Dados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para acessório para jogos, veja Dado.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Dados são um conjunto de valores ou ocorrências em um estado bruto com o qual são obtidas informações com o objetivo de adquirir benefícios. Existem dois tipos de dados: estruturados e não estruturados. Os dados estruturados, que são dados formatados, organizados em tabelas - linhas e colunas - e são facilmente processados, geralmente é utilizado um sistema gerenciador de banco de dados para armazenar esse tipo de dado, um exemplo são os dados gerados por aplicações empresariais. Os dados não estruturados não possuem uma formatação específica e são mais difíceis de serem processados. Por exemplo, mensagens de email, imagens, documentos de texto, mensagens em redes sociais.[1]

Dados brutos[editar | editar código-fonte]

Em informática dados brutos (raw data) designam os dados/valores recolhidos e estocados tal qual foram adquiridos, sem terem sofrido o menor tratamento.

Apresentam-se como um conjunto de números, caracteres, imagens ou outros dispositivos de saídas para converter quantidades físicas em símbolos, num sentido muito extenso.

Uso de dados em ciência e informática[editar | editar código-fonte]

Os dados podem ser humanos ou processados por uma entrada em um computador, armazenados e tratados lá, ou transmitidos (saída) para outro computador ou humano. A palavra "dados" é um termo relativo, tratamento de dados comumente ocorre por etapas, e os "dados processados" a partir de uma etapa podem ser considerados os "dados brutos" do próximo.

Computação, dispositivos mecânicos, são classificados de acordo com os meios através dos quais eles representam dados. Um computador analógico representa um dado como uma tensão, distância, posição, ou outra quantidade física. Um computador digital representa um dado como uma sequência de símbolos traçada a partir de um alfabeto fixo. O mais comum, computadores digitais usam um alfabeto binário, isto é, um alfabeto de dois caracteres, normalmente denominadas "0" e "1". Mais familiarizado representações, tais como números ou letras, são construídos a partir do alfabeto binário.

Dado: à luz da Ciência da Informação[editar | editar código-fonte]

Definimos dado como uma sequência de símbolos quantificados ou quantificáveis. Portanto, um texto é um dado. De fato, as letras são símbolos quantificados, já que o alfabeto por si só constitui uma base numérica. Também são dados imagens, sons e animação, pois todos podem ser quantificados a ponto de alguém que entra em contato com eles ter eventualmente dificuldade de distinguir a sua reprodução, a partir da representação quantificada, com o original. É muito importante notar-se que qualquer texto constitui um dado ou uma sequência de dados, mesmo que ele seja inelegível para o leitor.[2]

O dado, a informação e o conhecimento[editar | editar código-fonte]

O dado na tecnologia da informação é a representação física de um evento no tempo e espaço que não agrega fundamento para quem o sente ou recebe, não podendo ser possível entender o que ele representa ou para que ele existe, podemos ter como exemplo um número, se somente esse número for disponibilizado para alguém ou para o tempo e espaço, por alguém ou por um evento, não é possível saber o que ele significa ou o que ele representa, podendo representar qualquer coisa ou não representar nada, porem no momento que existir uma agregação com outro dado ele passa a ser ou não uma informação.

A informação é o dado organizado, um texto pode ser uma informação uma fonte de muitas informações ou um conjunto de informação, pois se os dados agrupados gerarem sentido para quem o lê e ficando claro ou não (valor da informação se da à qualidade com a qual é disponibilizada, reduzindo ou aumentando a probabilidade de interpretação ambígua pelo emitente, quanto mais precisa, mais valiosa ela se torna) a que se refere, o dado passa a ser o valor de um determinado item, evento do que se refere. Um relatório, um boletim escolar, uma folha de pagamento são exemplos de informação, desde que faça sentido a quem o vê.

O conhecimento é resultado de varias informações organizadas de forma lógica e suficiente para criar um evento, tornar possível um evento ainda não conhecido ou o poder de entender um evento, suas causas, eventos anteriores e suas causas, eventos da causa, evento resultante de causas, o poder de manipular eventos e causas

Dados também podem ser um conjunto de informações que constituem uma informação.

"Já o conhecimento, refere-se à habilidade de criar um modelo mental que descreva o objeto e indique as ações a implementar, as decisões a tomar."[3]

O especificado fica nítido ao observar a seguinte tabela:

O dado a informação e o conhecimento
Dado Informação Conhecimento

Simples observações sobre o estado do mundo

Dados dotados de relevância e propósito

Informação valiosa da mente humana Inclui reflexão, síntese, contexto

  • Facilmente estruturado
  • Facilmente obtido por máquinas
  • Freqüentemente quantificado
  • Facilmente transferível
  • Requer unidade de análise
  • Exige consenso em relação ao significado
  • Exige necessariamente a mediação humana
  • De difícil estruturação
  • De difícil captura em máquinas
  • Freqüentemente tácito
  • De difícil transferência

Referências

  1. SHRIVASTAVA; SOMASUNDARAM (2009). Armazenamento e Gerenciamento de Informações: Como armazenar, gerenciar e proteger informações digitais (São Paulo: Bookman). p. 27. 
  2. DataGramaZero
  3. Solange Oliveira Rezende, Sistemas Inteligentes, (2003) Manole Barueri São Paulo

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.