Curso Alfa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde abril de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Curso Alpha é um curso básico de cristã, normalmente auto-proclamado como “uma oportunidade de explorar o sentido da vida”, com o objetivo de atrair pessoas que não frequentam igreja ou encontram-se afastados da fé, para aprender sobre as bases do cristianismo num ambiente mais informal e descontraído.

Com origem na Igreja Anglicana, o curso é oferecido em 169 países por muitas denominações cristãs diferentes, incluindo as Igrejas Anglicana, Católica, Luterana, Batista, Metodista, Pentecostal, Ortodoxa e praticamente todas as outras denominações Cristãs.

História[editar | editar código-fonte]

O Curso Alpha começou com o Reverendo Charles Marnham, pastor da Igreja Anglicana Holy Trinity, Brompton, Londres. No início, era um curso para os membros da igreja, assente nas bases da fé cristã, mas depois passou a ser uma introdução a esta fé, para todos os que se interessassem. Em 1990, Nick Gumbel, a essa altura pastor da Holy Trinity, tomou a liderança do curso a convite do Reverendo Sandy Millar, o então vigário, e supervisionou a sua revisão e expansão.

Em 2007, mais de 33500 foram dados em mais de 160 países e em diferentes confissões cristãs. No início até 2007, mais de 10 milhões de pessoas haviam atendido a um Curso Alpha. Hoje, mais de 29 milhões de pessoas já participaram de um Alpha, nos 5 continentes.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O Curso Alpha hoje tem diferentes recursos para ser organizado, porém basicamente se perfaz numa série de 10 sessões, uma por semana, antecedida por uma refeição (que pode ser simples ou mais incrementada, dependendo dos recursos que se tiver), que inclui a exposição do tema: "Cristianismo: uma religião falsa, aborrecida e ultrapassada?".

A meio, haverá um dia ou um fim-de-semana fora, que inclui três ou quatro palestras. Cada sessão começa com uma refeição, seguida de uma palestra ou filme e depois tem lugar a discussão em pequenos grupos. As palestras tentam ir aos pilares da fé cristã.

A lista completa de palestras, seguindo a estrutura do livro Questões de Vida de Nicky Gumbel:

  1. O Cristianismo: uma religião falsa, aborrecida e ultrapassada?
  2. Quem é Jesus?
  3. Porque Jesus morreu?
  4. Como podemos ter fé?
  5. Ler a Bíblia: porquê e como?
  6. Orar: porquê e como?
  7. Como é que Deus nos guia?
  8. O Espírito Santo.
  9. O que faz o Espírito Santo?
  10. Como ser cheio do Espírito Santo?
  11. Como resistir ao Mal?
  12. Falar aos outros: por quê e como?
  13. Deus ainda cura hoje?
  14. O que é a Igreja?
  15. Como tirar o melhor proveito do resto da sua vida?

Os participantes recebem o Manual do Curso Alpha, que contém um breve resumo de cada palestra e espaço para escrever alguns apontamentos.

Há algumas versões diferentes do Curso Alpha que são especialmente adaptadas ao tipo de público alvo, nomeadamente o Alpha Jovem e Alpha para Prisões.

Doutrina[editar | editar código-fonte]

O ensino no Curso Alpha tem por objectivo centrar-se nos aspectos da fé cristã que todas as diferentes confissões cristãs aprovam. Desde o início do Curso há a consciência de que o que une os cristãos é maior do que aquilo que os separa. Referências católicas como os santos ou a Virgem Maria não estão presentes no curso.

Algumas histórias de conversões no livro dos Atos dos Apóstolos (2,1ss; 9,17-19; 10,44-46; 19,1-6) são vistas como normativas.

Sendo uma introdução para os temas centrais da fé cristã, o Alpha não incorpora temas polêmicos como a homossexualidade, relações pré-matrimoniais ou astrologia.

Críticas[editar | editar código-fonte]

Uma fonte da crítica refere-se a uma capítulo do livro "Searching Issues" de Gumbel que refere que a evolução e o livro do Génesis não são incompatíveis, e que a Terra poderá não ter sido criada em seis dias. O mesmo livro contém também um capítulo que condena a homossexualidade. A Gay and Lesbian Association produziu um documento em resposta.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]