Dafne Schippers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dafne Schippers
Atletismo
Modalidade 100 m, 200 m, heptatlo
Nascimento 15 de junho de 1992 (27 anos)
Utrecht, Holanda
Nacionalidade Países Baixos holandesa
Compleição Peso: 65 kg Altura: 1.79 m
Medalhas
Jogos Olímpicos
Prata Rio 2016 200 m
Campeonatos Mundiais
Ouro Londres 2017 200 m
Ouro Pequim 2015 200 m
Prata Pequim 2015 100 m
Bronze Londres 2017 100 m
Bronze Moscou 2013 heptatlo
Campeonato Mundial Júnior
Ouro Moncton 2010 heptatlo
Bronze Moncton 2010 4x100 m

Dafne Schippers (Utrecht, 15 de junho de 1992) é uma velocista e heptatleta holandesa, bicampeã mundial dos 200 m rasos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começando a praticar o atletismo aos nove anos, demonstrou talento para múltiplas modalidades, o que a levou a competir no heptatlo. Nesta modalidade foi campeã mundial júnior em 2010[1] e campeã europeia júnior em 2011.[2] Extremamente veloz, também começou a disputar competitivamente provas de velocidade e de salto, conquistando o ouro nos 100 m rasos e o bronze no salto em distância no Campeonato Europeu de Atletismo sub-23 em 2013. Antes, no Mundial de Daegu 2011, tinha quebrado o recorde nacional holandês para os 200 m rasos. No Mundial de Moscou 2013, ficou com a medalha de bronze no heptatlo.[3]

Em 2014, durante um meeting de atletismo na Áustria, ela abaixou ainda mais o recorde nacional dos 200 m disputando a prova do heptatlo, com a marca de 22s35. No mesmo ano, no Campeonato Europeu de Atletismo, em Zurique, venceu os 100 m e os 200 m, levantando uma grande discussão sobre a modalidade atlética em que ela deveria se concentrar, se nas provas de velocidade pura ou no heptatlo. No começo de 2015, depois de correr os 100 m abaixo de 11s, ela anunciou que passaria a se dedicar apenas aos sprinters, com vistas ao Campeonato Mundial de Atletismo de 2015 em Pequim e aos Jogos Olímpicos do Rio 2016.[4]

Em Pequim 2015, competindo pela primeira vez num evento global numa prova de velocidade individual, conquistou a medalha de prata nos 100 m com o tempo de 10s81, novo recorde nacional holandês, que ela já havia quebrado nas semifinais com 10s83, perdendo apenas para a multicampeã mundial e olímpica Shelly-Ann Fraser-Pryce. Esta medalha foi a primeira de uma atleta holandesa nos 100 m rasos em eventos globais desde Fanny Blankers-Koen, a velocista multimedalhista de ouro em Londres 1948, considerada pela IAAF como a maior atleta feminina do século XX.[5] Quatro dias depois venceu os 200 m em 21s63, recorde europeu e do campeonato mundial, quarta melhor marca da distância na história, e que a fez ser a terceira mais rápida de todos os tempos, atrás apenas de Florence Griffith-Joyner e Marion Jones. Esta foi também a primeira medalha de ouro de um atleta holandês em todas as edições do Campeonato Mundial de Atletismo.[6]

Duas semanas após a vitória no Mundial, derrotou a campeã olímpica dos 200 m, Allyson Felix, que não havia corrido esta distância em Pequim, no Memorial van Damme, em Bruxelas, última etapa da Diamond League 2015, com a marca de 22s12.[7]

Em 2016, depois de vencer os 100 m no Meeting de Atletismo de Doha, no Qatar, pela Diamond League, com o melhor tempo europeu do ano – 10s83 –[8] sagrou-se bicampeã europeia da prova durante a disputa do Campeonato Europeu de Atletismo de 2016, em Amsterdã, no seu país natal, com a marca de 10s90.[9]

Na Rio 2016, assolada por uma contusão não-diagnosticada nem informada à época,[10] não teve a atuação esperada, ficando apenas em quinto lugar nos 100 m e perdendo o duelo nos 200 m com a jamaicana Elaine Thompson, campeã olímpica das duas provas, ficando com a medalha de prata na distância em que era favorita e invertendo, na Olimpíada, as posições do Mundial de Pequim 2015.

Depois dos Jogos do Rio, Schiffers trocou seu técnico holandês Bart Bennema pelo norte-americano Rana Reider e passou a trabalhar especificamente para ganhar mais músculos e melhorar a largada, seu ponto mais fraco, com vistas ao Campeonato Mundial do ano seguinte.[11] Em Londres 2017, foi bicampeã mundial dos 200 m e conquistou a medalha de bronze nos 100 m rasos.[12] [13]

Referências

  1. «IAAF World Junior Championships > 13th IAAF World Junior Championships > Heptathlon - women». IAAF. Consultado em 24 de Agosto de 2015 
  2. «venue». tallinn2015.org. Consultado em 24 de Agosto de 2015 
  3. «HEPTATHLON WOMEN». IAAF. Consultado em 24 de Agosto de 2015 
  4. «European 100m and 200m champion to switch heptathlon for sprints». Athletics Weekly. Consultado em 24 de Agosto de 2015 
  5. «REPORT: WOMEN'S 100M FINAL – IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS, BEIJING 2015». IAAF. Consultado em 24 de Agosto de 2015 
  6. «SCHIPPERS KNALT NAAR WERELDGOUD» (em holandês). De Telegraaf. Consultado em 28 de Agosto de 2015 
  7. «200 m Women». diamondleague.com. Consultado em 11 de Setembro de 2015 
  8. «European Top 30 2016». European Athletics. Consultado em 9 de Julho de 2016 
  9. «SCHIPPERS WINS SECOND EUROPEAN 100M GOLD IN AMSTERDAM». IAAF. Consultado em 9 de Julho de 2016 
  10. «Mystery injury costs Dafne Schippers golden chance». The Indian Express. Consultado em 26 de Agosto de 2016 
  11. «Schippers pakt brons op 100 meter» (em holandês). Der Telegraaf. Consultado em 6 de agosto de 2017 
  12. «200 METRES WOMEN IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017». IAAF. Consultado em 11 de agosto de 2017 
  13. «100 METRES WOMEN IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017». IAAF. Consultado em 6 de agosto de 2017