Da Liberdade Cristã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Frontispício da edição em alemão.

Da Liberdade de um Cristão (em latim: De Libertate Christiana; em alemão: Von der Freiheit eines Christenmenschen), também chamado de Tratado sobre a Liberdade Cristã, de novembro de 1520, é o terceiro dos três grandes tratados escritos por Martinho Lutero em 1520 publicado depois de "À Nobreza Cristã da Nação Alemã" (agosto) e "Do Cativeiro Babilônico da Igreja" (outubro). A obra foi publicada em uma versão mais elaborada em latim e em outra mais curta em alemã. Não há consenso acadêmico sobre qual das duas foi escrita primeiro[1]. O tratado desenvolve o conceito de que os cristãos, como filhos de Deus completamente perdoados, não estão mais obrigados a observar a lei de Deus (do Antigo Testamento); eles servem a Deus e a seus vizinhos livremente e de vontade própria. Lutero também desenvolveu um pouco mais o conceito da justificação pela fé. Segundo Lutero[2]:

Um cristão é um senhor de tudo perfeitamente livre e sujeito a ninguém. Um cristão é um servo de todos perfeitamente obediente e sujeito a todos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Reinhold Rieger: Von der Freiheit eines Christenmenschen, De libertate Christiana, Mohr Siebeck, Tübingen 2007, p. 5-12.
  2. Albrecht Beutel, "Luther's Life," tr. Katharina Gustavs, in The Cambridge Companion to Martin Luther, ed. Donald K. McKim (New York: Cambridge University Press, 2003), 11.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]