Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

DNA (canção de Little Mix)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"DNA"
Quatro mulheres em cor cinza deitadas juntas deitadas de costas em um fundo verde e preto. Entre as cabeças das garotas, está escrita em vermelho a palavra 'DNA'. No canto direito, estão dois blocos vermelhos. No bloco acima em letras maiúsculas pretas está escrita a palavra 'Little', e na mesma fonte no bloco abaixo, 'Mix'. Um pequeno coração vermelho também é visível no canto superior esquerdo da imagem. Nele está escrito 'LM' em letra maiúscula branca.
Single de Little Mix
do álbum DNA
Lançamento 1 de outubro de 2012 (2012-10-01)
Formato(s) Download digital
Gravação 2012;
The Music Shed
(Londres, Inglaterra)
Gênero(s)
Duração 3:56
Gravadora(s) Syco
Composição
Produção TMS
Cronologia de singles de Little Mix
"Wings"
(2012)
"Change Your Life"
(2013)
Lista de faixas de DNA
"Wings"
(1)
"Change Your Life"
(3)

"DNA" é uma canção do girl group britânico Little Mix, gravada para o álbum de estreia delas de mesmo nome. Foi composta pela banda juntamente com Thomas Barnes, Peter Kelleher, Ben Kohn, Iain James e Gavin Jones, sendo que a produção ficou a cargo dos três primeiros sob o nome TMS. A sua gravação decorreu em 2012 no estúdio The Music Shed em Londres, na Inglaterra. O tema foi enviado para as rádios do território britânico através da Syco Music em 1º de outubro de 2012, servindo como segundo single do projeto. A 9 de novembro do mesmo ano, foi comercializada para venda digital na loja virtual do iTunes e na Amazon na Irlanda e no Reino Unido apenas em formato simples e de extended play (EP).

A nível sonoro, a obra é derivada dos estilos da música eletrônica e do pop, e incorpora elementos do R&B e do techno pop. A sua melodia é composta através de vocais, acordes de guitarra, bateria e sintetizadores. Liricamente, a obra possui várias referências ao vocabulário científico e é baseada em temas como amor e obsessão. "DNA" recebeu opiniões positivas da crítica, que apreciou os vocais poderosos e o som "obscuro" do tema. O número recebeu diversas comparações à "E.T." por Katy Perry, que foi uma das influências durante a realização da música. Em termos de desempenho comercial, a composição foi considerada um sucesso, estreando na posição três da UK Singles Chart, vendendo mais de 70 mil cópias, se tornando o terceiro single consecutivo a conseguir os três melhores picos na tabela. Também alcançou as dez mais na Irlanda, na Hungria e Escócia, e foi certificada como ouro na Austrália, onde conseguiu a posição oito.

Seu vídeo musical acompanhante, dirigido por Sarah Chatfield, foi lançado em 19 de outubro de 2012 através do serviço Vevo. Filmado em um estilo de filme de história em quadrinhos, apresenta a Little Mix como assassinas que perseguem e sequestram um homem pelo qual estão obcecadas. A mídia notou similaridades com a série cômica Sin City e sua personagem Catwoman, revisando positivamente o projeto. O conjunto apresentou "DNA" no Loose Women e na nona série do The X Factor, ambos programas televisivos. Também a incluíram no repertório da turnê DNA, interpretando-a como uma continuação do vídeo.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Little Mix apresentando ao vivo a canção durante em 2013.

Em janeiro de 2012, Little Mix começou a gravar canções para o álbum de estreia.[1] O grupo trabalhou com a equipe de produção TMS e com o compositor Iain James em um número de registos no The Music Shed em Londres, na Inglaterra; quatro deles foram escolhidas para o disco.[2] Uma delas foi "DNA", que, subsequentemente, mais tarde se tornou a faixa-título do trabalho.[2] O tema originou-se das experiências pessoais da banda em situações românticas.[3] As integrantes queriam criar uma composição sobre suas próprias vivências para que pudessem melhorar a qualidade de suas apresentações ao vivo.[3] Perrie Edwards comentou: "Nós interpretamos melhor quando a letra significa algo para nós quanto a cantamos".[3] Jesy Nelson, em entrevista para o portal Popjustice, disse que "DNA" foi desenvolvida para mostrar um lado diferente das integrantes.[4] Quando a criar a obra, o girl group tomou como consideração qual das suas apresentações no The X Factor foi a mais popular.[5] Na semana na qual a performance de "E.T." por Katy Perry foi realizada, o grupo recebeu mais votos.[5] A versão do tema por elas foi considerada como "bastante obscura" por Jade Thirlwall; por sua vez, Thirlwall disse que o conjunto queria que "DNA" mostrasse um lado obscuro da Little Mix.[5] Jade disse para Sarah Dean do The Huffington Post que a música também foi escrita para mostrar como elas amadureceram.[5]

O grupo co-escreveu "DNA" juntamente com a equipe TMS e Iain James.[2] James desenvolveu o acorde de guitarra da canção, além das batidas de bateria e sintetizadores.[2] Recebeu engenharia vocal adicional de Daniel Aslet e Ben Collier.[2] Serban Ghenea fez a mixagem da faixa no estúdio MixStar na Virginia Beach, na Virgínia, e Tom Coyne ficou responsável da masterização.[2] O número foi baseado nas emoções que uma garota tem quando ela conhece e sai com um garoto.[3] Em uma entrevista com Emily Laurence da revista Seventeen, a integrante Perrie explicou: "Quando uma garota fica com um menino, este tipo de romance faz você se sentir tonto e feliz. É isso que 'DNA' trata".[3] O conjunto escreveu a música como uma "canção de amor única" por ter ideias científicas que deve combinar com o amor.[6] A obra também trata sobre obsessão.[6] Falando com Tim Jonze do The Guardian, Leigh-Anne Pinnock mencionou: "Não é só uma canção de amor, é sobre ser obcecado com alguém ao extremo. E às vezes, quando as coisas estão ruins desse jeito, você faz tipo, você persegue-o no Facebook..."[6]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Em 31 de agosto de 2012, Jesy Nelson disse à Jenn Selby da revista Glamour que o terceiro single da Little Mix seria completamente diferente dos dois anteriores, e que mostraria uma parte do conjunto nunca antes vista.[7] Leigh-Anne Pinnock revelou para Selby que a obra serviria como segunda música de trabalho do disco, em razão de que "Cannonball", composição de estreia das integrantes, não esteve presente no alinhamento de faixas do álbum.[7] Pinnock adicionou que a segunda música de trabalho era uma escolha pendente entre duas composições naquela hora, e que elas tinham preferência na faixa "obscura" e "diferente".[7] Falando com Jenn, Leigh-Anne explicou a escolha do grupo: "É simplesmente uma chance para nós mostrarmos que podemos ser realmente sérias e mostrar nossos vocais bem. Essa tem muito a ver com vocais".[7]

"Nós simplesmente queríamos escrever sobre este, mas sem tornar a canção típica demais. Nós tivemos uma ideia científica e então começamos a combinar palavras de ciência com amor. Se você tirar isso tudo de volta e se livrar de todas as falcatruas científicas então é apenas só mais uma canção de amor".

Jade Thirlwall e Perrie Edwards falando com Tim Jonze do The Guardian sobre a canção.[6]

A 11 de setembro do mesmo ano, detalhes da música e seu título foram revelados quando membros da indústria colocaram uma previsão de "DNA" para tocar durante um dia de conferência da Sony Music Entertainment.[8] Após a conferência, o canal de televisão Chart Show TV descreveu a música como uma "balada eletrônica" no Twitter.[8] Antes de prontamente excluir o tweet, eles adicionaram que a canção é "muito legal" e que possui "grandes vocais".[8] No dia 27 do mesmo mês, o In:Demand anunciou que seria enviada para as rádios britânicas no dia 1º de outubro.[9] A canção então vazou na internet no dia 28 de setembro, dois dias antes da estreia nas rádios.[10] A música foi prevista pra ser lançada digitalmente no Reino Unido em 12 de novembro de 2012,[11] contudo foi distribuída três dias antes, a 9.[12] Um extended play (EP) digital foi lançado pela Syco na Irlanda e no território britânico apenas.[12][13] O produto possui versões remixadas do tema realizados por Kat Krazy e Eyes.[13] As duas versões receberam opiniões positivas dos críticos.[14][15] "DNA" também marca o primeiro single do girl group que não recebeu lançamento físico.[16]

Estilo musical[editar | editar código-fonte]

A música foi composta em um tempo de assinatura moderado com um metrônomo de 70 batidas por minuto, definida pela chave de mi bemol maior.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

"DNA" é uma canção de andamento moderado derivada dos estilos da música eletrônica e do pop,[8][9][10] e incorpora elementos do R&B e do techno pop, produzida pela equipe TMS.[12][17][18] Consiste na utilização acordes de guitarra, batidas de bateria "deslizantes",[19] e sintetizadores "assustadores" que acompanham os vocais das integrantes.[20][2] De acordo com o portal Popjustice, a obra possui "um efeito de porta que range" e "ruídos no estilo Cheiron".[10][21] Vicky Newman do jornal Shields Gazette disse que a faixa tem uma borda urban.[22] O número se inicia com uma caixinha de música tocando antes que a integrante Perrie Edwards cante a primeira linha "Ele te disse que ele te ama quando você não esperava?", em um baixo registro.[10] Após o segundo refrão, o tema quase termina totalmente antes de uma linha "metade rap, metade falada", seguida de uma composição coral.[10] Esta parte, descrita como "gótica" por vários críticos,[20] dá lugar à "breve instrumentação klaxon".[10] Vista como obscura pela Little Mix e pelos analisadores de modo idêntico, "DNA" mostra o afastamento do grupo do som divertido e otimista presente em "Wings".[7][23] A canção foi profundamente comparada à "E.T." de Katy Perry, que foi uma influência durante o desenvolvimento da obra.[20][24]

A letra foi escrita por Thomas Barnes, Peter Kelleher, Ben Kohn, Iain James, Perrie Edwards, Jesy Nelson, Leigh-Anne Pinnock, Jade Thirlwall e Gavin Jones.[2][25] De acordo com a partitura publicada pela Sony/ATV Music Publishing, a música é definida no tempo de assinatura moderado com um metrônomo de 70 batidas por minuto.[26] Composta na chave de mi bemol menor com um alcance vocal que varia entra a nota baixa de mi bemol até a nota alta de dó bemol.[26] Liricamente, "DNA" utiliza palavras científicas para retratar temas como "amor" e "obsessão".[6] Fiona Shepherd do The Scotsman escreveu que a música trata como importante um homem forte.[18] Trent Maynard do canal 4Music disse que a composição mostra uma imagem "melancólica" do amor e uma compatibilidade biológica "muito enraizada".[27] O refrão possui as letras "Está no DNA dele, D-D-D-DNA / Está no DNA dele / E ele tira o meu fôlego, f-f-f-fôlego / Sinto isso todo dia / E é isso que faz um homem, não é difícil de entender / Perfeito de qualquer jeito, vejo isto no rosto dele / Nada mais pra dizer, está no D-D-D-D-DNA dele".[10] Leigh-Anne Pinnock faz o verso "metade rap, metade falado" em um tom considerado "assustador" por alguns críticos, dizendo "Tudo se trata do beijo dele, contamina meus lábios, nossa energia conecta, é genética simples, eu sou o X do Y dele".[10] O site de música Popjustice comparou a canção com os trabalhos do também girl group britânico Spice Girls, dizendo que "'DNA'' é o 'Say You'll Be There' para o 'Wannabe' de 'Wings'".[10]

Recepção pela crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Daily Star 9 de 10 estrelas.[28]
Daily Record 3 de 5 estrelas.[29]

Jon Hornbuckle do So So Gay descreveu "DNA" como um "pedaço viciante de pop obscuro, com a pequena parada durante o refrão remanescente é um destaque não só na faixa, mas em todo o álbum".[23] A canção foi bem recebida por Vicky Newman do Shields Gazette, que sentiu que ela demonstra as harmonias "esplêndidas" do grupo e que permite que as vozes das integrantes "brilhem". Newman também escreveu que sua borda urban mostra a maturidade e o desenvolvimento da Little Mix.[22] Escrevendo para o Gigwise, Andrew Trendell apreciou a produção da faixa, dizendo: "As batidas deslizantes e as pequenas peculiaridades de [...] 'DNA' a tornam instantaneamente memorável".[30] Adrian Thirlls do Daily Mail apreciou a composição coral presente na faixa, denominando-a de "uma invenção sonora que brilha".[31] "DNA" foi descrita como uma "perfeição pop" por Lewis Corner do Digital Spy, que destacou os "sintetizadores assustadores", as "batidas de coração" e a "composição coral gótica no final".[20] John Earls do jornal britânico Daily Star, revisou positivamente o single, chamando-a de "uma fórmula vencedora", dando à obra nove estrelas de dez máximas. Earls também mencionou que o tema é um "hino real que vai fazer com que todas as garotas do Girls Aloud se perguntarem porque não a lançaram primeiro".[28] O número foi denominado como "maravilhoso" por Clemmie Moodie do Daily Mirror.[32] Eve Barlow para a NME comparou a canção com "E.T." por Katy Perry e a descreveu como "sensacional".[24]

De acordo com Hackford Jones do portal de música Pressparty, "DNA" é uma "fatia de pop futurístico" e um "vibrante e comandante hino pop dos dias atuais que possui a personalidade da Little Mix estampada nela".[19] Amy Gravelle do Entertainment Wise sentiu que a composição representa o "charme agressivo" do grupo. Gravelle também descreveu a faixa como "uma marcante obra pop cativante e contagiante que prova que as garotas possuem o que é preciso para se manter no nível de suas rivais".[33] Ciara Moore do The College View disse que a canção premiou Little Mix com uma legião de fãs adolescentes.[34] Fiona Shepherd do The Scotsman chamou o tema de "techno pop por concussão e em expansão".[18] Escrevendo para o 4Music, Trent Maynard disse que "DNA" é uma "mudança mais obscura para o alegre quarteto, porém é cativante e elegante como o single anterior".[27] "DNA" foi descrita como uma "pedra preciosa absoluta" por Lizzie Fox da Sugar.[35] Rick Fulton, do Daily Record escocês, revisou positivamente a música, condecorando-a com três estrelas de cinco máximas. Fulton a denominou como "electro divertida e agressiva" e "um pouco mais pesada que 'Wings'". Ele também adicionou, "parece que a Little Mix possui grandes aspirações para ir muito mais longe que maioria dos vencedores [do The X Factor]".[29] No The Miami Hurricane, Nicky Diaz disse que o single mostra o lado mais ousado do conjunto. Diaz apreciou a letra e a harmonia da faixa, escrevendo, "As harmonias presentes nesta canção são incríveis e sua letra é cativante".[36] Matt Collar do Allmusic chamou a faixa de "verdadeiramente cativante e infectante".[37] Zayn Malik da boy band One Direction considerou a composição "uma grande faixa".[38] Al Fox da BBC Online disse que "DNA" é a melhor música de trabalho da Little Mix até a data.[17] Michael Cragg do The Guardian listou a canção como a terceira melhor de 2012.[39] O portal musical Popjustice elegeu o single como o segundo melhor de 2012 no "Top 45 Singles of 2012", dizendo, "Este é um pedaço da arte pop tão raro e tão importante para essa geração e todas as gerações que deveria ser vendido no V&A".[21]

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

"O vídeo musical definitivamente combina com a canção, é bem obscuro e tem um pouco de reviravolta na história. DNA é uma canção de amor e possessividade. Colocamos um pouco de distorção no vídeo. Nós não achamos que as pessoas vão esperar o que irá vir. É mais maduro. É um lado completamente diferente de Little Mix que as pessoas ainda não viram".

— Little Mix falando com Linds Foley da Sugar sobre o vídeo.[40]

Em 12 de setembro de 2012, foi revelado que as Little Mix estavam gravando o vídeo musical para "DNA".[8] Um lyric video foi postado no canal oficial do conjunto no Vevo no dia 1º de outubro do mesmo ano.[27] O vídeo foi dirigido por Sarah Chatfield,[41] e foi filmado em frente à uma grande tela verde para inclusão de efeitos especiais utilizando a técnica de animação chroma key.[42] Antes do lançamento oficial, o grupo começou uma contagem regressiva para a estreia publicando teasers na conta oficial da banda no Vevo.[43] Em uma entrevista com Linds Foley da revista Sugar no dia 8 de outubro, as integrantes prometeram que a gravação mostraria um lado totalmente diferente da Little Mix para os fãs, assim como a canção.[40] Sete dias depois, elas confirmaram que o clipe estrearia online no dia 19 do mesmo mês.[43] Em uma entrevista para a Capital London, as garotas disseram que adoraram fazer personagens "obscuras" na gravação.[44] Jesy Nelson disse à estação de rádio que foi muito divertido e emocionante filmar o projeto.[44] Nelson apontou que a razão da emoção que elas tiveram foi por causa da maneira que o teledisco de "DNA" era completamente diferente do gravado para o single anterior, "Wings".[44] Durante a conversa, Leigh-Anne Pinnock explicou que cada integrante faz uma personagem no vídeo, e admitiu que gostou de atuar mais no projeto.[44] Pinnock disse: "Eu amo ser capaz de interpretar essa pessoa estranha obcecada que está louca com este garoto".[44] Durante as filmagens, as Little Mix usaram temas da música, como amor e obsessão, descrevendo-os a maiores extremos.[44]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Cena do vídeo na qual Perrie Edwards está em um carro com o homem que foi sequestrado, de nome Ryan. O veículo está andando sobre uma cidade que foi comparada à da série cômica Sin City.[45]

A trama, com duração superior a quatro minutos,[45] mostra Little Mix adotando um look mais pesado, incluindo roupas de couro, correntes e maquiagem gótica,[46][47] e explora temas como o ciúme e obsessão.[48] Nele, as integrantes "caçam" os homens que fizeram mal a elas.[46] Filmado em um estilo de filme de história em quadrinhos, o conjunto interpreta assassinas que perseguem e sequestram um homem pela qual estão obcecadas.[49][50] Em uma cena, Perrie Edwards está iradamente dirigindo um carro enquanto está perto de um passageiro do sexo masculino que está amarrado e amordaçado.[46] Edwards está com um batom vermelho e uma jaqueta de ciclista, mantendo seu olhar para a estrada e sem olhar para a câmera enquanto o vento bate em seu cabelo.[47] Jade Thirwall é vista perseguindo um homem do lado de fora da janela do quarto dele.[48] Do lado de fora do parapeito da janela, Thirwall espia um homem pelo qual está apaixonada.[47] Nesta cena, ela está usando uma calça listrada preta e prata metálica que está na altura de sua cintura, com uma saia branca, gravata-borboleta preta e suspensórios.[47]

A cena de Jesy Nelson é similar à de Edwards.[47] Nelson corre para o seu destino com um conversível vintage com rendas cobrindo seus olhos enquanto sirenes de polícia piscam por trás dela.[47] Em outra cena, Leigh-Anne Pinnock é o "cérebro" da história, onde está em uma sala secreta que possui uma parede de evidência que o conjunto compilou, que possui mapas e recortes.[51][48] Pinnock está com o cabelo penteado para trás, com um longo topete e com rabo de cavalo, e veste uma roupa que se assemelha às utilizadas pela personagem fictícia Catwoman.[47][52] O nome 'Ryan' está escrito na parede, e Pinnock bate seu punho contra a a parede.[47] O grupo então se junta para uma rotina de dança em uma laje com um céu cinza escuro com vários relâmpagos o cortando.[47] Todas as quatro integrantes também são vistas passeando por uma cidade escura.[47] O vídeo termina quando um homem pelo qual elas construíram uma fixação doentia é visto amarrado em uma cadeira enquanto as Little Mix caminham em direção a ele, antes que as palavras "To Be Continued"[A] apareçam na tela.[47] Em uma entrevista com Owen Myers do Popjustice, Jesy Nelson que a continuação do vídeo ocorreria durante a DNA Tour.[4]

Lançamento e recepção[editar | editar código-fonte]

O vídeo foi lançado no dia 19 de outubro de 2012 no canal oficial da banda no Vevo.[45] A estação de rádio Capital London chamou o vídeo de "provocativo".[46] Um escritor para a Cool FM disse que o vídeo é "surpreendente" e que não disaponta.[49] Lizzie Cox da Sugar apreciou a história do vídeo e as roupas do grupo. Cox adjetivou-o de "brilhante" e comparou sua atmosfera à da série cômica Sin City.[50] Fehintola Betiku e Emily Sheridan para o Daily Mail descreveram o vídeo como "opressivo" e adicionou: "Little Mix está mundos longe das garotas que ganharam o The X Factor no ano passado nesse monocromático vídeo de quatro minutos".[47] Um escritor para o The Huffington Post apreciou o estilo do grupo e a atitude malvada e agressiva.[53] Clemmie Moore do Daily Mail apreciou a aparência do conjunto, dizendo que elas estão "de vista bonita".[32]

Escrevendo para o The Sun, Gordon Smart descreveu o look do grupo no projeto como "feroz" e "glamoroso".[42] Natalie Wall da Cosmopolitan adjetivou o vídeo de "deliciosamente obscuro" e comparou as roupas utilizadas no vídeo com as na interpretação de "E.T." no The X Factor em 2011.[54] David Knight, escrevendo para o Promo News, revisou o vídeo positivamente, dizendo: "Sarah Chatfield faz um retorno impressionante ao pop britânico, por canalizar um pouco de Sin City em seu atrevido e visualmente ousado vídeo para 'DNA' de Little Mix: Sarah transforma as garotas honradas do X Factor de pop glamoroso para perseguidoras igualmente glamorosas nesta história de obsessão".[41] Knight adicionou: "O vídeo de 'DNA' é lindamente filmado por Will Bex, com contrastes obscuros, ângulos de câmera dramáticos e céus fortes empurrando o olhar de filme cômico".[41] Lewis Corner do Digital Spy colocou o projeto na posição oito da lista dos dez melhores vídeos musicais de 2012, julgando-o como "um dos maiores vídeos dignos de diva de um girl group em anos". Em julho de 2017 o vídeo clipe conseguiu atingir a marca de cem milhões de visualizações, sendo este, o décimo primeiro VEVO Certified do Little Mix.[55]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Perrie Edwards cantando seu verso em DNA.

"DNA" foi apresentada juntamente com "Wings" nos BBC Radio 1 Teen Awards de 2012.[56] No dia 24 de outubro de 2012, o grupo interpretou uma versão acústica da canção durante uma entrevista online para a SB.TV no Ustream.[57] A performance da banda foi apreciada pelos fãs no Twitter.[57] A estação de rádio Spin South West gostou da interpretação, dizendo: "Little Mix está arrasando [...], nem todos os pop stars conseguem fazer isto!"[58] Alicia Adejobi do Entertainment Wise elogiou a versão, escrevendo que "a Little Mix não é uma banda de garotas comum, elas conseguem cantar ao vivo, fazer uma acapella e até mesmo beat-box".[59] A obra também foi apresentada durante a nona temporada do The X Factor britânico no dia 11 de novembro de 2011.[60] A mentora das integrantes durante a competição, Tulisa Contostavlos, elogiou a performance: "Vocês são profissionais, vocês estão no ponto e confiantes agora".[60] A Spin South West comentou esta interpretação, dizendo que ela manifesta o porque de as garotas terem ganhado o programa em 2011.[61] Emily Sheridan do Daily Mail revisou positivamente a participação, dizendo que "o grupo já percorreu um longo caminho desde o [The X Factor]".[60] "DNA" também foi promovida durante o Live Lounge da BBC em 13 de novembro de 2012.[62] Dez dias depois, a faixa foi interpretada no Loose Women, programa de televisão da ITV.[63] Em dezembro de 2012, a obra foi interpretada no Jingle Bell Ball e em uma apresentação da Radio City 96.7, ambas sem a integrante Perrie Edwards que estava sofrendo de tonsilite na época.[64][65] Durante a interpretação na Radio City, o grupo usou jeans desbotadas inspiradas nos anos 80.[65] Lucy Buckland do Daily Mail revisou positivamente a performance, dizendo: "[Little Mix empolgou] multidões com 'DNA'".[65] Buckland elogiou o vestuário das integrantes durante o show, adjetivando-o de "glamoroso".[65] Ela também comentou que "as garotas parecem estar fazendo um bom trabalho sem [Edwards]".[65]

Durante a DNA Tour, a música foi interpretada como a última da setlist antes do bis.[66] A frase "Todo mundo tem um lado sombrio" aparece na cortina de fundo como uma introdução para a performance. Lewis Corner, escrevendo para o Digital Spy, apreciou a apresentação da obra no Hammersmith Apollo, dizendo que a "coreografia impressionante, harmonias tensas e expressões sinistras e doces reforçaram a imagem de como as raposas pop ferozmente polidas se transformaram desde o The X Factor.[67] Um jornalista para o Express & Star, revisando a passagem por Wolverhampton, realizada no Civic Hall disse que a multidão estava com a voz desenfreada durante a "poderosa" interpretação do tema.[68] Malcom Jack do The Guardian, que assistiu ao evento realizado na cidade escocesa de Glasgow, escreveu que a interpretação de "DNA" foi a melhor do alinhamento de faixas da digressão.[69] Na data em Ipswich, o jornal local Ipswich Star publicou uma resenha realizada por Wayne Savage, que disse que o grupo "soou excelente" durante a apresentação da canção.[70]

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

A versão digital de "DNA" contém apenas uma faixa com duração de três minutos e cinquenta e seis segundos.[71] Foi lançado ainda um EP que contém a obra original, dois remixes e a versão instrumental da canção.[12]

Download digital[71]
N.º Título Duração
1. "DNA"   3:56

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

"DNA" estreou e teve como melhor posição a de número oito na Irish Singles Chart na semana terminada em 15 de novembro de 2012,[73] se tornando o terceiro single da banda a ficar entre as dez melhores posições.[74] Após ficar na tabela por doze semanas, a canção saiu em 14 de março de 2013.[75][76] Mais tarde, ela então voltou à parada na 93.ª posição,[77] antes de sair novamente duas semanas depois.[78] A obra ficou um total de quatorze semanas na publicação.[79] No Reino Unido, a música foi uma competidora para a primeira posição, quando foi revelado que o single era o número dois na tabela do meio da semana, três mil cópias atrás de "Locked Out of Heaven" por Bruno Mars.[38] No final da semana, "DNA" entrou na UK Singles Chart na terceira posição no dia 24 de novembro de 2012 com vendas de setenta e duas mil e quarenta e quatro cópias, atrás de "Locked Out of Heaven", que conseguiu 75 mil e 880 cópias e "Little Things" de One Direction, que conquistou mais de 85 mil exemplares vendidos.[80][81] Se tornou a terceira música de trabalho consecutiva que conseguiu os três melhores números no país, conseguindo ficar por nove semanas na tabela,[82] terminando o ano como o 115.º single mais bem sucedido no território.[83] Em uma entrevista com Robert Copsey do Digital Spy, Jade Thirwall explicou o desapontamento por não se tornar o terceiro single consecutivo do grupo na primeira posição:[84]

Na Scottish Singles Chart, a canção estreou em 24 de novembro de 2012, dando ao grupo o terceiro single no top 3 da paradas escocesas.[85] Em 30 de dezembro seguinte, a obra estreou na posição 48 da ARIA Singles Chart, sendo a sua melhor posição.[86] Mais tarde, foi certificada como ouro pela Australian Recording Industry Association, com vendas de 35 mil exemplares.[87] Na Slovakian Airplay Chart, a música estreou na posição quarenta e oito na 48.ª semana de 2012.[88] Após semanas no mesmo número, conseguiu pico na posição 46 durante a segunda semana de 2013.[88] No total, ficou sete semanas na tabela.[88] Na França, teve seu debut na posição 177 da French Singles Chart em 4 de maio de 2013.[89] Nove dias depois, conseguiu entrar na posição dez na Single Top 10, se tornando o single de mais sucesso na Hungria até a data.[90]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Todo o processo de elaboração da canção atribui os seguintes créditos pessoais:[2][97]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

"DNA" foi lançada no dia 1º de outubro de 2012 nas rádios do Reino Unido,[9] seguindo seu lançamento digital na loja virtual do iTunes a 9 de novembro seguinte.[12][13]

País Data Formato Gravadora
 Reino Unido[9][12] 1º de outubro de 2012 Impacto nas rádios Syco Music
9 de novembro de 2012 Download digital
 Irlanda[13]

Notas[editar | editar código-fonte]

A - Em português, "Continua".

Referências

  1. «Little Mix star Jesy Nelson taunted online over her weight». Daily Mirror (em inglês). Trinty Mirror. 11 de janeiro de 2012. Consultado em 28 de abril de 2013. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  2. a b c d e f g h i (2012) Créditos do álbum DNA por Little Mix [CD]. Syco Music.
  3. a b c d e Emily Laurence (15 de janeiro de 2013). «DNA: Song Details». Seventeen (em inglês). Hearst Corporation. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 7 de maio de 2013 
  4. a b Owen Myers (23 de novembro de 2013). «An interview with Jesy from Little Mix». Popjustice (em inglês). Peter Robinson. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 7 de maio de 2013 
  5. a b c d Sarah Dean (26 de novembro de 2012). «Little Mix Talk 'DNA', Gaining Respect And Why 'Being A Girl Is Hard' (Interview)». The Huffington Post (em inglês). AOL. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 7 de maio de 2013 
  6. a b c d e Tim Jonze (22 de novembro de 2013). «Little Mix: 'We all look like dirty mingers underneath!'». The Guardian (em inglês). Guardian Media Group. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 7 de maio de 2013 
  7. a b c d e Jenn Selby (31 de agosto de 2012). «Little Mix Wings Interview». Glamour (em inglês). Condé Nast Publications. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  8. a b c d e Lewis Corner (12 de setembro de 2012). «Little Mix to release 'DNA' as new single». Digital Spy. Hearst Magazines UK. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 9 de maio de 2013 
  9. a b c d Kate Lucey (27 de setembro de 2012). «Little Mix to reveal new single 'DNA' next week». Sugar (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 9 de maio de 2013 
  10. a b c d e f g h i «'DNA' - wails of princesses». Popjustice (em inglês). Peter Robinson. 28 de setembro de 2012. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 9 de maio de 2013 
  11. Lewis Corner (1 de outubro de 2012). «Little Mix debut new single 'DNA' - listen». Digital Spy (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 9 de maio de 2013 
  12. a b c d e f g «DNA - EP» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 9 de maio de 2013 
  13. a b c d «DNA - EP» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  14. «Listen: Little Mix - 'DNA' (Kat Krazy mix)». Popjustice (em inglês). Peter Robinson. 9 de outubro de 2012. Consultado em 28 de maio de 2013. Cópia arquivada em 28 de maio de 2013 
  15. Michael Cragg (17 de outubro de 2012). «New music: Little Mix - DNA (Eyes Remix)». The Guardian (em inglês). Guardian Media Group. Consultado em 15 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  16. «Little Mix» (em inglês). Amazon. Consultado em 15 de maio de 2013. Cópia arquivada em 28 de maio de 2013 
  17. a b Al Fox (16 de novembro de 2012). «Review of Little Mix – DNA». BBC Online (em inglês). BBC. Consultado em 27 de março de 2013. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  18. a b c Fiona Shepherd (26 de novembro de 2012). «CD Reviews: Little Mix / Olly Murs». The Scotsman (em inglês). Johnston Publishing. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  19. a b Hackford Jones (11 de novembro de 2012). «Little Mix Unveil DNA Lyric Video». Pressparty (em inglês). Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  20. a b c d Lewis Corner (1 de outubro de 2012). «Playlist: 10 tracks you need to hear». Digital Spy (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  21. a b «Popjustice Top 45 Singles of 2012». Popjustice (em inglês). Peter Robinson. 18 de dezembro de 2012. Consultado em 29 de maio de 2012. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  22. a b Vicky Newman (16 de novembro de 2012). «Album review: Little Mix's DNA, track-by-track». Shields Gazette (em inglês). Johnston Publishing. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  23. a b Jon Hornbuckle (29 de novembro de 2012). «Album Review: Little Mix - DNA». So So Gay (em inglês). So So Gay Ltd. Consultado em 29 de maio de 2012. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  24. a b Eve Barlow (9 de novembro de 2012). «Little Mix - 'DNA'». NME (em inglês). IPC Media. Consultado em 16 de abril de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  25. «DNA (Legal Title)» (em inglês). Broadcast Music Incorporated. Consultado em 16 de junho de 2013 
  26. a b «DNA – Little Mix – Digital Music Sheet» (em inglês). Musicnotes. Consultado em 29 de maio de 2012 
  27. a b c Trent Maynard (1 de outubro de 2012). «Little Mix - DNA (Lyric video)». 4Music (em inglês). Box Television. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  28. a b John Earls (12 de novembro de 2012). «Little Mix: DNA - single review». Daily Star (em inglês). Northern & Shell Media. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  29. a b Rick Fulton (16 de novembro de 2012). «Other singles: November 16». Daily Record (em inglês). Trinity Mirror. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  30. Andrew Trendell (19 de novembro de 2012). «Little Mix 'DNA' (Sony)». Gigwise (em inglês). Giant Digital. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  31. Adrian Thrills (22 de novembro de 2012). «Girls Aloud and Little Mix both release new albums, but who's got the best one?». Daily Mail (em inglês). Associated Newspapers. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  32. a b Clemmie Moodie (17 de outubro de 2012). «Little Mix DNA exclusive photos... and the girls are looking hot». Daily Mirror (em inglês). Trinity Mirror. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 17 de maio de 2013 
  33. Amy Gravelle (21 de novembro de 2012). «Review: Little Mix Perfectly Blend Cheese and Pop Anthems With 'DNA'». Entertainment Wise (em inglês). Giant Digital. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  34. Ciara Moore (28 de novembro de 2012). «Review of DNA by Little Mix». The College View (em inglês). DCU Journalism Society. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  35. Lizzie Cox (29 de outubro de 2012). «Little Mix fans rejoice: DNA behind the scenes video released». Sugar (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  36. Nicky Diaz (17 de maio de 2013). «British girl group Little Mix shines on debut album». The Miami Hurricane (em inglês). Universidade de Miami. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 24 de maio de 2013 
  37. Matt Collar. «DNA - Little Mix». Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 24 de maio de 2013 
  38. a b Shaun Kitchner (14 de novembro de 2012). «Zayn Malik Backs Perrie Edwards As Little Mix Trail Bruno Mars In Chart Race». Entertainment Wise (em inglês). Giant Digital. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  39. Michael Cragg (17 de dezembro de 2012). «The best albums of 2012: our critics' individual choices». The Guardian (em inglês). Guardian Media Group. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 15 de maio de 2013 
  40. a b Linds Foley (8 de outubro de 2012). «Exclusive Little Mix: 'The video for DNA is a completely different side that people have never seen before'». Sugar (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  41. a b c David Knight (24 de outubro de 2012). «Little Mix 'DNA' by Sarah Chatfield». Promo News (em inglês). Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  42. a b Gordon Smart (19 de outubro de 2012). «Little Mix film new DNA music video». The Sun (em inglês). News International. Consultado em 29 de maio de 2013 
  43. a b Lewis Corner (15 de outubro de 2012). «Little Mix confirm new single 'DNA' music video premiere - watch». Digital Spy (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  44. a b c d e f «Little Mix Promise To Show Off A New Side In 'Dark' Music Video For 'DNA' - Video». Capital London (em inglês). Global Radio Group. 18 de outubro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  45. a b c «Little Mix - DNA» (em inglês). Vevo. Consultado em 30 de maio de 2013 
  46. a b c d «Little Mix Teases Edgy 'DNA' Video Ahead Of Official Premiere On Friday». Capital London (em inglês). Global Radio Group. 17 de outubro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  47. a b c d e f g h i j k l Fehintola Betiku; Emily Sheridan (19 de outubro de 2012). «Little Mix show off their inner villainous vixens as they smoulder in new video DNA». Daily Mail (em inglês). Associated Newspapers. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  48. a b c «Little Mix Get Obsessive In Their Newly Unveiled Music Video For 'DNA' - Video». Capital London (em inglês). Global Radio Group. 19 de outubro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  49. a b «Little Mix Premiere The Amazing 'DNA' Video!». Cool FM (em inglês). Bauer Radio. 20 de novembro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  50. a b Lizzie Cox (19 de outubro de 2012). «It's Here: Little Mix unveil DNA music video». Sugar (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  51. Lewis Corner (17 de outubro de 2012). «Little Mix preview 'DNA' music video - pictures». Digital Spy (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  52. Linds Foley (17 de outubro de 2012). -goes-badass-new-dna-video-teaser «Little Mix's Leigh-Anne Pinnock goes badass for new 'DNA' video teaser» Verifique valor |url= (ajuda). Sugar (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  53. «Girls Aloud 'Something New' Video vs. Little Mix 'DNA' Video: Which Girlband's Effort Is Best?». The Huffington Post (em inglês). AOL. 19 de outubro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  54. Nathalie Wall (19 de outubro de 2012). «Watch Little Mix go gothic in their new music video for DNA». Cosmopolitan (em inglês). Hearst Corporation. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 24 de maio de 2013 
  55. Lewis Corner (27 de dezembro de 2012). «10 top pop music videos of 2012: David Guetta, Gangnam Style and more». Digital Spy (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 24 de maio de 2013 
  56. Kate Lucey (7 de outubro de 2012). «Little Mix perform at BBC Radio 1 Teen Awards». Sugar (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 31 de maio de 2013. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  57. a b «Little Mix get Twitter praise for DNA acoustic version during Ustream video». Metro (em inglês). Associated Newspapers. 24 de outubro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  58. «Little Mix Killing It - Acapella!». Spin South West (em inglês). Communicorp. 4 de novembro de 2012. Consultado em 31 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  59. Alicia Adejobi (2 de novembro de 2012). «Watch: Little Mix Show Off Rapping Skills During Acapella Performance Of 'DNA'». Entertainment Wise (em inglês). Giant Digital. Consultado em 31 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  60. a b c Emily Sheridan (11 de novembro de 2012). «X Factor 2012: Tulisa's protegees Little Mix return to X Factor as they perform their new single DNA». Daily Mail (em inglês). Associated Newspapers. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  61. «Little Mix Show Em How It's Done!». Spin South West (em inglês). Communicorp. 12 de novembro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  62. Fearne Cotton (13 de novembro de 2012). «Fearne Cotton, Little Mix in the Live Lounge». BBC Radio 1 (em inglês). BBC. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  63. «Little Mix - DNA Live (Acoustic Version) on Loose Women». NME (em inglês). IPC Media. 23 de novembro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  64. «Little Mix – 'Wings' (Live Performance, Jingle Bell Ball 2012)». Capital London (em inglês). Global Radio Group. 8 de dezembro de 2012. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  65. a b c d e Lucy Buckland (3 de dezembro de 2012). «Little Mix go stonewashed denim beserk... as Jesy Nelson debuts some bizarre dance moves». Daily Mail (em inglês). Associated Newspapers. Consultado em 30 de maio de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  66. «Live review: Little Mix, Newcastle City Hall». Shields Gazette (em inglês). Johnston Press. 31 de janeiro de 2013. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  67. Lewis Corner (14 de fevereiro de 2013). «Little Mix live at the Hammersmith Apollo, London - review». Digital Spy (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  68. «Review: Little Mix, Civic Hall, Wolverhampton». Express & Star (em inglês). Midland News Association. 6 de fevereiro de 2013. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 30 de maio de 2013 
  69. Malcom Jack (3 de fevereiro de 2013). «Little Mix - review». The Guardian (em inglês). Guardian Media Group. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  70. Wayne Savage (22 de fevereiro de 2013). «Review/Gallery: Little Mix, DNA Tour, Ipswich Regent, Thursday, February 21». Ipswich Star (em inglês). Archant. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 19 de maio de 2013 
  71. a b «DNA» (em inglês). Amazon. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 30 de maio de 2013 
  72. «DNA - EP» (em inglês). Amazon. Consultado em 29 de maio de 2013. Cópia arquivada em 30 de maio de 2013 
  73. a b «Chart Track» (em inglês). Irish Singles Chart. Consultado em 1º de junho de 2013 
  74. «Discography Little Mix». Irish Recorded Music Association (em inglês). Hung Medien. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 17 de abril de 2013 
  75. «GFK Chart-Track». Irish Recorded Music Association (em inglês). 7 de março de 2013. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  76. «GFK Chart-Track». Irish Recorded Music Association (em inglês). 14 de março de 2013. Consultado em 1º de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  77. «GFK Chart-Track». Irish Recorded Music Association (em inglês). 28 de março de 2013. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  78. «GFK Chart-Track». Irish Recorded Music Association (em inglês). 11 de abril de 2013. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  79. «GFK Chart-Track». Irish Recorded Music Association (em inglês). 4 de abril de 2013. Consultado em 1º de maio de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  80. Alan Jones (23 de novembro de 2012). «Music Week November 23 2012». Music Week (em inglês). Intent Media. Consultado em 1º de junho de 2013 
  81. a b «Archive Chart» (em inglês). The Official Charts Company. 18 de novembro de 2012. Consultado em 1º de junho de 2013 
  82. «UK Singles Chart runs» (no campo "Artist", digite "Little Mix" e selecione "Submit") (em inglês). Polyhex.com. Consultado em 1º de junho de 2013 
  83. a b «UK Charts End Of Year Charts: 2012» (PDF) (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 1º de junho de 2013 
  84. Robert Copsey (5 de fevereiro de 2013). «Little Mix Jade: 'It's hard competing with One Direction'». Digital Spy (em inglês). Hearst Magazines UK. Consultado em 1º de junho de 2013. Cópia arquivada em 16 de maio de 2013 
  85. a b «Archive Chart» (em inglês). The Official Charts Company. 24 de novembro de 2012. Consultado em 1º de junho de 2013 
  86. a b «Australiancharts.com - Little Mix - DNA» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 1º de junho de 2013 
  87. a b «ARIA Charts – Accreditations – 2013 Singles». Australian Recording Industry Association. Consultado em 1º de junho de 2013 
  88. a b c «SNS IFPI». Hitparáda - Radio Top100 Oficiálna (em esloveno). IFPI Czech Republic. Consultado em 1º de junho de 2013 
  89. a b «Lescharts - Little Mix - DNA» (em francês). Hung Medien. Consultado em 1º de junho de 2013 
  90. a b «Archívum – Slágerlisták – MAHASZ – Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége» (em húngaro). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 1º de junho de de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  91. «Little Mix - Chart history». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 16 de junho de 2013 
  92. «Hitparáda - RADIO TOP100 Oficiálna» (em esloveno). IFPI Czech Republic. Consultado em 1º de junho de 2013 
  93. «Little Mix - Chart history». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 22 de junho de 2013 
  94. «LITTLE MIX» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 1º de junho de 2013 
  95. Billboard. Billboard http://www.billboard.com/biz/search/charts?f[0]=ts_chart_artistname%3A%2ALittle%20Mix%2A&f[1]=itm_field_chart_id%3A344&f[2]=ss_bb_type%3Achart_item&type=2&artist=Little%20Mix. Consultado em 6 de julho de 2014  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  96. http://www.bpi.co.uk/certified-awards/search.aspx
  97. Matt Collar. «DNA - Little Mix : Credits» (em inglês). Allmusic. Consultado em 3 de junho de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre um single é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.