Díptico Marilyn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Díptico Marilyn
Autor Andy Warhol
Data 1964
Localização Riaillé

O Díptico Marilyn (1962) é uma pintura em serigrafia do artista pop americano Andy Warhol, representando Marilyn Monroe. A peça é uma das obras mais notáveis do artista. Está na coleção do Tate.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A serigrafia foi a técnica usada para criar a pintura. As vinte e cinco imagens à esquerda são pintadas em cores, o lado direito é em preto e branco. A pintura consiste em 50 imagens.[2]

O trabalho foi concluído semanas após a morte de Marilyn Monroe em agosto de 1962. As cinquenta imagens da atriz são todas baseadas em uma única foto publicitária do filme Niagara (1953).

Análise[editar | editar código-fonte]

Foi sugerido que a relação entre o lado esquerdo da tela e o lado direito da tela é evocativa da relação entre a vida e a morte da celebridade.[3][4] O trabalho recebeu elogios como da acadêmica e crítica cultural americano Camille Paglia, que escreveu em Glittering Images, de 2012, sobre a "multiplicidade de significados" na vida e no legado de Monroe.[5]

Em um artigo de 2 de dezembro de 2004 no The Guardian, a pintura foi indicada como a terceira peça mais influente da arte moderna em uma pesquisa com 500 artistas, críticos e outros.[6]

Referências

  1. [1] Andy Warhol; Marilyn Diptych 1962. Tate Museum web page
  2. «Marilyn Diptych» 
  3. Helen Gardner, et al. Gardner's Art Through the Ages. Thompson Wadsworth, 2004. 1054.
  4. Carol Salus. "Behind the Celestial Enchantment". The Poetry of Life in Literature. Ed. Anna-Teresa Tymieniecka. Springer, 2000. 198.
  5. «The Pagan Aesthetic» 
  6. Charlotte Higgins. "Work of art that inspired a movement... a urinal". The Guardian. December 2, 2004. Retrieved on September 3, 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]