editar | editar código-fonte]

Nomes em português: ambaúrana, amburana, amburana de cheiro, angelim, baru, cabocla, cerejeira rajada, cumaré, cumaru, cumaru de cheiro, cumaru do ceará, cumbaru das caatingas, emburana, emburana de cheiro, imburana, imburana brava, imburana cheirosa, imburana de cheiro, louro ingá, umburana, umburana lisa, umburana macho, umburana vermelha, umburana de cheiro,[1] umburana-de-cheiro, umburana do cheiro:[2]

Referências

  1. Amburana claudii, Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais, Universidade de São Paulo
  2. Americas Regional Workshop (Conservation & Sustainable Management of Trees, Costa Rica) 1998. Amburana cearensis. 2006 IUCN Red List of Threatened Species. Arquivado em 2014-06-27 no Wayback Machine. Retrieved 9 July 2007.)